VBC Cav  – EITAN, a aposta israelense

A empresa Elbit Systems, de Israel, confirmou a participação no projeto da viatura blindada de combate de Cavalaria (VBC Cav) 8X8, do Exército Brasileiro (EB), com a solução EITAN/”Sabra Light”, cuja data de entrega das propostas (“request for proposal” – RFP) se encerra amanhã, dia 21 de setembro.

O EITAN MERKAVA WHEELED AV foi desenvolvido pela MANTAK, empresa ligada ao Ministério da Defesa de Israel e criada para o desenvolvimento da família de blindados Merkava,  que se basearam nas tecnologias, metodologias e know how acumulado em 50 anos de experiência em desenvolvimento de blindados. De acordo com a empresa, sua fase de projeto do veículo foi concluída em 2020 e os primeiros exemplares foram entregues às Forças de Defesa de Israel (IDF) em 2021, com mais de 300 viaturas encomendadas.

O EITAN tem passou por testes extensivos e processo de qualificação para cumprir o rigoroso programa de requisitos operacionais, de confiabilidade e de manutenção da IDF, passando por testes de desenvolvimento e processo de qualificação, e sua produção em série já foi iniciada para as versões de viatura blindada de transporte de pessoal (“armoured personnel Carrier” – APC) e a viatura de combate de infantaria (“infantry fighting vehicle” – IFV), este último equipado com uma torre com canhão de 30x173mm, com sistemas similares ao do SARC UT30BR.

Em fevereiro deste ano, uma delegação do Exército Brasileiro visitou as instalações da MANTAK e pode ver “in loco” a linha de produção de veículos blindados israelenses, principalmente EITAN 8X8.

Compartilhando diversas soluções de conceito, design, dimensionamento e seleção de componentes (mecânicos,  elétricos e eletrônicos)  e subsistemas com os o carro de combate (“main battle tank” – MBT) Merkava IV e o IFV Namer, o EITAN representa uma nova geração de veículos blindados sobre rodas, servindo de plataforma comum para diversos armamentos e equipamentos, seguindo a metodologia IDF de produzir os viaturas blindadas mais protegidas.

A configuração a ser ofertada ao EB é a com a torre Elbit 105/120, equipada com canhão de 105 mm, mas que pode receber o canhão de 120 mm, para dois ocupantes e com carregamento automático, sendo que a empresa informou que também a torre entrou em produção e que já foi vendida para outros clientes, como as Filipinas.

No Brasil, a Elbit possui duas subsidiárias , sendo a Ares Aeroespacial e Defesa a da divisão Land, que ao longo dos anos receberam grandes investimentos e hoje contam com um forte departamento de engenharia, estrutura d SLI, instalações modernas e grandes experiência de trabalho nos principais programas das Forças Armadas. Ambas as empresas são consideradas estratégicos para o EB e sua presença no projeto VBC Cav potencializam as vantagens da solução proposta.

Com uma parceria forte e histórica construída com o EB, a Ares produz produtos de defesa modernos e unidades embarcadas com funções automáticas, como SARC REMAX,  e, em 2016 participou do consórcio que venceu a licitação para fornecer uma torre de 105mm para o antigo projeto do Guarani 8X8.

Com informações da Ares Aeroespacial e Defesa

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

No dia de hoje, 24 de maio, a Agência de Cooperação de Segurança de Defesa (Defense Security Cooperation Agency – DSCA)...

A capital turca, Istambul, foi palco de discussões sobre segurança e defesa nos dias 21, 22 e 23. A Feira...

De acordo com a portaria nº 443-COTER/C Ex, o Exército Brasileiro (EB), através do Comando de Operações Terrestres (COTER), constituiu...

Após um breve período de calmaria, que parecia que a tragédia ambiental no Sul estava chegando ao seu final, uma...

Comentários

12 respostas

  1. Muito interessante, esta concorrência aparentemente está cada vez melhor, não sei se tem a ver com a concorrência, mas pelo que li, essa semana uma delegação do MB da Itália veio ao Brasil para conhecer as capacidades da nossa BID. Com certeza vamos ter ofertas muito tentadoras!

  2. Como é um blindado que nunca foi fabricado em série, tendo a achar, baseado nas respostas do EB nas FAQs do projeto da VBC Cav, que este aí estará fora.

  3. Todos os concorrentes são muito interessantes, mas somente um tem lugar guardado no coração do EB e no meu também: Centauro II.

  4. Sem chance, já está fora da concorrência. Com certeza um baita veículo, mas escolher ele abriria margem para os outros concorrentes judicializarem todo o processo, e com razão até.

    1. Nada disso. Onde está escrito que o blindado deve estar em produção na versão com o canhão ofertado?
      O requisito diz: blindado em produção. E ponto final.
      Os israelenses não estariam perdendo tempo caso o blindado não atendesse este requisito.

      1. Caro Luís Henrique, o requisito diz sim.

        “2.1.1.3. Todas as viaturas a serem adquiridas deverão estar com todos os seus sistemas integrados e operativos.”

        2.1.1.6. A VBC Cav – MSR 8×8, objeto deste projeto básico, deverá ser no mínimo oriunda de uma Produção Seriada (Inicial ou Consolidada). Não serão analisadas as propostas recebidas referentes às viaturas que se encontram em fase de desenvolvimento (projeto conceituai e/ou
        protótipo ou lote piloto). Para fins de padronização de entendimento, seguem abaixo os seguintes conceitos:

        2.1.1.6.1. Projeto Conceitual: A viatura encontra-se ainda na fase de conceito, ideia, ou de proposta para um desenvolvimento conjunto com o EB. A viatura não existe fisicamente.

        2.1.1.6.2. Protótipo: Modelo ou implementação preliminar de um produto ou sistema usado para avaliar sua arquitetura, desenho, performance, potencial de produção, documentação dos requisitos ou obter melhor entendimento sobre tal produto.

        2.1.1.6.3. Lote Piloto: Produção experimental ou preliminar de um produto relativamente reduzido, tendo por finalidade adequar o protótipo e testar a respectiva linha de produção.

        2.1.1.6.4. Produção Seriada Inicial: Linha de produção estabelecida, na fase de produção inicial ou entregue ao usuário final.

        2.1.1.6.5. Produção Seriada Consolidada; Linha de produção estabelecida, com viaturas já franca produção ou classificadas como comumente se chama “cabeça de série quantidade já fornecida para o próprio país de origem ou estrangeiro. Observação; somente “contrato assinado” não caracterizaria uma Produção Seriada.

        Fonte: Anexo IX – Projeto Básico de Aquisição – VBC Cav – MSR 8×8

    2. Viajei completamente e escrevi besteira. Imaginei até que havia sido divulgada uma shortlist. Devo ter confundido com alguma outra concorrência. O Eitan tá na briga e parece ser uma opção muito boa.

  5. Opa, olhem o artigo:
    “os primeiros exemplares foram entregues às Forças de Defesa de Israel (IDF) em 2021, com mais de 300 viaturas encomendadas”.
    e
    “sendo que a empresa informou que também a torre entrou em produção e que já foi vendida para outros clientes, como as Filipinas”.

    1. “2.1.1.3. Todas as viaturas a serem adquiridas deverão estar com todos os seus sistemas integrados e operativos.”

      1. Ary.. não viaja e nãoo inventa.
        o EB já recebeu a proposta… fica tranquilo o EB sabe o que está fazendo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL