Entrega do Guarani 500, das LMV-BR e anunciada a fabricação dos Guarani das Filipinas

14
6383
O Estado-Maior do Exército e o presidente da IDV LATAM, na foto oficial da cerimônia (Foto: IDV LATAM)

No dia de ontem, dia 23 de novembro, ocorreu a entrega simbólica da quingentésima viatura blindada de transporte de tropas – média sobre rodas (VBTP-MSR) 6X6 Guarani e do lote de 32 viaturas blindadas multitarefa leve sobre rodas (VBMT-LSR) 4X4 LMV-BR ao Exército Brasileiro (EB), na sede da Iveco Defence Vehicles Latin America (IDV LATAM), de Sete lagoas (MG).

O Programa Estratégico do Exército (Prg EE) GUARANI tem por objetivo transformar as organizações militares de Infantaria motorizada em mecanizada e modernizar as de Cavalaria mecanizada, além de fomentar a indústria bélica brasileira. Para isso foi criada uma nova família de viaturas blindadas sobre rodas, que dotou a Força Terrestre de meios para incrementar a dissuasão e a defesa do território nacional.

A primeira a ser desenvolvida foi a VBTP-MSR 6X6 Guarani, em parceria com a empresa IDV LATAM e com os requisitos do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT), que está possibilitando a substituição das VBTP 6X6 EE-11 Urutu, fabricadas pela ENGESA e em uso há mais de 40 anos. Atualmente sendo desenvolvidas diversas versões, como engenharia, porta-morteiro, defesa QBRN, comando e outras.

Também foi realizada a aquisição da VBMT-LSR 4X4, cuja escolha do modelo LMV-BR, da Iveco, se deu após intensa concorrência internacional e que o primeiro exemplar já se encontra com o EB, e atualmente esta ocorrendo à escolha da futura viatura blindada de combate de cavalaria (VBC Cav) 8X8.

Humberto Spinetti, presidente da IDV LATAM, anunciando as novidades na produção dos Guarani (Foto: Vandeir Alves dos Santos)

Durante o evento, o presidente da IDV LATAM, Humberto Marchioni Spinetti, destacou a jornada percorrida pela empresa desde 2006, quando o EB iniciou o processo de desenvolvimento da nova família de blindados sobre rodas (NFBR) e o desenvolvimento conjunto entre a Força Terrestre e a empresa, até os dias de hoje, com a entrega simbólica da viatura 500. “Iniciamos um processo continuado de transferência de tecnologia e conhecimento, investimos na construção de nossa primeira fábrica de veículos blindados fora da Europa, desenvolvendo fornecedores e capacitando mão de obra local”, falou Spinetti e completou “afinal, 500 unidades consolidam o Guarani como o blindado sobre rodas mais adquiridos pelo Exército Brasileiro”.

Outra parte importante da fala do presidente da IDV LATAM diz respeito às exportações: “Em 2016, retomamos com a tradição de exportação de blindados brasileiros, com as primeiras 16 unidades para o Líbano. Já iniciamos a produção das unidades para as Filipinas e, em breve, iniciaremos a produção para a República de Gana. Estamos em negociações com outros países, em destaque para a Argentina”.

Um dos VBMT-LSR 4X4 LMV-BR presente na cerimônia estava equipado com uma torre Platt (Foto: Vandeir Alves dos Santos)

Participaram da cerimônia, o comandante do EB, general de exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira; o chefe do Estado-Maior do EB, general de exército Marco Antônio Amaro dos Santos; o comandante Logístico (COLOG), general de exército Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira; o comandante Militar do Leste (CML), general de exército José Eduardo Pereira; o chefe do DCT, general de exército Guido Amin Naves; o diretor de Fabricação (DF), general de brigada Tales Eduardo Areco Villela; o diretor de Material (DMAt), general de brigada Everton Pacheco da Silva; o chefe do Escritório de Projetos do Exército (EPEx), general de brigada Marcus Alexandre Fernandes de Araujo; o gerente do Prg EE GUARANI, general de brigada R/1 Edson Henrique Ramires; o primeiro gerente Prg EE GUARANI, general de brigada R/1 Waldemir Cristino Rômulo; e diversas autoridades civis e militares.

Livro da história do Guarani

Para celebrar a entrega das 500 unidades do Guarani ao EB, foi produzido o livro “Guarani 500 – O renascimento dos blindados brasileiros”, escrito pelos pesquisadores militares e integrantes da revista Tecnologia & Defesa, Paulo Roberto Bastos Jr e Hélio Higuchi, em parceria com a IDV LATAM, cujo lançamento ocorreu na mesma cerimônia.

O livro relata a história, desde a década de 60, da criação, sucesso e quase desaparecimento da indústria de blindados no Brasil, e de seu renascimento com o atual programa Guarani.

Os autores e o presidente da IDV LATAM entregam o primeiro exemplar ao general Paulo Sergio, comandante do Exército (Foto: Vandeir Alves dos Santos)

Como se trata de um livro institucional, sua aquisição deverá ser feita diretamente a IDV LATAM.

 

Copyright © 2021 todos os direitos reservados

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônica ou mecanicamente, exceto nos termos permitidos pela lei, sem a autorização prévia e expressa do titular do direito de autor.

14 Comentários

  1. Excelente notícia! O programa Guarani é um sucesso absoluto e estou muito ansioso para ver o VBTP rodando mundo afora, com os clientes de exportação. Parabéns aos srs. Bastos e Higuchi pelo livro!
    Tenho algumas perguntas:
    Se eu entendi bem, todas as 32 viaturas LMV foram entregues, correto? Há a previsão de contratação de novos lotes?
    Qual torre o EB deve priorizar no LMV: manual, Remax ou sem torre mesmo?
    Abraços!

    • ”O projeto, em sua forma original, prevê a aquisição de 186 unidades do LMV-BR e a Iveco Defence Vehicles espera iniciar a produção dos próximos lotes em 2022.”

  2. A alguma previsão de quando e quantos Guaranis de modelo comando/controle serão adquiridas pelo EB? a projeto em andamento já?

    Tendo em vista as necessidade atuais de inteligência poderia ja vir equipada com um lançador de drones leves de observação, com configuração catapulta/paraquedas, em seu teto. Algo compacto mesmo estilo cospe olha recolhe e movimenta

  3. Parabéns à Iveco pelo comprometimento e, principalmente, o EB pela aquisição. Torço para o desenvolvimento das demais versões do Guarani e, quem sabe, da versão de Rec.

  4. Parabéns Paulo Bastos Jr e Hélio Higuchi, pela história contada no livro em questão que ora passa a fazer parte da nossa história! As Forças Armadas se engrandecem muito com os seus fatos, no dia a dia, mas são eternizadas por esses brasileiros que escrevem para a eternidade!

  5. Paulo Bastos, considerando o “orçamento”. Qual sua opnião a respeito do gasto de +- 87 milhões com a mordenização do cascavel? Não seria razoavel esse dinheiro ser empregado na adapção de misseis anti-carro no guarani a exemplo do stryker americano?

  6. Paulo, boa noite.

    O que ocorreu com as 16 viaturas Linces entregues ao EB em 2018, em âmbito da Intervenção Federal no RJ? Eles permanecerão no Exército e NÃO estão na conta desses 32, é isso?

    Obrigado desde já

    • Elas estão operacionais e integradas ao 15º RCMec(Es), do Rio de Janeiro (RJ).
      Estas viaturas são Lince K2, diferentes dos LMV-BR.
      Sim, estes 16 permanecerão no EB e não estão na conta dos 32 LMV-BR.

  7. Paulo, as 186 VBMT-REC irão equipar os Pelotões de Exploradores os Esquadrões de Cavalaria. E qual a solução pretendida para equipar os Grupos de Exploradores nos Batalhões de Infantaria Mecanizadas e Blindadas? Seria uma contradição o EB não dotar as viaturas blindadas 4×4 nesses batalhões Guaranis, mantendo-os com o Marruás no Grupo de Exploradores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here