Guarani é o primeiro blindado da Brigada Pára-quedista

O 1º Esquadrão de Cavalaria Pára-quedista (1º Esqd C Pqdt), o “Esquadrão Coronel Ozíres”, organização militar subordinada a Brigada de Infantaria Pára-quedista (Bda Inf Pddt), recebeu sua primeira viatura blindada de transporte de pessoal  – média sobre rodas (VBTP-MSR) 6X6 Guarani, dentro do Programa Estratégico do Exército (Prg EE) GUARANI.

Os “Centauros Alados”, como é conhecido o Esquadrão, recebe finalmente seu primeiro blindado, o que configura um importante passo para a consolidação de seus meios como tropa de Cavalaria, consolidando, assim, sua doutrina de emprego do Esquadrão no âmbito da Brigada, já que dispunha apenas de viaturas leves e motocicletas para a função.

A viatura, que é prevista em quadro de dotação de material (QDM) do Esquadrão e orgânica das Seções de Mísseis Anticarro dos Pelotões de Cavalaria Pará-quedista (que também deverá receber mísseis Spike), pode ser aerotransportada por aeronaves C-130 Hércules e KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB), tendo a capacidade de ser empregada em pouso de assalto, no contexto de uma operação aeroterrestre.

As características da VBTP- MSR 6X6 Guarani, como proteção blindada e mobilidade, proporcionam ao Esquadrão a ação de choque necessária para o cumprimento de missões de reconhecimento e segurança em proveito da Brigada.

Fotos da Comunicação Social da Bda Inf Pqdt

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Comentários

12 respostas

  1. Prezado PAULO: temos notícias de ter havido um teste de transporte do Guarani, seja em um C130 ou no KC390?
    Não me parece ser viável o lançamento aéreo, devendo esta viatura ser desembarcada em pista com a aeronave parada. Há alguma previsão de lançar a partir de uma aeronave em voo?

    1. “…pode ser aerotransportada por aeronaves C-130 Hércules e KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB), tendo a capacidade de ser empregada em pouso de assalto, no contexto de uma operação aeroterrestre”. 😉
      Atualmente não dispomos de meios para lançar de paraquedas viaturas maiores que um Jipe Agrale Marruá.

  2. Em tempo: desejo um FELIZ NOVO ANO a todos! Que o excelente trabalho jornalistico do T&D continue sendo um sucesso.

  3. Prezado, apenas melhorando minha colocação anterior: entendo que o denominado “pouso de assalto” é executado com o aeronave rolando na pista, e não totalmente parada. Mesmo a essa operação (logicamente muito menos crítica do que com a aeronave a uns 10 m do chão) que me refiro parecer de difícil execução e com alto risco de falhas.

    1. Imagino que a Brigada PQD esta criando uma doutrina de emprego para este novo sistema de armas.
      Espero poder abordar este tema com mais informações em um futuro breve.

      1. Muito obrigado! Grande abraço! Reitero meus votos de um FELIZ ANO NOVO, com muita SAUDE e realizações para vc sua familia e todos os amigos do T&D.

  4. Paulo quais as vantagens dos paraquedistas operarem o Guarani em relação a uma brigada mecanizada ”pura”? Se a pista de pouso foi tomada por tropas aliadas eles podem muito bem transportar uma brigada mecanizada ou frações dela, não ?

    1. As vantagens são que uma Brigada é uma unidade militar independente, e deve ser capaz de cumprir suas missões da forma mais autônoma possível.
      Outra questão é que a tropa paraquedista, pela natureza de sua missão, além de tomar o terreno, tem que mantê-lo e garantir sua segurança até a chegada das demais tropas.

  5. Ótima notícia!
    Paulo, na sua opinião o Guarani tem potencial para ser para nossas forças armadas o que é o CV90 para as da Suécia, guardadas as devidas proporções por serem veículos diferentes?
    Lá eles utilizam essa plataforma em diversas variantes, o que parece ser muito vantajoso financeiramente. Sei que blindagem adicional pode ser equipada no Guarani, mas a original, acho que STANAG 2, pode tirar um pouco de sua versatilidade?
    Obrigado e saúde neste novo ano!

  6. Prezado Paulo
    Considerando que atualmente só podemos lançar de paraquedas o Marruá e levando em conta a missão primordial dos paraquedistas, o próximo a ser lançado do ar não poderia ser o Cascavel?
    Seria uma ajuda a mais na tomada e na manutenção do terreno.
    Abraço e um Feliz Ano Novo
    PS: escrevendo pela primeira vez aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL