França encomenda CAESAR MkII

O Ministério das Forças Armadas da França, através da Direção Geral de Armamentos (“Direction générale de l’armement” – DGA) anunciou o pedido de 109 obuseiros autorpopulsados 6X6 CAESAR MkII, de 155mm, a nova versão atualmente em desenvolvimento, à empresa Nexter, do grupo KNDS.

O CAESAR MkII substituirá, em um primeiro momento, os AUF1, que já estão em processo de desativação

Conforme a lei de programação de defesa (LPM) 2024-2030, o CAESAR 6×6 MkII substituirá primeiro o obuseiro autopropulsado sobre lagartas AUF1, que está no final de seu ciclo operacional, e a versão mais antiga (MKI) do CAESAR no Exército Francês.

As principais melhorias do CAESAR MkII estão relacionadas à mobilidade de proteção e capacidades de comunicação:

  • Incorporação de um novo motor de 460 CV (o anterior tinha 215 CV), uma nova caixa de transmissão automática e um novo chassis fornecido pela Arquus;
  • A cabine foi reforçada contra minas e projéteis balísticos para resistir a dispositivos explosivos improvisados ​​(IEDs) e munições de pequeno calibre. Este requisito foi definido durante as recentes operações da França no Afeganistão e na região do Sahel;
  • Possuirá um novo software de controle de tiro e gerenciamneto de campo de batalha, de última geração, e sua cabine já estará preparada para integrar a futura geração de estações de rádio NCT-t.

Uma informação relevante é que a DGA e a Nexter assinaram um acordo  que permite à França adquirir o CAESAR e serviços de apoio em nome de nações parceiras, que pode ajudar na aquisição de países como Ucrânia (que o utiliza em seu conflito com a Russia) e o Brasil.

No caso do Brasil, o Exército Brasileiro (EB) lançou, por meio do Comando Logístico/Chefia de Material (COLOG/Ch Mat), a consulta pública (“request for information” – RFI) para o projeto de aquisição de 36 viaturas blindadas de combate obuseiro autopropulsado 155mm sobre rodas (VBCOAP 155mm SR), com o seu respectivo suporte logístico integrado (SLI), dentro do Programa Estratégico do Exército Forças Blindadas (Prg EE F BId). Em agosto de 2023 foi a vez do pedido de proposta / pedido de licitação (“request for proposal” – RFP / “request for tender” – RFT), que deverá ser respondido até amanhã, dia 06 de fevereiro, pelas empresas interessadas em oferecer este sistema de armas à Força Terrestre.

A KNDS/Nexter irá apresentar, neste momento, a versão MkI, com opção de plataforma 6X6 ou 8X8, já com utilização operacional comprovada (conforme determinação do EB), mas com possibilidade de evolução até a versão MkII.

 

Com informações e imagens da KNDS/Nexter

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Um valor em torno de U$ 400 milhões, resultante de acordo entre o grupo britânico e o Exército da Dinamarca...

As tripulações estão prontas para operar, a bordo do novo blindado, em todos os contextos operacionais. A Escola de Cavalaria...

O grupo italiano Leonardo vem registrando importantes marcas neste início de 2024. Dentre as conquistas e acordos de cooperação recentemente...

No dia de ontem, 27 de fevereiro, representantes da Diretoria de Fabricação (DF) do Exército Brasileiro visitaram a empresa Ares...

Comentários

8 respostas

  1. Caro Bastos, sabe se os indianos vão apresentar algo para participar do programa VBCOAP? li que eles tem um obuseiro blindado 4×4 chamado MaRG de 155mm que consegue ser ainda menor e mais leve que o Caesar…fico feliz que o site tenha voltado, abraço e boa semana.

    1. Olá Rafael.
      Leia a matéria “VBCOAP 155mm SR – Uma análise do mercado” (https://tecnodefesa.com.br/vbcoap-155mm-sr-uma-analise-do-mercado/) que terá uma lista de todas as opções disponíveis no mercado (a exceção do BIA, apresentado na DSEI cerca de um mês depois da publicação, e do novo obuseiro 8X8 saudita, da SAMI/Zamil, que foi apresentado hoje na WDS), e os que realmente tem chance e o por quê delas.
      Sobre sua pergunta, é bem possível que sim, os indianos apresentem suas propostas, porém, caso isso ocorra, será pelo mesmo motivo que eles fizeram no projeto VBC Cav, ou seja, apenas “fazer vitrine” e tentar aparecer na mídia internacional com seu produto.
      Sobre ser mais leve, não posso lhe informar isso, já que não existem informações oficiais (ou mesmo confiáveis) sobre os projetos AWE Dhanush MGS 8×8 e o Bharat Forge MArG 155-BR 4×4 tem um tubo de 39 calibre e o requisito operacional absoluto 02 informa um mínimo de 52, além disso, ambos são apenas protótipos.

      1. Obrigado pela resposta caro Bastos, posso estar enganado, mas o MArG não é mais protótipo, a Armenia comprou, não?

        1. Por favor, leia com atenção o artigo citado.
          Nele é utilizada uma frase retirada de um dos documentos deste projeto:
          “somente ‘contrato assinado’ não caracteriza uma produção seriada”.

  2. oi paulo bastos vejo seus comentários com o caiafa falando sobre o obiseiro155 para execito brasileiro .queria saber obuzeiro tupa sistema é mesma configuração CAESAR Mk 2?

    1. O Tupã foi apenas um projeto do Avibras para o EB de um obuseiro que utilizasse a mesma plataforma do sistema ASTROS 2020 com o obuseiro e o berço da 1ª geração do CAESAR.
      Este projeto foi cancelado.

  3. Boa tarde Paulo,acha que esse obuseiro é o mais próximo de ser o escolhido pelo exército brasileiro,devido aos últimos desentendimentos com Israel ou o indiano pode entrar no páreo junto ao sistema Akashi que eles ofertaram em troca do KC-390?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Disponível

DISPONÍVEL