CTEx realiza testes nas viaturas Chivunck

No período de 24 a 28 de abril, foi realizada nas dependências do Arsenal de Guerra de São Paulo (AGSP) a primeira etapa dos testes de engenharia nas viaturas leves de emprego geral aerotransportável (VLEGA) Chivunck, como atividade de preparação para a avaliação e a verificação do andamento da adequação do lote piloto de dez unidades.

A equipe do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), composta pelo coronel Inácio e pelo primeiro-tenente Cavaignac, foram responsáveis pela realização de testes em cinco viaturas, contemplando as inspeções visual e funcional, do sistema elétrico, metrológica e ergonométrica, além de teste de rodagem em asfalto (rodovia) e de rodagem em qualquer terreno (QT).

O resultado final foi a comprovação da adequação de diversas soluções técnicas implementadas no Lote Piloto e a identificação de oportunidades de melhorias, as quais somente puderam ser observadas como fruto das inspeções e testes realizados. Ressalta-se a grande importância da realização dos testes de engenharia, “ainda em fábrica”, para a comprovação do atendimento aos requisitos do projeto, para correção e ajustes finais, além da verificação da maturidade tecnológica necessária para o avanço à fase de Avaliação.

A atividade foi desenvolvida com o apoio da equipe do AGSP, liderada pelo seu diretor, tenente-coronel Rivelino Barata de Sousa Batista, que proporcionou todas as condições para o êxito da missão realizada pelos integrantes do CTEx e evidenciou a sinergia dos integrantes do Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Exército (SCTIEx).

Fonte: Centro Tecnológico do Exército

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Para celebrar os feitos dos mais de 25 mil homens e mulheres brasileiros que lutaram na 2ª Guerra Mundial, o...

Desde 1º de janeiro de 2023, o dr. Artur José Dian ocupa o cargo de Delegado-Geral da Polícia Civil do...

Comentários

10 respostas

  1. Esse tipo de viatura seria utilizada como? Reconhecimento? Para a Brigada Pqdt? Os soldados não ficm muito expostos?

  2. Não entendo, as viaturas do exército brasileiro, tem a cara bisonha, parecem uns caco. Enquanto as viaturas norte americanas já dão medo só no olhar. Mas fazer o que né cada exercito te o que merece.

    1. Não são escolhidas pela estética. Não é a Chevrolet que está fazendo esses veículos leves, nem a Navistar, enfim é uma empresa brasileira e o objetivo é funcionalidade.

  3. torço pela aprovação do lote e compra de mais unidades. Gostava mais do design do gaucho,todavia. Mesmo ele sendo binacional.

  4. Correção: “A viatura Chivunk é um Produto de Defesa (PRODE) desenvolvido pelo Centro Tecnológico do Exército Brasileiro (CTEx) com base nas necessidades doutrinárias e operacionais das Forças de Ação Rápida (leia-se Brigada de Infantaria Paraquedista e Brigada de Forças Especiais).”
    Aí você me diz, qual que é mais barato e confiável nesse caso: licitação ou o próprio exército fazer? Acho que com isso podem fazer a licitação pra alguma empresa produzir.

  5. T&D podemos esta vendo o embrião de uma restruturação da infantaria paraquedista para uma brigada mais movel em termos de avanço de terreno?
    fora o estudo no Chivunk trazendo seu projeto pra tempos mais modernos sabem se ocorrerá testes de lançamento do mesmo de KC390?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL