Liderança global em identidade digital e segurança (LAAD 2019). Por € 4,8 bilhões, Thales conclui aquisição da Gemalto.

1
635
Juntos, os executivos Pascale Sourisse (executiva sênior vice presidente de desenvolvimento internacional da Thales e CEO da Thales International),  e Ruben Lazo (vice-presidente da Thales para América Latina) conduziram uma coletiva de imprensa, e logo após, Lazo concedeu uma entrevista sobre essa importante operação.

O Grupo Thales, um dos patrocinadores da 12ª edição da LAAD Defence and Security, realizada no Riocentro (Rio de Janeiro), concluiu a aquisição da gigante Gemalto por € 4,8 bilhões (euros).

Juntos, os executivos Pascale Sourisse (executiva sênior vice presidente de desenvolvimento internacional e CEO da Thales International),  e Ruben Lazo (vice-presidente da Thales para América Latina) conduziram uma coletiva de imprensa, e logo após o seu término, Lazo concedeu uma entrevista sobre essa importante operação.

Estande da Thales na LAAD 2019.

T&D: A aquisição da Gemalto pela Thales por € 4,8 bilhões de euros, concluída após um complexo processo de 15 meses, criou uma líder global em identidade digital e segurança, empregando 80 mil pessoas. O que isso representa para a América Latina, já que essa compra afeta diretamente a vida de milhões de pessoas?

Lazo: “A expansão do Grupo Thales abrange todas as tecnologias que sustentam a cadeia crítica de tomada de decisão das empresas, organizações e governos. Incorporando as tecnologias e o expertise da Gemalto, desenvolvemos soluções seguras para os principais desafios da sociedade conectada, como gerenciamento de tráfego aéreo não tripulado, segurança cibernética para dados e redes, segurança nos aeroportos e fronteiras ou segurança para transações financeiras. Somos capazes de entregar soluções de identidade digital e segurança baseadas em tecnologias como biometria, proteção de dados e, também, segurança cibernética. Fornecemos uma resposta contínua para nossos clientes, incluindo provedores de infraestrutura crítica como bancos, operadoras móveis, agências governamentais, empresas de serviços públicos e outros setores, à medida que estes se deparam com os desafios de identificar pessoas e dispositivos e manter seus dados seguros”.

T&D: Trabalhando em conjunto, Thales e Gemalto estão compartilhando tecnologias avançadas, base comum de trabalho para seus 80 mil funcionários. Como a área de Pesquisa e Desenvolvimento, que possui três mil pesquisadores e 28 mil engenheiros alocados em P&D, influirá no aprimoramento dessas capacidades?

Ruben Lazo (vice-presidente da Thales para América Latina).

Lazo: A Thales tem desenvolvido tecnologias de ponta para atender aos requisitos mais exigentes de clientes em todo o mundo por décadas. Hoje, o Grupo representa um laboratório robusto que constrói o mundo de amanhã, com um portfólio de 20.500 patentes, 400 delas registradas somente em 2018. A nova empresa cobrirá toda a cadeia crítica de tomada de decisão em um mundo interconectado e vulnerável, com capacidades que abrangem desenvolvimento de software, processamento de dados, suporte a tomada de decisões em tempo real, conectividade e gerenciamento de rede de ponta a ponta. Com € 1 bilhão por ano dedicado à P&D completamente autofinanciados, continuaremos a inovar em nossos principais mercados, e o Brasil é um deles, valendo-nos especialmente das experiências em Internet das Coisas, Big Data, inteligência artificial e segurança cibernética. As sinergias do grupo incluem o setor bancário (Análise de Big Data); Defesa (biometria); Aeroespacial (gerenciamento de tráfego não tripulado); Transportes (Internet das Coisas); Espaço (Internet das Coisas) e telecomunicações (Análise de Big Data).

T&D: A Gemalto tornou-se uma das sete unidades globais de negócios da Thales, denominada Digital Identity and Security (DIS), interagindo assim com todos os clientes civis e do setor de defesa do grupo em 68 países. Essa “capacidade global” nasce bem estruturada?

Lazo: Certamente, pois a Thales está expandindo consideravelmente suas operações na América Latina (de 600 para 2.500 funcionários), e investindo pesado no aumento da sua presença no norte da Ásia (de 700 para 1.980), no Sudeste Asiático (de 800 para 2.500), na Índia (de 400 para 1.150) e América do Norte (de 4.600 para 6.660). A segurança de dados é de vital importância. As organizações precisam ter uma nova visão de como implementam uma estratégia de segurança e criptografia de dados para dar suporte à sua transição para a nuvem e atender os mandatos regulatórios e de conformidade. Como mostra o nosso Relatório sobre Ameaça de Dados de 2019, chegamos agora ao ponto em que quase todas as organizações sofreram alguma violação. Como as violações de dados continuam generalizadas e comuns, as empresas de todo o mundo podem contar com a expansão da Thales para garantir sua transformação digital diante dessas ameaças contínuas”, finaliza o vice-presidente da Thales para América Latina.

Pascale Sourisse (executiva sênior vice presidente de desenvolvimento internacional da Thales e CEO da Thales International),e Ruben Lazo, vice-presidente da Thales para América Latina.

*Para mais resultados e práticas recomendadas de segurança, está disponível no link a seguir o download em português do novo Relatório Thales sobre Ameaça de Dados de 2019 – Edição Global.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here