Não custa esperar… (Fusão entre Boeing e Embraer).

0
3984
  • Boeing e Embraer estão definindo os detalhes da joint venture que vai controlar os negócios de aviação comercial da empresa brasileira.
  • A empresa americana será dona de 80% da área de jatos comerciais da fabricante brasileira.
A propalada separação entre a divisão de aviação comercial e a área de Defesa ainda permanece uma situação obscura, pois a fala da Boeing não “bate” com as declarações do Governo Brasileiro sobre a “intocabilidade” do negócio Defesa.

O acordo de fusão entre a Boeing e a Embraer já está formatado e pronto para ser anunciado, segundo fontes próximas as negociações em Brasília.

No entanto, o anúncio oficial só deverá acontecer após o mês de outubro e a definição das eleições presidenciais brasileiras.

Essa cautela por parte da Boeing se justifica.

A possibilidade de o vencedor nas urnas resolver melar o negócio para agradar o seu público, dependendo de quem for eleito, é real.

A Boeing confirmou em meados de agosto que o vice-presidente e chefe da área de sistemas na unidade de Defesa, Segurança e Área Espacial da companhia, Chris Raymond, será o executivo responsável diretamente por conduzir os trabalhos de integração das equipes de engenheiros da Embraer e da empresa americana.

A informação, dada pelo diretor financeiro da Boeing, Greg Smith, em evento para investidores organizado pela Jefferies, foi confirmada pela área de comunicação da Boeing  Brasil.

Segundo Greg Smith, Raymond colaborará com seus parceiros na empresa brasileira para integrar o lançamento de linhas de produtos e outras capacidades. Chris é um veterano. Começou na Boeing em 1986 como engenheiro.

Chris Raymond em 2013, durante anúncio de acordo sobre a comercialização do KC390: Boeing já namorava a Embraer bem antes dessa foto ser feita. (Imagem: Roberto Caiafa)

O executivo também conhece bem a empresa brasileira, pois em 2013 participou da formação de uma parceria visando a promoção e a venda da aeronave multimissão de transporte militar de médio porte e reabastecimento aéreo com capacidades avançadas denominada KC390.

A parceria foi anunciada no Salão de Le Bourget daquele ano (foto).

Farnborough 2018, o evento decisivo

A recente participação da Embraer em outro salão aeroespacial europeu, Farnborough (Reino Unido), onde exibiu seu novo jato comercial 190E2 e o transporte militar KC390, serviu também para as duas corporações alinharem as últimas pontas soltas do acordo.

A Embraer chega ao FIA 2018 em um momento decisivo: acordo com a Boeing pode selar o destino da empresa. 190-E2 é o grande destaque com sua pintura de “boca de tubarão”.

Ao lado de Paulo Cesar de Souza e Silva, CEO e presidente da Embraer, e Dennis Muilenburg, CEO e presidente da Boeing, Greg Smith teve a oportunidade de compartilhar a visão de como a empresa norte-americana planejou construir uma parceria profunda, beneficiando funcionários e clientes em ambos os países, Brasil e Estados Unidos.

As tratativas formais entre as empresas para a concretização desse negócio foram iniciadas em dezembro de 2017, depois formalizadas em memorando de entendimento assinado em julho último.

Deve-se ressaltar que essa negociação ainda precisa percorrer os processos de aprovações nas assembleias de acionistas das duas companhias, dos governos brasileiro e americano e dos órgãos reguladores de aviação e de concorrência.