Museu Central da Força Aérea Russa em Monino será fechado.

0
1997
Enquanto as aeronaves mais antigas são armazenadas em hangares climatizados, mais de 90 caças MiG e Sukhoi, aviões Tupolev, helicópteros Mil e enormes aviões Antonov e Ilyushin ficam frente a frente em um campo, com asas e rotores carregados de neve no inverno.

Um plano do Ministério da Defesa da Rússia para fechar o Museu da Força Aérea Central em Monino foi vazado online, segundo o diário britânico The Telegraph.

Uma ordem assinada pelo ministro da Defesa, Sergei Shoigu, e vazada na internet, revelou um plano de dois anos para fechar o museu e transferir algumas de suas peças para o Patriot Park, a “Disneylândia militar” aberta por Vladimir Putin em 2015.

Lá eles se tornarão exposições interativas no que o Ministério da Defesa russo afirma ser o maior museu de aviação militar do mundo, com mais de um milhão de metros quadrados de área.

Os antigos pilotos do museu Monino, conhecedores que são das máquinas ali guardadas, argumentam que a desmontagem dos velhos aviões e posterior transporte para o Patriot Park poderão danificá-los irreparavelmente.

“Que patriotas são eles se estão destruindo a história?” disse Alexei Drachyov, um ex-piloto que voou vários jatos de combate hoje expostos no museu. “Eles vão cortar os aviões e não serão capazes de juntá-los novamente. É metal velho, você não pode soldar.”

Os cinco departamentos de design que produziram a maior parte das aeronaves (MIG, Sukhoi, Ilyushin, Antonov e Tupolev) também advertiram contra a movimentação deles.

“Os aviões perderão seu valor histórico e técnico, tornando-se mock-ups de curta duração”, disse uma carta do complexo de aviação Ilyushin.

As 194 aeronaves do museu recebem a visita de 250.000 pessoas por ano, uma jornada através de marcos riquíssimos da história da aviação, desde o primeiro bombardeiro de quatro motores construído em 1913 até o Tupolev Tu-144, que derrotou o Concorde para se tornar o primeiro avião de passageiros supersônico.

Aviões únicos incluem o MiG-15, no qual Yury Gagarin e Valentina Tereshkova, o primeiro homem e mulher no espaço, aprenderam a voar.

Enquanto as aeronaves mais antigas são armazenadas em hangares climatizados, mais de 90 caças MiG e Sukhoi, aviões Tupolev, helicópteros Mil e enormes aviões Antonov e Ilyushin ficam frente a frente em um campo, com asas e rotores carregados de neve no inverno.

O terreno do museu deverá ser transferido para a cidade de Monino, aumentando os rumores sobre especulação imobiliária que deverá eliminar os últimos vestígios da antiga academia e aeródromo, inaugurada em 1932 e que hospedou uma unidade de bombardeiros durante a Grande Guerra Patriótica (2ª Guerra Mundial).

Em resposta aos relatos sobre a mudança, o Ministério da Defesa disse que uma comissão estava considerando medidas para preservar as aeronaves, que estavam “sofrendo os efeitos desfavoráveis do clima”.

“Monino não é um museu agora, é apenas um estacionamento com aviões”, disse o comandante da Força Aérea, Vladimir Mikhailov, a um jornal russo.

Funcionários do museu dizem que as más condições do acervo se devem a falta total de financiamento estatal para manter as aeronaves. Pesquisado, o site de compras governamentais do Governo Russo mostrou gastos apenas em serviços públicos essenciais, manutenção de edifícios (instalações), e gastos com a impressão de folhetos sobre o museu.

Voluntários se reúnem todos os sábados para limpar a neve e restaurar os aviões, um trabalho que não tem qualquer apoio oficial do Governo Putin.

Defence minister Sergei Shoigu and president Vladimir Putin examine weapons in the Kalashnikov shooting centre at Patriot Park CREDIT: ALEXEI NIKOLSKY/TASS VIA GETTY

Em contraste, o governo russo teria investido pelo menos 236 milhões de libras esterlinas no Patriot Park, onde eventos espetaculares como uma corrida anual de tanques, reunindo países operadores, mostram ao mundo a ressurreição do poderio militar russo sob o comando de Putin.

À luz de um relatório de 2015 ligando um palácio de pagode de 12 milhões de libras ao ministro da Defesa Sergei Shoigu, cuja renda declarada da família para 2010-12 era de apenas 1,8 milhão de libras, alguns suspeitam que a corrupção e lavagem de dinheioro possam estar motivando a transferência das aeronaves de Monino.

“Qual é o uso desse movimento?” perguntou Vladimir Yurtayev, engenheiro elétrico que estava visitando o museu com sua esposa e dois filhos “Não é de nenhuma utilidade para as pessoas, é de uso apenas para aqueles que querem encher seus bolsos.”

Vídeo produzido por banda de rock russa (Biting Elbows) tem seu ponto alto no Museu Central da Força Aérea Russa em Monino.