Mikoyan e Gurevich em Sulamérica: Os caças MIG-29 do Peru!

0
4265
MIG-29 SMP, Força Aérea do Peru (Foto: Miguel Hernandes / Spotters Peru)

Uma pergunta foi feita várias vezes durante a Cruzex 2018, guerra aérea simulada internacional realizado em Natal (RN): por que a Força Aérea do Peru não enviou os seus MIG-29 para participarem do exercício?

Media Flight: a atividade envolveu sete aeronaves de caça em formação. Voaram um Embraer A-1BM AMX modernizado e um Northrop F-5EM modernizado, dois Viper F-16 (USA e Chile), um A-37B DragonFly (Uruguai), um Dassault Mirage 2000BP biplace (Peru), um A-4K Skyhawk (AF-1B Falcão) da Marinha do Brasil, este fazendo o seu debut no exercício. (Foto: Roberto Caiafa)

De fato, a FAP designou seus Dassault Mirage 2000P de um e dois lugares (modernizados) para tomarem parte no treinamento, mas ficou aquele “gostinho de MIG-29 que não veio” em muita gente…

O caçador da Russian Aircraft Corporation MiG

No Grupo Aéreo Nº6 de la Fuerza Aérea del Perú (FAP), há quase 22 anos, um pássaro russo presta serviço na defesa do País andino, o caça Mikoyan e Gurevich MiG-29 Fulcrum.

O governo do Peru adquiriu 18 exemplares na Bielorrússia em 13 de maio de 1996 por cerca de US$ 252.052.040, valor do denominado contrato Vulcano.

Em 14 de julho de 1998, outros US$ 126.993.000 foram alocados para a compra de três caças MiG-29SE adquiridos novos da Rússia.

Entre o final dos anos de 1990 e 2008, a empresa russa RAC MiG trabalhou com técnicos peruanos para modernizar oito aeronaves MiG-29 daquela Força Aérea para o padrão SMP. O Grupo Aéreo 6 da FAP, com sede na cidade de Chiclayo, é a base desses aviões.

O trabalho, segundo os peruanos, aumentou a capacidade de transportar armas, incluindo munições inteligentes para missões de ataque ar-solo, como os mísseis PKR Ch-31A, PRLR Ch-31P e UR Ch-29.

Os jatos foram equipados com novo lay-out de cockpit e novos equipamentos de comunicação e navegação, além de um radar de geração atual.

O incrível design aerodinâmico do OKB MIG aparece bem nessa imagem: duas derivas anguladas para fora, estabilizadores além do corte da cauda, instalados baixo para evitar o fluxo aerodinâmico das asas, fuselagem e asas fundidas através do uso das extensões aerodinâmicas dos bordos de ataque das asas ou LERX, tal design criando uma transição suave de um corpo de sustentação, e dois túneis para os motores com espaço no meio para tanques extras de combustível ou mísseis/bombas/sistemas de reconhecimento (como visto no F-14 Tomcat). O desenho do MIG-29 é muito similar, em termos aerodinâmicos, ao YF-17 Cobra, o avião que deu origem ao mais pesado F-18 Hornet e Super Hornet.

Coroando as modificações, os MiG-29 SMP foram compatibilizados para dispararem mísseis ar-ar R-77 ou Amraamski.

O valor da modernização para um segundo lote de oito aeronaves foi avaliado em US$ 106 milhões, através de um contrato assinado entre o Ministério da Defesa do Peru e a SAC Aviamir, a filial peruana da MiG, em agosto de 2008.

Os trabalhos foram concluídos e as aeronaves entregues ostentando um novo padrão de pintura em baixa visibilidade.

Desse modo, a FAP alinha em sua ordem de batalha 19 caças MiG-29, sendo dois da versão MiG-29UB de dois lugares.

MIG-29UB da FAP. Esses aviões de dois lugares possuem um radar mais simples, de curto alcance e indicado para treinamento.

Duas aeronaves foram perdidas em acidentes, uma por desorientação espacial do piloto e a outra por avaria mecânica.

Spotters Peru 

MIG-29 SMP modernizado da FAP.

A Revista Tecnologia & Defesa agradece aos fotógrafos Spotters Peru Miguel Hernandez e César Mercado pelas incríveis imagens que ilustram este artigo.

MiG-29M2 para o Peru?

Em agosto de 2017, o Governo do Peru enviou  uma delegação de pilotos, dois tenentes generais e um coronel da Força Aérea, a Moscou.

Todos pilotos experientes da linha de caças MiG-29, que há mais de 20 anos servem no Peru.

O Poder Executivo formalizou em 31 de outubro último a nomeação do tenente-general FAP Rodolfo García Esquerre como comandante geral da Força Aérea do Peru, em substituição a Javier Ramírez Guillén. Rodolfo García Esquerre nasceu em 16 de janeiro de 1961 em Lambayeque. Ele se juntou à Força Aérea em 1978 e se formou como Ensign em 1982. Ele é qualificado em armas, comando e combate como piloto de caça.

O então inspetor geral da Força Aérea do Peru, o tenente-general Rodolfo García Esquerre, realizou voos de teste em um MiG-29M2 para conhecer as capacidades do novo aparelho.

Em outubro de 2018, Esquerre foi anunciado pelo novo governo eleito como o novo comandante geral da Força Aérea do Peru.

O biplace mantêm certa capacidade operacional, embora possua alcance menor pela presença do segundo assento. O periscópio disponível ao posto de trás, utilizado pelo GIB (the guy in the back) serve para compensar a pobre visibilidade a frente.

O MiG-29M2 é um caça de superioridade aérea com capacidade de carga aumentada, tem uma velocidade de 2.100 km/h, pode levantar cerca de 4.500 kg de carga útil, e está armado com um canhão de 30 milímetros.

Seu novo radar integrado permite-lhe traquear até 10 alvos simultaneamente e atacar quatro deles ao mesmo tempo usando mísseis BVR como por exemplo, o R-77 da Vympel.

O míssil BVR Vympel R-77