O Exército Britânico começa a utilizar o Sky Sabre

1
2287

Por Aurelio Giansiracusa, Ares Osservatorio Difesa

O 16º Regimento Real de Artilharia do Exército Britânico, unidade que gerencia a defesa antiaérea de curto alcance, anunciou que começou a treinar com o sistema de mísseis antiaéreos Sky Sabre, da MBDA. Composto por quatro baterias operacionais, uma das quais permanentemente estacionada nas ilhas Falklands/Malvinas, atualmente está equipado com sistemas de mísseis Rapier (24 lançadores) que, apesar das atualizações recebidas durante a longa vida operacional, não representam mais o “estado- da-arte”. Para a substituição imprescindível, o Exército de Sua Majestade escolheu o míssil MBDA CAMM.

Sea Ceptor

(Imagem: MBDA)

A primeira versão operacional CAMM (Common Anti-Air Modular Missile) a ser apresentada foi a naval, conhecida como Sea Ceptor, selecionada pela Marinha Real (Royal Navy) para aposentar os Sea Wolf, que entraram em serviço no final da década de 1970, sendo ainda empregada na modernização das fragatas Type 23 e vão dotar as novas Type 26, inclusive as belonaves compradas pelo Canadá. Também foi escolhida pela Nova Zelândia para as fragatas da Classe Anzac.

A Marinha do Brasil anunciou a opção por esse sistema para equipar sua nova Classe Tamandaré, que espera-se esteja em serviço nos próximos anos, e o Chile está estudando utilizá-lo nas três fragatas Type 23, adquiridas de segunda mão do Reino Unido.

Espada dos Céus

Sky Sabre é o nome aposto pelo Exército Britânico ao sistema terrestre do CAMM, que  é constituído por lançadores óctuplos, radar de vigilância e detecção aérea Saab Giraffe, um sistema BMC4I fornecido pela israelense Rafael, unidades de comando de fogo (FCC/CRC),  todos instalados em caminhões, sendo que os lançadores o são em veículos MAN SV H60 8X8 equipados com guindaste.

O Rafael BMC4I, ou sistema de gerenciamento de batalha, de comando, controle, comunicações, computadores e inteligência (Battle Management Command, Control, Communications, Computers, and Intelligence), está conectado a um centro de controle de fogo principal e um secundário, que podem atuar de forma autônoma ou independente.

O radar Saab Giraffe 3D Agile Multi Beam (AMB) é um sensor passivo com varredura eletrônica para vigilância, detecção e rastreamento de alvos que opera na banda G/H que opera a 360° com um alcance máximo de 120 km. O míssil usa o “lançamento suave”, que faz uma ejeção “a frio”, a até uma altura de 30 metros quando dá a partida no motor. O sistema é projetado para engajar aeronaves e drones voando baixo e mísseis de cruzeiro.

Imagens:  16 Regimento Real de Artilharia

Características

  • Alcance mínimo: < 1 km
  • Alcance mínimo: > 25 km
  • Velocidade: Mach 3
  • Peso: 99 kg
  • Comprimento: 3,2 metros
  • Diâmetro: 166 mm
  • Sistema de guiagem: Em vôo recebe atualizações via link de dados e na fase final do engajamento o buscador de radar ativo é ativado

Nota de Tecnologia & Defesa

O CAMM é um dos misseis cotados nos estudos do Exército Brasileiro, no âmbito do Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea (Prg EE DAAe), e Ministério da Defesa que, em 11 de dezembro de 2020, estabeleceu os Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC Nº 54/2020) para o sistema de defesa antiaérea de média altura para as Forças Armadas nacionais, em um sistema similar ao Sky Sabre, mas com componentes desenvolvidos no Brasil.

Concepção artistica do Avibras AV MMA com o míssil CAMM. Se o Brasil partir para um desenvolvimento que realmente envolva a industria nacional, a Avibras já possue alguns projetos de integração (Imagem: Avibras Aerospacial)

1 Comentário

  1. Essa é a diferença de gestores públicos de países considerados desenvolvidos, de gestores medíocres de republiquetas de bananas, como o o Brasil… Lá se busca potencializar a utilização de equipamentos, aqui, na base do cada um por si e nos interesses de alguns por comissões de compra de equipamentos estrangeiros, boicotam o desenvolvimento autóctone de sistemas e armamentos, vide o caso do projeto A-Darter… A muito venho questionando os investimentos e aquisições de sistemas equivalentes ao nosso, com a desculpa de quê nunca está pronto… Óbvio, nunca estará quando se desvia o foco e os recursos…
    É o que diferencia país sério, de republiquetas…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here