LMV-BR agora se chama GUAICURU e mais viaturas vão chegar

Após pesquisa interna, as viaturas blindadas multitarefa – leve sobre rodas (VBMT-LSR) 4X4 LMV-BR, da IDV, incorporadas há pouco tempo na Força Terrestre, foram batizadas com o nome de “Guaicuru”, em homenagem a uma tribo indígena guerreira, que habitava os sertões do Centro-Oeste brasileiro e que era famosa por utilizar cavalos para caçar e atacar seus inimigos.

As VBMT 4X4 Guaicuru foram adquiridas após uma grande  concorrência internacional, que avaliou diversos modelos e  selecionou o da IDV.  Em 2019 foi assinado um contrato inicial de compra de 32 unidades, com opção para mais dois lotes de 77 (totalizando 186 viaturas), e sua incorporação ocorreu em agosto do ano passado.

Renegociação do contrato

Na ultima terça-feira, dia 01 de agosto, ocorreu uma reunião (por videoconferência e presencial) para tratar de assuntos relativos à renegociação do Contrato 120-COLOG/Dmat, que concerne à aquisição das VBMT Guaicurus, dentro Projeto Guarani do Programa Estratégico do Exército Forças Blindadas.

A reunião ocorreu nas dependências do Escritório de Projetos do Exército (EPEx) com a presença de representantes da Diretoria de Fabricação (DF), da Chefia de Material (Ch Mat, ex-DMat), do Centro de Obtenção do Exército (COEx) e da Assessoria de Apoio para Assuntos Jurídicos do Estado-Maior do Exército (EME),  e seu objetivo foi de apresentar as informações da proposta para aumentar as quantidades a serem adquiridas.

Com informações do Escritório de Projetos do Exército

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) planeja testar uma das mais avançadas tecnologias de imageamento por satélite. Isso será...

A IACIT fortaleceu sua posição no mercado ao estabelecer uma colaboração estratégica com a Omnisys Engenharia, subsidiária da Thales, e a Meteomatics,...

A MBDA assinou uma emenda contratual com a Organização para Cooperação Conjunta em Armamento (OCCAR) para aumentar as capacidades técnicas...

A equipe de Tecnologia & Defesa esteve a bordo do super navio-aeródromo USS George Washington (CVN 73), um navio de...

Comentários

19 respostas

      1. Bastos, como é tu o especialista, me diga uma coisa: o LMV vai ser utilizado nas brigadas mecanizadas aqui, mas onde os EUA metem tanto JLTV?

      2. Paulo Bastos um Abraço, sou seu Fã , seu trabalho é muito importante para nós.
        Apreça lá no YouTube Irmão

  1. Interessante escolha de nome, combinou bem com a família Guarani. Uma pergunta: o Centauro II vai manter esse nome ou vai receber um nome de tribo indígena também?

    1. Depois dessa alteração do nome do Lince, tudo leva a crer que ocorrerá o mesmo com o Centauro, né? Questão de tempo.

  2. Putz, mais um nome para ser abreviado.
    Agora estou em dúvida, se chama GUAI, GUAICU, CURUS.
    Bhahhhh Tcheeeee
    Só Nois.

    1. O pessoal de uma unidade da Petrobras em Catu/BA dizia Cativis, que era pra evitar a rima, então pode ser Guaicurivis, rs.

  3. Excelente notícia, e que venham muitos mais, a guerra da Ucrânia está mostrando que este tipo de veículo é muito importante para os atuais e futuros conflitos, sendo que seria lógico pensar se teremos mais de 1000 Guaranis o Guaicuru tem bastante espaço para crescer, até porque apesar de gostar do Agrale Marruá, não se pode usar na linha de frente sem proteção aos combatentes.

  4. Excelente notícia caro Bastos, acredito que Guaicuru é o substituto direto do marruá Rec (sempre na vanguarda da tropa) fizemos uma excelente escolha.

  5. Quanto custa uma unidade apenas? É possível um civil comprar, mesmo que seja sem armamento e a blindagem? É um sonho ter um veículo off-road de verdade igual esse.

  6. Um bom nome para o Centauro ,séria Sucuri III , uma bela homenagem para as cobras guerreiras da cavalaria , netas da snake smoke.

  7. Linda aquela torre Remax mk2, imponente com certeza.

    Paulo, há notícias sobre a UT30 br2 ?

  8. Acho desnecessária essa troca “politicamente correta” de nomes, talvez agora o Centauro passe a se chamar Juruna, quem sabe …
    Por outro lado, penso que essa nova REMAX poderia ter variantes com 02 canos de 12,7mm ou ate uma versão com a metralhadora de 12,7mm e o complemento de um lançador de granadas que tambem seria remotamente controlado.

  9. Se seguirmos os nomes indígenas… o Centauro II poderia se chamar Charrua nome da 2 Bda C/Mec, que seria a unica Brigada indígena, ainda não homenageada Guaicurus (4. Bda C/ Mec) e Guaranis (15. Bda Inf Mec)… Enfim futurologia, abraços senhores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL