Exército irá revitalizar seus obuseiros autopropulsados M109A3

O Exército Brasileiro (EB) publicou a Portaria nº 1.300-EME/C Ex, de 23 de abril, que aprova a diretriz de implantação do projeto de revitalização das viaturas blindadas de combate obuseiro autopropulsado (VBCOAP) M109 A3 (EB20-D-08-073), dentro do Subprograma Sistema de Artilharia de Campanha (SPrg SAC), agora parte integrante do Programa Estratégico do Exército ASTROS (Prg EE ASTROS).

O objetivo do projeto é restaurar as capacidades operacionais e prolongar a vida útil de 27 VBCOAP M109A3 (fabricadas em 1978 e 37 adquiridas usadas do Exército Belga no final do século passado), integrando-as ao subsistema Linha de Fogo e os demais subsistemas da Artilharia de Campanha, ser integrada ao Sistema Digitalizado de Artilharia de Campanha (SISDAC), e permitir que atuem em conjunto com os sistemas mais modernos da Força Terrestre, incluindo as futuras VBCOAP SR ATMOS, com a utilização de munições modernas.

 A revitalização dos M109A3 será favorecida pela existência de outras viaturas blindadas da
família M109 em utilização pelo EB, facilitando a execução das funções logísticas, em especial as funções suprimento, manutenção e transporte. Ademais, já existe estrutura de revitalização e pessoal especializado e que desenvolveu o “know how” por meio das revitalizações anteriores do M109A5 e M992. Soma-se isso ao fato de ser uma das plataformas de Artilharia mais tradicionais e bem-sucedidas do mundo. Foi largamente adotada pelo Exército Americano durante a Guerra do Golfo, sendo a base da Artilharia autopropulsada na maioria dos exércitos ocidentais.

Este projeto ficará obre a responsabilidade do Comando de Artilharia Divisionária da 3ª Divisão de Exército (AD/3) e sua execução ocorrerá no Parque Regional de Manutenção/5 (Pq R Mnt/5), localizado em Curitiba (PR).

CRONOGRAMA

A previsão é que a revitalização inicie ainda este ano e se estenda até 2028.

  • 2024: revitalização de duas VBCOAP M109A3;
  • 2025: revitalização de seis VBCOAP M109A3;
  • 2026: revitalização de oito VBCOAP M109A3;
  • 2027: revitalização de oito VBCOAP M109A3; e
  • 2028: revitalização de três VBCOAP M109A3.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Na tarde de sábado, dia 18 de maio, a aeronave KC-390 Millennium FAB 2858 realizou lançamento de donativos e materiais...

O Comando Militar do Nordeste (CMNE), nesta quinta-feira, dia 16 de maio, enviou um Hospital de Campanha (H Cmp) para...

Empresa do Grupo Embraer participa de debate sobre soluções tecnológicas que estão moldando o futuro dos grandes centros urbanos As...

Hoje, dia 16 de maio, às 18:00hs, será lançado o livro “Segurança Escolar – Prevenção multidisciplinar escolar contra-ataques ativos”, de...

Comentários

25 respostas

    1. Bom dia, até onde sei os 32 primeiros M109A5 foram modenizados, e outros 65 M109A5 foram revitalizados.
      A decisão de revitalizar esses M109A3 Provavelmente se deve ao fato de não haver mais M109A5 para doação pelos EUA, e que a revitalização dos A3 devem ser menos onerosa também.

    1. Por que? São obuseiros válidos e capazes. O ATMOS vai substituir o obuseiro auto-rebocado M114 em algumas das Unidades que hoje ainda o operam. A quantidade de 36 ATMOS, teoricamente, poderia substituir o M114 em 3 GAC.

    1. Não, estes são os da versão A3, adquiridos dos Belgas e que começaram a chegar em 1999.
      Acredito que esteja confundindo com os da versão A5+BR, bem mais recentes e modernos.

    1. Não, serão apenas revitalizados e terão instalados novos sistemas de comunicação para integrar com o Genesis

  1. Bastos, existem planos do EB de revitalizar ou trocar os obuseiros rebocados? pois pelo o que eu entendi não é intenção do EB substituir todos os obuseiros rebocados que temos pelo ATMOS

    1. O projeto de substituição dos autorebocados já está em estudos e, em breve, teremos mais noticias sobre isso em T&D

      1. vi algumas pessoas dizendo que autorebocado era coisa do passado, que agora seriam substituidos por autopropulsado

        1. O conflito da Ucrânia demostra ainda a importância desse tipo de material bélico, fora que existem muitos unidades pelo mundo todo ficaria difícil substituir todas.

  2. Boa tarde amigo Paulo Bastos o senhor sabe quantos M109A5 foram recebidos dos EUA e quantos foram revitalizados? vieram peças de reposição pra esses blindados?

    1. essa resposta de manda dois segmentos:

      1. o exército brasileiro recebeu 32 peças M109A5 do exército americano e que foram modernizadas nas fábricas da BAE nos EUA e convertidas ao padrão M109 A5 + BR;

      2. posteriormente recebeu a doação de 60 m 109 a 5 no estado e que 40 foram revitalizados no Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar. Como esses obuseiros eram usados foi feita uma triagem para obter as melhores unidades e posteriormente as demais foram usadas como fonte de itens de suprimento para as peças a serem reparadas

      1. Complementando , junto com os 32 modernizados vieram 8 não modernizados, a primeira leva do M109A5 somou 40, depois vieram outros 60 via FMS , totalizando 100, uma parte será pra reserva de peças.

        1. Acredito que seja isso mesmo.
          quantidade de respeito dentro de nosso teatro de operações.

  3. prezados,

    Há muito tempo que é sabido dentro da Força Terrestre que as VBCOAP M109 A3 seriam modernizadas.

    a próxima unidade transformada em AP será o 27° GAC. de Ijuí subordinado a AD/3

    É com fogo que se ganha as batalhas!

  4. Boa tarde Bastos ! Obrigado por mais uma boa noticia sobre a Rainha das Armas !
    O texto indica modernizacao de 27 VBCOAP M109A3 , ficariam de fora 10 unidades que nao serao modernizadas , é isso ?
    Fico curioso de pq nao modernizar todas as unidades , afinal existe uma carencia de unidades de artilharia 155 mm no mercado , pela demanda da Ucrania .
    Ontem mesmo li uma materia sobre a doacao de M114 gregos e portugueses para Ucrania :
    https://en.defence-ua.com/news/how_m114a1_howitzers_that_greece_sends_to_ukraine_can_help_on_battlefield-9849.html

  5. Boa noite, Bastos.
    Estamos vendo nos últimos dias que o país está fazendo um investimento pesado na artilharia de campanha.
    Gostaria de saber sobre a artilharia antiaérea, tem novidades?

  6. prezados,
    Em breve teremos a definição dos 48 obuseiros de 155mm que a Força Terrestre está adquirindo.
    Aguardem novidades podia da Artilharia!

    Parte dos M109 A5 que não estão distribuídos nas OM de Artilharia serão modernizados para o padrão M109 A5+ BR com suporte da BAE SISTENS, para completar a dotação dos 3° e5° GAC AP.
    Hoje cada unidade é quaternaria e cada BO tem GAC quatro peças.
    E as BO receberão um inclemento de mais duas peças, ficando os dois Grupos com 24 bocas de fogo. Então teremos mais 16 M109 A5+ BR divididos para o 3° e 5°

    Com relação aos ATMOS, estes devem ir para as brigadas de infantaria mecanizada, tendo em vista vários estudos apontarem pra inadequação de se mobiliar os Grupos orgânicos das brigadas “Guarani” com peças AR. tendo se mostrado que as peças rebocadas não conseguem acompanhar na mesma velocidade os elementos de manobra na marcha para o combate.

    com relação ao material de 105mm, existem tratativas avançadas com a BAE para a compra de uma quantidade próxima a 100 peças do L119 pertencentes a propia empresa. Estas peças serão modernizadas nos Arsenais de Guerra do Exército.
    Estas peças de 105mm serão destina-se aos 1°e 10° GAC de selva, 8°GAC pqd, 2° GAC Aeromovel e ao 4° GAC de montanha e mais um GAC das brigadas motorizadas que serão transformadas em BDA de infantaria leve.
    O restante da Artilharia sera completado com novas peças de 155mm AR e novas unidades do ATMOS

    Peço desculpas aos amigos por alguns erros, sou apenas um velho artilheiro, e ando meio enferrujado.

    É com fogo que se ganha as batalhas!

  7. Muito bom, Silvio!
    Com essas aquisições (L119), os Oto-Melara M56 serão substituídos, correto?
    Os L118 atuais deverão continuar operando, não?
    Com a aquisição de 48 novos AR 155mm e 36 ATMOS será possível substituir todos os M114?
    Acredito que, mesmo com todas essas aquisições, ainda teremos Grupos operando os M101. Sabe se a intenção é substituí-los por novos 105mm ou “subir” para 155mm? É a isso que você se refere no final do seu texto?
    Um abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL