Exército das Filipinas recebe sistema de artilharia ATMOS

13
4255
Imagem: Elbit Systems

No dia 29 de dezembro, o site filipino MaxDefense, através de suas redes sociais, publicou fotos do desembarque de oito viaturas obuseiro autopropulsados sobre rodas ATMOS (Autonomous Truck Mounted Howitzer System), fabricadas pela israelense Elbit Systems, no Porto de Manila.

As viaturas, equipadas com um obuseiro de 155 mm e 52 calibres, sobre um caminhão MAN 6X6 com cabine blindada, foram adquiridos dentro do programa de modernização das forças armadas das Filipinas. Além destas  unidades, foram vistos veículos de apoio que também utilizam caminhões MAN.

De acordo com declarações do secretário de Defesa das Filipinas, Delfin Lorenzana, o contrato da ATMOS tem um valor de US $ 47,2 milhões, para o fornecimento e entrega de 12 unidades, que integrarão duas baterias, sendo que as quatro restantes tem previsão de entrega para 2022. Este foi um dos acordos feitos entre as Filipinas e o Departamento de Assistência Exterior e Exportações do Ministério da Defesa do Estado de Israel (SIBAT) para a aquisição de material de defesa, similar ao da venda dos VBTP-MSR 6X6 Guarani ao país.

As Filipinas são agora o segundo país da Ásia a adotar este sistema de armas, em uso desde 2014 pela Tailândia, e que também desperta interesse do Exército Brasileiro, no âmbito do projeto viatura blindada de combate obuseiro autopropulsado 155 mm sobre rodas (VBCOAP 155 mm SR), criado em junho de 2020. Caso escolhido, este sistema poderia ser integrado em uma plataforma nacional pela Ares Aeroespacial e Defesa, com o sistemas embarcados da AEL Sistemas, ambas do Grupo Elbit.

Fotos publicadas pelo MaxDefense Philippines

13 Comentários

  1. Boa madrugada a todos os Senhores Camaradas do TECNODEFESA.

    Inicialmente deseja ao Sr. Paulo Bastos e demais colaboradores do espaço TECNODEFESA, muita felicidade, paz e principalmente saúde, pois com ela as demais coisas, com a competência dos senhores tudo será alcançado, eu não tenho duvidas.

    Quanto os post, fico feliz em ver o ATMOS, alcançando voos mais ousados.

    Ficarei mais feliz ainda se este for o sistema adotado para nosso EB e quem sabe de quebra para o CFN também. O CAESAR é um similar a altura, mas chega de dar dinheiro para a França se modernizar e armar-se, enquanto nos detona na mesa do G7 no tocante ao TO Amazônico brasileiro.

    CM

    • “[…] mas chega de dar dinheiro para a França se modernizar e armar-se, enquanto nos detona na mesa do G7 no tocante ao TO Amazônico brasileiro.”

      Assino embaixo. Bom ver que há pessoas que estão fora dessa moda contemporânea do “pragmatismo” e pensam de maneira estratégica a longo prazo, sem se jogar nos braços da facilidade do curto prazo.

    • Apesar de nossas forças armadas ter como a Europa, seu mercado internacional de compras militares, já está na hora de se afastar um pouco dela e buscar por outras soluções. Os israelenses já demonstraram confiança e possuem parcerias estratégicas com o Brasil há décadas. Vale lembrar que, a MB, por exemplo, sentiu o atraso na questão do submarino, tanto que os responsáveis tiveram que pagar multa por esse atraso. Então, é hora de seguirmos novos caminhos. Óbvio que o sistema francês é excelente, mas, neste caso, minha preferência, é pela escolha do israelense. Aproveitar que, dias atrás, a FAB assinou contrato para mais dois drones de origem israelense. Que o EB faça uma boa escolha.

    • Concordo plenamente com seu comentário caro CM(tbm na torcida pelo Atmos no EB) e tbm desejo um 2022 repleto de bênçãos da parte de Deus a todos do T&D e a nós ávidos leitores e degustadores de tão excelentes matérias !!!

  2. Realmente como alguns já disseram, as Filipinas vem fazendo um grande trabalho para modernizar suas forças armadas. Nenhuma surpresa tendo em vista o cenário geográfico de grande tensão, em que estão inseridos.

  3. Torço para que o EB e o CFN escolha esse ai. Nese caso, poderiamos substituir o caminhão MAN por um Tatra ou Avibras?

    • Olá Camarada Talisson, pesquisando o EV – Estudo de Viabilidade do EB, nas propostas da NEXTER e da ELBITS LS, de forma respectiva foram escolhidos como parceiros brasileiro a AVIBRÁS e a ARES.
      A AVIBRÁS tem experiência na adaptação do Chassis QT TRATA para o Astros 2020 já a ARES é parceira do EB tendo também boa experiência em integração de sistemas, um exemplo é a REMAX nos Guarani e agora nos Lince.

      Não respondi tua pergunta de forma direta, porque a resposta eu não tenho. Mas se a escolha recair sobre o ATMOS tenho certeza que a ARES terá plenas condições para integrar o sistema segundo as necessidades do EB.

      CM

  4. Feliz 2022 para todos nós e para nossa nação !
    Entre esse sistema e o caesar nexter, não sei qual seria o melhor para o EB, considerando todas as variáveis, mas, modestamente, acho os israelenses mais confiáveis para quaisquer parcerias.

  5. “Ficarei mais feliz ainda se este for o sistema adotado para nosso EB e quem sabe de quebra para o CFN também. O CAESAR é um similar a altura, mas chega de dar dinheiro para a França se modernizar e armar-se, enquanto nos detona na mesa do G7 no tocante ao TO Amazônico brasileiro”

    Concordo 100% com o colega.
    Que venha o ATMOS

    • Não foi informado, mas o peso varia conforme a plataforma escolhida e, dependendo do modelo, pode ser transportado por aeronave C-130 e KC-390.

  6. O importante é que qualquer que seja o vencedor o chassi deverá ser o TATRA 815-7 que o EB já opera com as viaturas do sistema ASTROS e com a Engenharia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here