Argentina confirma que irá adquirir caças F-16

Santiago Rivas (*)

Após a aprovação dos recursos pelo Ministério da Economia da Argentina, no dia de ontem, 26 de março, os ministros da Defesa da Argentina, Luis Petri, e da Dinamarca Troels Lund Poulsen, assinaram em Buenos Aires a carta de intenções para a aquisição de 24 caças F-16A/B Block 15 Fighting Falcon (mais um Block 10 para uso em treinamento de solo). Esta é a penúltima etapa para a assinatura do contrato, que, segundo fontes do Ministério da Defesa, está prevista para acontecer no dia 15 de abril na Dinamarca, para onde o ministro Petri viajará com o chefe do Estado-Maior General da Força Aérea Argentina, brigadeiro Fernando Mengo e outras autoridades.

“Tive uma reunião boa e extremamente frutífera com meu colega ministro da Defesa argentino, que está feliz que a Argentina possa se tornar parte da comunidade mais ampla de nações F-16 em todo o mundo. A venda de aeronaves F-16 para a Argentina foi realizada em cooperação com os EUA”, afirmou o ministro Troels Lund Poulsen.

A decisão de vender para a Argentina foi tomada em estreita coordenação com o governo dos Estados Unidos, que autorizou a venda dos caças F-16 produzidos nos país.

Conforme relatado em 21 de março, a compra dos F-16 já havia sido decidida no final de 2023, estando à alternativa chinesa descartada naquele momento, e obteve a aprovação do presidente Javier Milei em janeiro, mas sujeito à disponibilidade de recursos do Ministério da Economia.

Em 2024 deverá ser feito um primeiro pagamento de 100 milhões de dólares, embora a maior parte desses recursos seriam financiados pelo governo dos Estados Unidos, para que a Argentina não tenha que utilizar recursos próprios para esta primeira etapa da compra.

O contrato com a Dinamarca inclui 24 aeronaves em condições de voo, uma aeronave desmontada para treinamento de pessoal de terra (Block 10), oito motores sobressalentes, pods de mira e reconhecimento, equipamento de guerra eletrônica, capacetes com sistema JHMCS (Joint Helmet Mounted Cueing System), treinamento mísseis, ferramentas, peças sobressalentes, treinamento de pessoal e outros equipamentos. Depois, outro contrato deverá ser assinado com os Estados Unidos para as armas.

Se o cronograma planejado for mantido, este ano o exemplar seria entregue para treinamento de solo e em 2025 chegariam à Argentina quatro F16A e dois F-16B, seguidos de seis F-16A em 2026, outros dois e os restantes F-16B em 2027 e os últimos seis F-16A  em 2028.

 

 

(*) Santiago Rivas é jornalista e fotógrafo argentino, especializado em defesa, editor da revista Pucará Defensa e colaborador de Tecnologia & Defesa na Argentina

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Com o objetivo de desenvolver sistemas de alta tecnologia de propulsão e de  aeronaves não tripuladas, está sendo anunciada a...

De todas as novidades da FIDAE 2024, definitivamente a que mais surpreendeu o público não foi a vinda do caça...

A atuação dos drones na guerra entre a Rússia e a Ucrânia mudou os conceitos e doutrinas do atual cenário...

Durante a FIDAE 2024, a Boeing apresentou uma atualização do programa do avião de patrulha marítima P-8 Poseidon e os...

Comentários

5 respostas

  1. armas de segunda mão, não serão os melhores na América do Sul mais pra quem não tinha nada já e um começo.

    1. isso porque você não viu na mídia Argentina, cara muita gente não gostou muito dessa escolha, justo pelo fato de ser de segunda mão, uma galera ficou P da vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EM BREVE