ZEUS, o novo “Caveirão” da Polícia do Rio

11
4093

Foi apresentado ontem, dia 29 de junho, no pátio do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) da Polícia Militar do Estado do Rio de janeiro (PMERJ), o protótipo da nova viatura blindada de transporte de pessoal (VBTP) que será utilizada no Rio de Janeiro: ZEUS.

A VBTP ZEUS é um blindado tático policial, com capacidade de transporte de 10 policiais e proteção balística total Nível III, de acordo com a normas NBR 15.000 e NIJ 0101.06, resistente a disparos de fuzil 5,56×45 mm e 7,62×51 mm FMJ, que foi desenvolvido pela empresa Combat Armour Defense do Brasil, localizada em Vinhedo (SP), com base nos requisitos técnicos operacionais do Termo de Referência (TR) da PMERJ.

A chegada do ZEUS ao BPChq

 

A viatura será entregue ao Comando de Operações Especiais (COE), da PMERJ, para uma fase de avaliações de 30 dias, que poderá ser prorrogada, para poder ser liberada para entrar em operação.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro assinou com a empresa Combat Armour Defense, em fevereiro desse ano, a compra de 32 destas viaturas, com o valor unitário de cerca de R$ 625.500,00, sendo que 30 serão entregues à PMERJ, em dois lotes de 15, e duas para à Polícia Civil.

O ZEUS utiliza o chassi e o motor do caminhão Volkswagen 9.160 CE, tração 4X2, e seu projeto priorizou a operação em situações de enfrentamentos nas comunidades do Rio, em vias estreitas e acidentadas, oferecendo maior segurança e mobilidade aos policiais. Apesar de possuírem uma mobilidade inferior à dos blindados sul-africanos Paramount Maverick, que possuem tração 4X4, recebidos em 2014, representam um grande reforço à segurança pública da cidade, já que boa parte da antiga frota se encontra em um baixo nível operacional.

O Protótipo ainda na Combat Armour Defense

11 Comentários

  1. Parece aquilo que realmente é: um veículo “adaptado”, improvisado, com base em veiculo civil.

    As compras de “equipamento pesado” (blindados, fuzil, metralhadoras), deveria ter uma central de compras no Brasil, para todas as polícias. Isso diminuiria os preços, a corrupção, e daria escala de produção.

    Não passarão muitos anos, e esse modelo/fábrica serão esquecidos, e um outro virá, e depois outro, como sempre foi. Sem visão de longo prazo, desenvolvimento contínuo ou qualquer plano de industrialização.

    Somos vítimas de nossa própria incompetência? Ou será que há outros interesses por trás dessa vergonhosa situação?

    • Sem tração 4×4 ele não conseguirá vencer o óleo que os traficantes derramam no asfalto, ou vai? Aliás, porque virão sem 4×4? esse recurso é tão mais caro assim?

    • Corretíssimo seu comentário, acrescento que a capacidade de subir ladeiras desse veículo deve ser péssima, fora os buracos que enfrentará com um piso tão baixo.
      O esforço é válido mais poderia copiar um pouco da capacidade comprovada dos africanos, mas aqui se quer sempre reinventar a roda.

    • Concordo plenamente. A PMERJ está recriando o bem sucedido TCT Rhinus de 20 anos atrás, pois o monstruoso MIB, que usava o chassi de ônibus, foi um grande fracasso e o Sul-africano Maverick possui custo proibitivo e logística complicada.
      A PMERJ é obrigada a comprar esses veículos civis adaptados porque é mais simples e barato de operar, e, sobretudo, porque a indústria brasileira não tem interesse ou capacidade para produzir uma genuína VBTP policial 4×4….muito menos em fabricar sob licença.
      É indiscutível que existe muita má vontade quando o assunto é equipar com meios modernos as nossas forças de segurança, em particular as polícias militares. Até hoje ninguém conseguiu entender porque o GIF não comprou blindados para a PMERJ. Ele preferiu emprestar velhos e inadequados Urutus para fins de propaganda.
      Mas essa mentalidade está mudando. A Central de compras foi criada recentemente pelo governo federal. O primeiro projeto foi a compra de mais de 150 mil pistolas Beretta APX 9 mm e a licitação dos fuzis 5,56mm parece que está sendo questionado na justiça por uma das empresas eliminadas. Outros projetos serão criados no futuro. A aquisição de blindados policiais certamente é um deles.

  2. Quero ver na hora que a .50 cantar e vagabundo jogar granada se isso aí vai aguentar, 4X2 ainda? A versão anterior era 4×4…!
    Não vejo segurança para nossos policiais infelizmente.

    • Façam um programa de reequipamento apartir dos Urutus,estes poderiam ser doados para as polícias após um programa de modernização e padronização!!Muito melhor que está gambiarra monstrenga!

  3. Não entrando no mérito das características do veículo, aliás de perfil quase civil, tirando a blindagem, não seria mais interessante apostar em unidades provenientes do Ex como os Urutus recentemente entregues aos BOPE? Não temos parâmetros do custo operacional mas certamente os benefícios seriam muito mais positivos…ainda mais com a substituição destes pelo Guarani. Estes Urutus estão operacionais ou existe algum problema? Sds Eng.Paulo.

  4. Veículo tosco,pesado, baixa altura do solo, pouca mobilidade para uso em favelas no RJ , carro transporte de valores “adaptado” para transporte de tropas..

  5. Alguém sabe o que aconteceu com os
    URUTUS do BOPE ??
    Moro aqui no Rio de Janeiro, e a mais de 1 Ano,
    Não os vejo em Operações !!

  6. Tantos projetos existentes da indústria de defesa, bons e superiores a essa lego, mas preferem sempre o pior. Os PMs querem um carro forte ou um blindado?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here