Versão antinavio derivada do JLTV é testada em operação militar

Por Aurelio Giansiracusa, Ares Osservatorio Difesa (*)

O Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (USMC), em parceria com a Raytheon Missiles & Defense, testou o sistema NMESIS (“Navy Marine Expeditionary Ship Interdiction System”), um míssil de ataque naval RGM-184A NSM lançado da costa e capaz de atingir um navio alvo no mar, durante o exercício operacional Large Scale Exercise 2021, em conjunto com a Marinha dos Estados Unidos (US Navy).

NSM é um míssil de cruzeiro multi-missão capaz de enfrentar alvos terrestres e marítimos fortemente protegidos. É o mais recente produto da parceria da Raytheon com a norueguesa Kongsberg Defense & Aerospace, que se uniram para produzir o míssil nos Estados Unidos e atender as demandas das forças armadas locais e parceiros internacionais. Ele já se encontra em uso nas marinhas dos Estados Unidos Noruega e Polônia.

O NMESIS combina um lançador NSM e um veículo remotamente controlado (“Remotely Operated Ground Unit for Expeditionary Fires”, ou ROGUE), derivado da plataforma Oshkosh Defense JLTV 4X4.

Foi a primeira vez que o NMESIS foi usado da costa para atacar um alvo no mar durante um exercício operacional, atingindo a fragata Ingraham (FFG-61), pertencente à classe Oliver Hazard Perry (a versão de casco alongado), desativada em 2015.

Durante o exercício, os operadores da marinha conduziram o planejamento da missão e o comando e controle do NMESIS, e a mobilidade do sistema foi testada em várias plataformas, incluindo uma aeronave KC-130J.

Novos testes e avaliações finais deste sistema serão realizados entre 2021 e 2022 e o USMC planeja implantar as primeiras baterias operacionais até 2023.

Fotos: US Navy e USMC

(*) Ares Osservatorio Difesa é uma Associação Cultural italiana, fundada em 12 de abril de 2019, em Roma, para a análise e estudo de questões nacionais e internacionais relacionadas as áreas de defesa e segurança, e parceira de Tecnologia & Defesa no intercâmbio de informações, para manter os leitores atualizados das notícias importantes que ocorrem entre os dois países.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

O Comando Militar do Nordeste (CMNE), nesta quinta-feira, dia 16 de maio, enviou um Hospital de Campanha (H Cmp) para...

Empresa do Grupo Embraer participa de debate sobre soluções tecnológicas que estão moldando o futuro dos grandes centros urbanos As...

Hoje, dia 16 de maio, às 18:00hs, será lançado o livro “Segurança Escolar – Prevenção multidisciplinar escolar contra-ataques ativos”, de...

Um drone do Exército Brasileiro (EB) localizou, no fim da tarde dessa terça-feira, dia 14, moradores pedindo ajuda no topo...

Comentários

5 respostas

  1. Muito interessante, nunca imaginei que um 4×4 como o JLTV, fosse capaz de ser equipado com baterias de mísseis antinavio. Inclusive, eu já havia comentado uma vez com uma pessoa, que o nosso, lançador múltiplos de foguetes, astros 2020, poderia ter uma versão capaz de ser usado como defesa costeira móvel, particularmente acho uma idéia vem interessante.

    1. Acredito que este projeto não tarde mais que 10 anos.
      Lembrando que um veículo Astros 2020 pode ser aerotransportado, pronto para o uso, pelo KC-390.

  2. Pessoal a base de lançamento e menos de 5 % de um projeto desses.

    O JLTV ( ai numa versão autonoma) ou Astros ou qualquer plataforma que comporte seu peso e etc pode ser usado.

    O que importa é o NMESIS o resto é detalhe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL