Venezuela lança míssil anti-navio KH-31 Kryptor usando os SU-30 MKV

Exercícios Militares Venezuelanos no âmbito dos 200 Anos do Congresso de Angustura (1819). Emprego do SU-30 MKV disparando mísseis antinavio supersônicos do tipo KH-31 Kryptor operando em conjunto com navios da Armada Bolivariana de Venezuela.

Observar na tela a tática de emprego do míssil KH-31: corrida supersônica do continente para o mar, disparo do míssil em alta velocidade, e este faz sua missão enquanto os aviões retornam em segurança.
Míssil antinavio KH-31 Kryptor na asa de um SU-30 MKV.
Míssil antinavio KH-31 Kryptor na asa de um SU-30 MKV.
Centro de Comando e Controle da Armada Bolivariana: tecnologias Thales como o sistema C&C Tacticos.
A Fragata ARV Almirante Brión (F-22) da Armada Bolivariana de Venezuela.
Míssil KH-31 em seu carrinho de transporte, é levado até a linha de voo.
Míssil KH-31 em seu carrinho de transporte, é levado até a linha de voo.
Navio Patrulha Oceânico da Armada Bolivariana de Venezuela, o OPV Warao (PC-22)
Navegando em formação cerrada o OPV Warao (PC-22), a Fragata Missilística ARV Almirante Brión (F-22) e o Patrullero PC-12 Federación (Clase Constitución).
O Patrullero PC-12 Federación (Clase Constitución).
Piloto e Operador de Sistemas de Armas embarcam no SU-30 MKV na Base Aérea El Libertador.
Elemento de SU-30 MKV armados com mísseis antinavio supersônicos KH-31 – até a entrada em serviço do MANSUP, e sua integração ao Gripen E, continuaremos sem possuir essa capacidade de ataque contra alvos navais a distância, a partir do ar.
Mísseis KH-31 nas asas dos caças SU-30 MKV (acima e abaixo)

SU-30 MKV na corrida final de ataque, voando relativamente baixo sobre o mar antes de lançar o KH-31 Kryptor.
A Fragata ARV Almirante Brión (F-22) da Armada Bolivariana de Venezuela, é sobrevoada pelos dois SU-30 MKV.
Telas do sistema Thales Tacticos (acima, abaixo e embaixo)

Lançar, lançar, lançar! O KH-31 inicia seu ataque. A partir de agora, as defesas do alvo serão testadas ao máximo de suas capacidades!

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Em um surpreendente anuncio ocorrido hoje, dia 11 de junho, a empresa franco-germânica KNDS informou que encerrou as negociações de...

Na ultima quinta-feira, dia 6 de junho, ocorreram testes de lançamento do míssil anticarro MSS 1.2 AC por militares do...

Parceria prevê aumentar conhecimento das tecnologias em uso atualmente e em desenvolvimento no país, além de explorar novas técnicas Uma...

A Marinha do Brasil (MB), a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON) e a Sociedade de Propósito Específico (SPE) Águas...

Comentários

3 respostas

  1. pergunta importante para nós brasileiros:Nossos meios navais e aéreos estão preparados para se defenderem dessa arma ( ou similar de outras nações)atualmente? e o que seria ideal?

    1. Canhões rotativos de calibre abaixo de 20mm, para derrubar o míssil ou chaffs lançados de navio(não sei se nossas embarcações possuem ambos), para despistá-lo. Os meios aéreos não são alvos desse equipamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL