ÁREA DO CLIENTE

VBC Cav – Short list com três candidatos

No dia de hoje, 07 de outubro, o Exército Brasileiro (EB), por meio do Comando Logístico (COLOG) / Diretoria de Material (DMat) e no contexto do Processo de consulta publica (“request for proposal” – RFP) COLOG nº 01/2022 para aquisição de 98 viaturas blindadas de combate de Cavalaria média sobre rodas (VBC CAV – MSR) 8X8, anunciou que três viaturas foram selecionadas para compor o “short list” do projeto, sendo estas:

  • Centauro II, com canhão 120 mm, do Consórcio Iveco–OTO Melara (CIO);
  • LAV 700 AG, com canhão de 105 mm, da General Dynamics Land Systems – Canada (GDLS-C); e
  • ST1-BR, com canhão de 105 mm, da North Industries Group Corp (NORINCO).

A partir da próxima semana já iniciam as conversações entre as empresas finalistas, que serão chamadas para primeira seção da fase de negociações das propostas, iniciando pela GDLS-C (dia 11), CIO (12) e NORINCO (13), seguida por um período de quatro semanas, com reuniões presenciais e videoconferências, até a entrega da proposta final (“Best and Final Offer” – BAFO).

A previsão para definição do vencedor continua mantida para o dia 25 de novembro deste ano e a assinatura do contrato nos dias 28 ou 29.

 

Copyright © 2022 todos os direitos reservados

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônica ou mecanicamente, exceto nos termos permitidos pela lei, sem a autorização prévia e expressa do titular do direito de autor.

COMPARTILHE

Respostas de 36

  1. Excelente, agora é esperar mais um pouco pra ficar só o camarada com canhão de 120mm e de quebra rolar uma modernização top com a torre do mesmo nos nossos Leo 1A5 taokey !!! Parabéns mais uma vez pelo furo e pelo, como sempre, belo trabalho Bastos !!!

    1. Centauro II + Offset = tecnologia para fabricar munição de 120 mm, montagem da torre no regime CKD + entrega de alguns Centauros 1B (30 ou 40 unidades) do estoque italiano (reserva ou operacionais)

      Andiamo con tutto, Italia!

    1. Creio eu que seja baixíssima, ontem o Caiafa até fez Live sobre proposta renovada de produção referente a torre do Centauro II em MG ,olhemos os sinais !!!rs

  2. A divulgação foi feita com base em algum critério? Do que mais pontuou/que mais agradou/preferido/etc?

    Ou a ordem dos candidatos na matéria é aleatória?

    1. Marcos, se você esta s referindo a minha matéria, a ordem que usei foi unicamente estética, referenciando a ordem de lançamento das matérias que escrevi com cada viatura (1º Centauro II e depois LAV 700 AG).
      Só lembrando que ainda não escrevi sobre o ST1-BR por falta de informações do fabricante, já que, ao contrário de outras mídias, não baseio meus argumentos em textos da internet, mas com material oficial. Porem isso já está sendo contornado (apesar da burocracia) e espero, até a definição do programa, escrever uma matéria séria sobre o ST1-BR.
      Agora se esta se referindo a ordem apresentada no documentos publicados (Fase 1 e Fase 2), a ordem é a da entrega das propostas, realizadas no dia 21 de setembro.
      Para os que estão procurando “mensagens subliminares” em meus textos, só posso dizer uma coisa: Não viagem… 😀

        1. Sinceramente o único concorrente do Centauro II é o Centauro I, o resto não tem condições sequer de competir com o Centauro I, então vamos acabar com a falácia e burocracia e comprar o Centauro II e resolver está equação de forma inteligente!!! Quanto a compensações por parte da Itália o KC 390 poderá ser um trunfo a nosso favor…

  3. O que o CENTAURO e a IVECO vão oferecer para o Brasil? Qual será o Offset da grande potência que é a IVECO e a Itália? O Brasil produz munição 105mm ou 120 mm? Como terminou o processo no TCU da IVECO? Já acabou? Como vai a fábrica de caminhões da IVECO? Já ultrapassou a produção da Volkswagen e da Volvo?

    1. muito boa a reportagem.a pressão é grande e todo cuidado é pouco para evitar o tapetão e impugnação por parte dos perdedores.é uma decisão histórica que vai amarrar por 20 a 30 anos o futuro da cavalaria blindada.todos os concorrentes têm excelentes armas mas no T.O (teatro de operações) da América do Sul com largos espaços e topografia suave o Brasil precisa escolher o melhor para a sua realidade e poderá influenciar o corpo de fuzileiros navais e as forças armadas de outros países.parabens mais uma vez.avante Brasil e que vença o melhor.

  4. Segundo dados da Balança Comercial Brasil e Itália o Brasil teve um déficit de 361 milhões de dólares até setembro de 2022 e a projeção para esse ano é de chegar a -1,5 bilhões de dólares em favor da Itália que praticamente só compra do Brasil celulose, café, ouro e soja do Brasil. A ideia é aumentar o déficit da balança com o CENTAURO? Porque? Porque ele é mais bonito? A gente tem que começar a pensar em Brasil e usar esse tipo de negócio para alavancar o país. Essa é a minha modesta opinião. O Blindado que o EB comprar será do Exército e comprado com dinheiro dos nossos impostos. SELVA!

    1. O que tem a ver uma coisa com a outra, cara. Pelo amor de Deus. Se você deixar a ignorância só um pouco de lado, verá que o único carro que bate com as características que o EB precisa, é o Centauro II e ponto. Não tem que mais se discutir, não.

  5. Marcos, boa tarde. Também achei estranha a ordem dos candidatos na matéria. No site do Exército o primeiro é LAV 700, depois o CENTAURO e por último o ST1-BR. Na matéria deixaram o CENTAURO em primeiro. A gente se pergunta realmente o porque de tanto destaque para o CENTAURO. Não que não seja um blindado bom.

    1. Qual é o único da categoria CAÇA TANQUES que é referido no RFI do EB e que apresenta EXATAMENTE aquilo que o EB precisa? Não é o Centauro II? Então pra quê ficar enchendo o saco com algo que já é de conhecimento de todos? Qual é o problema do Centauro II estar em primeiro na lista? Pelo amor de Deus.

  6. Wellington, eu não quero polêmica. Cada um tem sua opinião e eu escuto todas. O Brasil pelo que eu saiba vai equipar os seus Regimentos de Cavalaria Mecanizada com esses blindados. Quem faz o trabalho de caçar tanque são os Regimentos de Cavalaria Blindados. Na guerra atual os blindados estão tomando uma surra na Ucrânia. O objetivo do Brasil não é ir para a Ucrânia. Além disto se a RFP bate direitinho com os dados do CENTAURO. Dois raciocínios. O primeiro é que você infelizmente está dizendo que a concorrência está direcionada e eu duvido que o EB faça isso. O segundo se o EB quisesse comprar o CENTAURO usava Lei nº 12.598, de 21 de março de 2012, que estabelece as normas especiais para as compras, as contratações e o desenvolvimento de produtos e de sistemas de defesa e não teria competição nem discussão, ou você acha que teve licitação para fechar negócio com a Suécia e comprar o Gripen? Acho que ninguém aqui assinaria uma aquisição desse volume sem apoio jurídico e simplesmente com dados de mídia. Confio no nosso EB e tenho certeza que ele fará o melhor para a Força e o Brasil. Que vença a melhor proposta.

    1. Tomando surra ou não os blindados continuarão, por muitos anos, sendo a espinha dorsal de diversas forças armadas pelo mundo. De fato, o objetivo do Brasil não é ir para a Ucrânia e nem pra canto nenhum. O objetivo do Brasil é desenvolver sua força militar para estar compatível com o que realmente é necessário dado o tamanho de nosso território nacional. A questão do Centauro II não está direcionada. Se foi isso que você entendeu, infelizmente, entendeu errado. Se fosse o caso, como você mesmo disse, o Centauro II já estaria eleito de primeira. Não entrarei no mérito de lei pois isso já faz anos. Temos que debater o agora com o que temos em mãos e com o que está em curso ou seja, a short list tá aí. Em breve, veremos quem vence a batalha. Só que eu tenho minha preferência e com certeza é preferência de muitos leitores da T&D e ouso dizer de até mesmo dentro das próprias forças armadas. Essas diferenças, existem. Preferências, existem.

      1. Flanker, o RibEng84 está correto em sua afirmação: atualmente os responsáveis pelas chamadas “ações de choque”, que envolvem o rompimento das linhas inimigas e combate a outros blindados, é uma atribuição dos RCB nas brigadas mecanizadas, sendo a função dos RC Mec e Esqd C Mec o reconhecimento e a segurança.
        Todavia, se ler meu texto sobre o 105 vs o 120 mm, verá que, em função dos equipamentos utilizados por estas unidades e as mudanças em curso atualmente na doutrina, esta função PODERÃO ser protagonizada pelas VBC Cav.

        1. Obrigado, Paulo. Realmente, os atuais EE-9 Cascavel dos RCMec e EsqdCMec tem uma funcão de reconhecimento, missão principal destas viaturas. Seu armamento principal, nao se presta primordialmente à destruir blindados do porte de carros de combate. Minha dúvida era sobre a doutrina dos RCMec frente aos RCB.
          Sem dúvidas que o calibre 120 mm deverá ter total preferência nesta escolha, para hoje e para o futuro. Ainda mais que a quantidade de Leopard 1A5 modernizados será de apenas 1/4 da frota e a quantidade prevista de novos CC, e quando vierem, será menor do que a necessária. Uma viatura de Cavalaria com canhão 120 mm é essencial.
          Quanto à sua recomendação de eu ler o artigo sobre os calibres, é redundante. Leio TODOS os artigos daqui com muito interesse!

  7. Parabéns pela discussão e colocação das ideias de todos. Pela primeira vez vi uma discussão acalorada desse tipo de matéria. Não esperava isso. Parece até discussão de time de futebol. Parabéns a Tecnodefesa pelas suas publicações e por trazer ao público militar ou não matérias que a gente só lê em revistas internacionais.

    1. Desconheço sanções impostas pelos americanos aos Argentinos por causa dos Norinco.
      Pelo que fui informado, pela empresa, o caso da argentina foi praticamente a doação de quatro viaturas SEM suporte logístico.
      De acordo com fontes na Argentina, uma das quatro apresentou problemas de vedação em travessias de cursos d’agua, mas este problema foi corrigido.
      De acordo com outra fonte, também argentina, o principal problema dos WMZ551B1 (que são veículos antigos, duas gerações anteriores a família VN1 e similares ao Urutu) está na ergonomia, pois possuem pouco espaço interno, são muito apertados (desconfortáveis), não possuem proteção anti minas como as gerações atuais e, principalmente, suas portas traseiras são pequenas e dificultam muito o embarque e desembarque da tropa.
      Mesmo com todos estes problemas, os VCBR WMZ551B1 estão operacionais no EA.

      1. Oi Paulo. Muito obrigado por responder. Fui quem não soube me expressar na pergunta. Na matéria da TD abaixo me deu a entender que an Argentina sofreu uma ‘ameaça’ e que o CAATSA ‘foi colocado na mesa’ durante as negociações. Era por isso que eu me perguntava se o Brasil sofreria alguma pressão política assim por parte dos EUA ainda que eles não tenham um produto na lista da disputa do EB. Um abraço. http://tecnodefesa.com.br/opiniao-programa-vcbr-uma-questao-geopolitica/

      2. Interessante estas informações Bastos pois assim se desmistifica o veículo chinês e o deixa ,ao menos, competitivo pois em matéria de preço ,creio que seja o mais barato e com folga.

    1. “…Infelizmente, este veículo de apoio de fogo não pode derrotar os tanques de batalha principais modernos, a menos que atinja seus lados ou traseira…”

      Este trecho, extraído do texto do link que você colocou, mostra que, apesar das possíveis qualidades do veículo, o calibre 105 mm é limitado para os dias atuais.
      O EB tem a possibilidade única de comprar o que existe de melhor para esta função atualmente, que é o Centauro II. Não tem lógica escolher um dos outros dois, ambos com canhão 105 mm, tendo um com arma 120 mm, muito mais capaz e efetiva. Mas, essa é apenas minha opinião.

      1. Centauro II e a modernização dos Leopardo com o 120mm
        é um projeto de longo prazo, o Brasil é a 10º maior economia do Mundo, precisa investir na sua defesa, no poder dissuasório e não ficar contando com o fator sorte.
        É preciso mudar a mentalidade que não temos inimigos na américa Latina, que o Brasil é um pais de bom transito no concerto das nações e o +/- , o menor preço esta de bom tamanho para nossa realidade.

      2. Sim, o que você disse é fato e por mim o EB comprava o Centauro II direto, mas os nigerianos têm comprado muito equipamento chinês e estão gostando, não quer dizer que o material da NORINCO atenda nossas necessidades.

  8. LAV 700 é um ótimo veículo mas não tras beneficio principalmente em questão ao canhão de 105mm ja que o Brasil quer modernizar os MBT EB com um de canhão de 120mm isso iria dificulta a logistica um pouco em comparação a Centauro II. A vantagem dele é que anti carro blindado leve o canhão de 105mm é mais barato as munições, mas isso a torre de 30mm do Guarini pode fazer a missão de anti carro blindado leve ou ate mesmo um lançadores anti carro.

    Já o NORINCO é muito genérico. ele tem A vantagem de nacionalizar a produção e é anfíbio. A desvantagem é o canhão de 105mm, a blindagem que suporta disparos 12.5mm na frente e 7.62 lateral, tbm por se trata de uma plataforma bem diferente da habitual (IVECO, guarani) teriamos que fabrica dos tipos de veiculos de forma diferente e que apresentam quase a mesma função isso dificultaria lindamente a logistica. Sua compra teria sido otima antes do Guarani.

    CENTAURO II, A Maior vantagem nisso é que a torre do centauro 2 com canhão de 120mm pode ser usada depois pra procurar paceria para a produção de um MBT nacional para o BRASIL e ainda mais sobre medida, tbm para dar uma sobrevida no Leopard 1a5 ( 4t a menos e ainda um canhão de 120mm! so peca na blindagem da torre) ate a escolha do novo MBT EB. A Desvantagem é o preço unitário e o custo ao longo da vida, isso vai precisar que o EB peçar faça alguma proposta de produção de peças local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *