VBC Cav – Anunciado o RFP

25
7475

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) de hoje, dia 06 de julho, o aviso de lançamento do requerimento das propostas (request for proposal – RFP) do projeto de obtenção da viatura blindada de combate de Cavalaria média sobre rodas (VBC CAV – MSR) 8X8 para o Exército Brasileiro (EB), por meio da Diretoria de Material (DMat), órgão do Comando Logístico (COLOG).

As empresas interessadas em participar da concorrência poderão retirar os documentos no site do COLOG e, no dia 20 de julho de 2022, haverão representantes da Diretoria de Material, no período de 9 às 12 hs e de 13 às 17 hs, em condições de sanar eventuais dúvidas acerca do processo, bem como disponibilizar, se necessário, o RFP COLOG nº 01/2022 e seus anexos, em modelo digital.

Histórico

No dia 04 de março de 2021, a DMat tornou pública a realização de Consulta Pública (request for Information – RFI) Nº 01/2021, com objetivo sondar o mercado nacional e internacional acerca da capacidade de fornecimento visando à execução do Projeto VBC Cav e coletar contribuições para o aperfeiçoamento das descrições contidas na Minuta dos Requisitos Operacionais e na Minuta dos Requisitos Técnicos, Logísticos e Industriais e realizar pesquisa de preços.

No dia seguinte (05), foi publicado no Boletim do Exército 09/2021 a portaria EME/C Ex Nº 320, de 24 de fevereiro, que altera e corrige a redação da portaria EME/C Ex nº 275, passando o VBC Cav 8X8 do Programa Estratégico do Exército (Prg EE) Obtenção da Capacidade Operacional Plena (OCOP), dentro do Subprograma Forças Blindadas (SPrg FBld), para o Prg EE GUARANI.

A intenção inicial era de se adquirir 221 veículos, preferencialmente até 2026, além do planejamento e implantação de suporte logístico integrado (SLI) durante esse período, porém, em agosto de 2021, este numero foi alterado para 98 viaturas e a data estendida até 2038, sendo duas para o lote de amostra e sete destinadas ao lote de experimentação doutrinária (LED).

No dia 12 de maio deste ano, durante uma apresentação do projeto feita a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) pela DMat, , foi apresentado um slide informando que as propostas consideradas “SATISFATÓRIAS” serão as que contemplem apenas as viaturas que estiverem em “Produção Seriada inicial ou consolidada“, e sendo consideradas “INSATISFATÓRIAS” as que forem “Projeto Conceitual, Protótipo ou Lote-Piloto“.

Como já foi apresentado por este autor, caso seja aplicada a condição acima, no contexto de sistema de armas (viatura + armamento), apenas estão aptos a participar do certame os seguintes candidatos:

  • Centauro II com Canhão 120 mm, do Consórcio Iveco–OTO Melara (CIO);
  • ST-1BR com canhão de 105 mm, da NORINCO; e
  • LAV 700 Assalt Gun com canhão de 105 mm, da General Dynamics Land Systems (GDLS) e John Cockerill.

 

Em breve, mais informações sobre esse programa estarão disponíveis nas páginas de Tecnologia & Defesa.

25 Comentários

  1. Paulo, independentemente de qual proposta seja escolhida você acha que o eb irá instalar o municiador automático ou para baratear o projeto um municiador manual?

    • É fato que a NORINCO chegou com a proposta com os dois pés do peito. E não é pra menos, já que a NORINCO quer entrar com força no mercado militar em toda nossa região, porém, não sei, acredito que a NORINCO não leva essa.

    • Deus nos livre!!! Entre transferência de tecnologia de uma traquitana dessas e nada, fica com a segunda opção. E outra coisa: transferência de tecnologia nunca foi sinônimo de independência.

    • Se não me engano a Patria tinha uma proposta similar, Porém acredito que o Centauro seja o melhor já que e um blindado desenhado justamente pelo o que o Exercito Brasileiro procura ainda mais que tem um poder de fogo superior aos concorrentes com canhão de 120mm.
      Se for conversado certinho com a Iveco poderiam ate levar o C1 Ariete para o nova couraça aonde os dois utilizariam a mesma torre.

  2. Boa tarde!
    Devido ao parque industrial consolidado no Brasil a Iveco com o Centauro deve levar essa concorrência,concorrência essa que pode ter como vencedora,a proposta italiana para a modernização/atualização dos Leopards 1A5 do Eb.

    • Alguém vai ter coragem de montar uma estrutura de fabricação aqui só para montar esta quantidade absurda até 2038?
      .

  3. Paulo, vc que é da area, sua opinião, … Qual é o melhorr para o EB , qual é o priemiro colocado na classifical ?

  4. Com esse número de 98 unidades da nova VBC CAV – MSR, parece-me que o número de unidades modernizadas do Cascavel será maior do que o previsto inicialmente, pois se diminui a quantidade de um modelo, tem que aumentar do outro.

  5. O vencedor será o Centauro II com certeza, porém o prazo de entrega não poderá ser extendido até 2038 por questões políticas que poderão inviabilizar o projeto, a conclusão deverá ocorrer a curto prazo ou o mesmo será cancelado a exemplo de outros projetos…

  6. Torço pelo o Centauro II porém caso não seja o vencedor devido ao preço que seja o LAV 700.
    Além que o LAV 700 poderia se beneficiar do financiamento via FMS aonde mais unidades poderiam ser adquiridas em menos tempo.
    Norinco deus me dibre já basta os blindados defeituosos que venderam para a Argentina tanto que mesmo oferecendo produção local e transferência de tecnologia o favorito ainda continua sendo o Guarani com produção local.

  7. A pergunta é: qual o nível de nacionalização desses veículos?
    Independente do vencedor é fundamental o Brasil começar a pensar seriamente em ter autonomia para produzir nossos próprios armamento e depender cada vez menos de fornecedores externos de materiais ou equipamentos básicos.
    Com essa bagunça que está a geopolítica atual é cada vez mais complexo depender de fatores externos para garantir nossa autonomia e soberania.

  8. A galera dizendo que a norinco leva…não sei não… pra mim isso aí já tá “acertado” a muito tempo para ser o centauro II, que não levem a mal, é um excelente veículo…. mas que todo mundo já sabe quem o exército deseja isso é um fato, não se esconde a preferência do alto comando….

  9. Considerando que o veículo a ser ofertado deve atender a condição de que trata-se de uma “Produção Seriada inicial ou consolidada“ praticamente não haveria como fazer uma ToT plena. Também concordo que estas questões relacionadas a transferencia de tecnologia são muito questionáveis mesmo, basta ver os programas dos helicópteros H225, submarinos IKL, OPVs etc. Notar que os fornecedores são apenas parte desta questão.
    Vamos torcer para haver uma decisão consciente, profissional e tecnica-econômica otimizada. Mas que seja definida de forma muito rápida. A pior decisão é aquela na qual ninguém decide nada e posterga para forever…

  10. Xadrez 5D.

    03 empresas concorrendo, sendo 01 americana, 01 chinesa e a outra europeia.

    As duas primeiras com canhões de 105 mm e a última com canhão de 120 mm.

    A opção mais provável do exército, canhão de 120 mm.

    As duas primeiras (USA e China) não poderão reclamar ou questionar do valor do contrato, pois são especificações diferentes. Cheque mate!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here