Uruguai prestes a receber seu primeiro patrulheiro da classe Protector

1
1074

Por Santiago Rivas (*)

A Armada Nacional do Uruguai iniciou o comissionamento do primeiro dos três barcos de patrulha costeira Damen Stan Patrol 2606, da classe Protector, doados pelo governo dos Estados Unidos.

A ROU 14 Río Arapey, ex Albacore (WPB-87309) da Guarda Costeira dos EUA (USCG), já foi pintada com as cores uruguaias em Baltimore, EUA, antes de ser enviada ao Uruguai, e começará seus testes antes de iniciar a transferência para o Uruguai, prevista para ocorrer em julho, e serão seguidas pelas ROU 15 Río de la Plata (ex Cochito – WPD-87329) e a ROU 16 Río Yaguarón (ex Gannet – WPB-87334).

Duas das embarcações servirão na nova Base Naval Fray Bentos, no Rio Uruguai, e outra em Montevidéu. Todas as três foram oficialmente entregues à Marinha do Uruguai em 15 de dezembro de 2021.

As embarcações foram construídas pelos Estaleiros Bollinger no ano 2000, que entregaram 74 à USCG, duas à Marinha dos EUA (US Navy), duas ao governo de Malta e 2 ao governo do Iêmen.

Especificações técnicas

  • Deslocamento: 55 toneladas;
  • Dimensões: Comprimento 26,8 metros; Largura 6,2 metros; Calado 1,85 metros;
  • Propulsão: Dois motores MTU 12V.396 TE 94, de 1.680kW a 2.000 rpm, com duas hélices de passo fixo;
  • Velocidade máxima: 35 nós;
  • Barcos a bordo: Um barco semi-rígido, tipo RHIB (“Rigid Hull Inflatable Boat”), na popa.

 

(*) Santiago Rivas é jornalista e fotógrafo argentino, especializado em defesa, editor da revista Pucará Defensa e colaborador de Tecnologia & Defesa na Argentina

1 Comentário

  1. Os avisos de patrulha da classe Marlim poderiam ser também uma opção plausível para a renovação de meios costeiros da Armada uruguaia.
    Estas embarcações deslocam 47 ton, medem 22,8 metros de comprimento, 55,5 metros de boca e 1,95 metros de calado carregado. A propulsão e realizada por dois motores com um total de 2.160 BHP. A velocidade máxima e de 25 nós e autonomia e de 850 mn a 15 nós.
    Tripulados por 10 militares podem ser armados com metralhadoras de 20 mm, 12,7 ou 7,62 mm, além da capacidade de transportar e lançar/recolher um um RHIB.
    Seis exemplares operam no Brasil e dois na Namibia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here