TMMR, o novo radar antiaéreo leve da Leonardo

O TMMR (Tactical Multi Mission Radar) é o novo radar de tecnologia AESA (“active electronically scanned array”), banda C (C-band), sem itens de radiofrequência (RF) de conversão descendente (amostragem em portadora de RF), projetado para apoiar forças terrestres na detecção, classificação e rastreamento de pequenos e rápidos alvos aéreos, incluindo mini e microveículos aéreos não tripulados; ao mesmo tempo, alvos lentos, graças à alta resolução doppler, também podem ser detectados em um ambiente complexo.

O TMMR é um sistema de uso duplo, empregável como sistema antidrone (C-UAS) e defesa contra projéteis de morteiros, de artilharia e foguetes (“counter rocket, artillery and mortar” – C-RAM), bem como um sistema para defesa aérea de curto alcance, preenchimento de lacunas e para vigilância e proteção de veículos, fronteiras, territórios e infraestruturas críticas. O radar pode ser facilmente integrado e habilitado a bordo de qualquer plataforma terrestre e naval, sendo um sistema “plug and play” com baixo consumo de energia e capacidade de resfriamento passivo.

Sua capacidade de cobertura é de 90° em azimute e elevação, podendo ser estendida, em azimute, até 360° com o uso de quatro antenas. O alcance de detecção, de acordo com os diferentes alvos, varia de 7 a 25 km (do homem à pequena aeronave tripulada), permitindo um controle completo das ações assimétricas e multidomínio.

O novo radar é facilmente transportável e implantado em contextos improvisados ​​e em rápida evolução, graças ao seu baixo peso (menos de 50 kg), tamanho pequeno e tecnologia de baixo consumo utilizada; essas características são capazes de garantir uma combinação perfeita entre alto desempenho e facilidade de uso.

O TMMR é uma das tecnologias mais recentes da Leonardo para a digitalização do campo de batalha e para o compartilhamento em tempo real de informações táticas.

Trata-se de um sistema interessante para o Exército Brasileiro, que pode ser utilizada em plataformas navais e terrestres, graças à sua modularidade e ao seu baixo peso, sendo uma opção para a versão antiaérea da família Guarani e do kit antidrone do SARC UT30BR2, ambas em estudos.

Com informações da Leonardo

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) publicou, na última sexta-feira, dia 19 de abril, um pedido de cotação...

O crescimento da Base Industrial de Defesa e Segurança Pública (BIDS) torna esse setor ainda mais estratégico e relevante para...

Em comemoração a semana do Exército, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) está organizando uma série de eventos na Capital Paulista,...

O Ministério da Defesa (MinDef), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SeProD), acompanhou, entre os dias 15 a...

Comentários

3 respostas

  1. Bastos, muito interessante esse radar. Exatamente a solução que o Exército buscava para o projeto do Guarani da antiaérea. Espero que esse seja o radar escolhido. Tecnologia no estado da arte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL