T&D HISTÓRIA – As Guardiãs do Cone Sul

0
1849

ESPECIAL : T&D HISTÓRIA E MILITARIA

A incrível história de lanchas torpedeiras rivais na “quase guerra” do Canal de Beagle, que hoje são preservadas imponentes, uma de cada lado da Fronteira, como se ainda a guardassem.

por Hélio Higuchi

 Quem viajar para Punta Arenas e Ushuaia, cidades do extremo sul do continente americano, respectivamente no Chile e na Argentina, depararão com duas embarcações que outrora foram oponentes, hoje preservadas como monumentos.

A região na década de 70 foi palco de intensa disputa territorial entre estes dois países, chegando no seu momento mais crítico em 1978, quando por muito pouco estes países vizinhos deflagraram um conflito (Vide revista Tecnologia & Defesa nº128 “Canal de Beagle: 1978 Uma quase Guerra”).

São duas lanchas torpedeiras, ambas pintadas de negro que patrulhavam o canal de Beagle.

Em Punta Arenas, no Chile, está o PTF 81 Fresia, de desenho Lürssen alemão e fabricado em Cadiz, Espanha. Armado com 4 torpedos de 21 polegadas e dois canhões AA de 40mm, tripulação de 20 homens, tinha deslocamento de 134ton. e desenvolvia uma velocidade de 32 nós.

Junto com mais 3 lanchas do mesmo tipo, foram adquiridos em 1965/66, o Fresia atuou como lancha rápida de patrulha até 1988, quando foi transformado em barco de propósitos gerais e finalmente descarregado em 2005 e hoje está preservado num monumento nas imediações do Comando Naval da cidade.

Já do lado argentino, o barco preservado é o ARA Towwora P-82, um legitimo PT Boat da classe Higgins, construído em New Orleans, EUA, durante a II Guerra Mundial.  Armado com quatro tubos lança torpedo, 2 reparos duplos de metralhadoras .50 e 2 canhões AA de 40mm, tripulação de 12 homens, deslocamento de 50 toneladas e velocidade máxima de 50 nós.

Um total de 10 PT boats foram adquiridas em 1947 durante o primeiro governo de Juan Domingo Perón. Inicialmente receberam matriculas LT-1 a LT-10 e foram utilizadas como lanchas de patrulha nas águas do Estuário do Rio da Prata.

Na década de 60 duas delas foram modernizadas, e sua construção original de madeira, recebeu uma cobertura de alumínio na ponte de comando e foram transferidas para a Agrupacion de Lanchas Rápidas em Ushuaia.

O Towwora foi descarregado em 1984, e permaneceu por vários anos abandonado fora d’agua na praia do Club Nautico de Ushuaia. Há poucos anos, atendendo os apelos de grupos de historiadores argentinos foi restaurado, ainda que de forma simples, mas hoje está exposto nas cercanias do Club Nautico, atrás do Aeroporto de Ushuaia.

 

Hélio Higuchi, nasceu em São Paulo/SP, em 1953, é graduado em arquitetura e urbanismo e pós-graduado em marketing, pesquisador de temas militares latino-americanos e colaborador regular da revista Tecnologia & Defesa. Possui trabalhos publicados sobre o tema em diversas mídias, como as revistas Asas, HobbyNews, Revista Aérea-AeroDigest e Military Machynes, é colaborador do Latin American Aviation History Society-LAAHS e é co-autor do livro M4 Sherman no Brasil (2008), O Stuart no Brasil (2015) e CUBA Tanques & AFV 1942-2019 (2019) e autor de A Serviço do Generalíssimo (2014).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here