SisGAAz – SIATT vence a concorrência da Fase Rio

A Marinha do Brasil (MB), por intermédio da Diretoria de Gestão de Programas da Marinha (DGePM), informou que o Consórcio MIRAMAR (formado pelas empresas SIATT – Sistemas Integrados de Alto Teor Tecnológico e BEN – Bureau da Engenharia e Negócios) foi selecionado como melhor oferta no processo de obtenção de unidade de vigilância costeira (UV), a ser empregada no âmbito do Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz), Fase Rio de Janeiro.

Uma UV é composta por um conjunto integrado de sensores como radar, câmeras de alta resolução e equipamentos de comunicação, dentre outros, que, instalados em locais da costa.

O SisGAAz é um programa da MB, previsto no Plano Estratégico da Marinha (PEM 2040), que consiste em diversos sistemas integrados com o objetivo de monitorar continuamente as áreas de interesse, detectar, identificar e acompanhar alvos da região denominada “Amazônia Azul”, o território marítimo e a Zona Econômica Exclusiva do Brasil, e distribuir essas informações de forma consolidada aos tomadores de decisão, sendo responsável por gerar consciência de situação na costa brasileira, permitindo o monitoramento do território marítimo, garantindo o uso soberano de suas riquezas e o controle das linhas de comunicação. Monitorar continuamente a áreas de interesse e detectar, identificar e acompanhar alvos, integrando, fundindo, analisando e disseminando as informações relevantes, com a máxima agilidade.

Em 18 de julho foi publicado o aviso de chamamento público (“request for proposal” – RFP) para esta etapa, com diversas empresas oferecendo propostas, e, no dia 29 de setembro, foi anunciado um “short list” composto pelas seguintes proponentes (em ordem alfabética):

  • Consórcio AEL-C4I (AEL Sistemas e Elbit Systems Cyber and C4I);
  • Consórcio MIRAMAR (SIATT e BEN); e
  • EMBRAER Defesa e Segurança.

O DGePM informou que o processo de seleção, desenvolvido após a divulgação da RFP, foi pautado na análise de riscos e em três macrocritérios: desempenho da UV; modelo financeiro de negócio e gestão do ciclo de vida; e apoio logístico integrado. “A negociação contratual deve iniciar oportunamente e  cumprirá os devidos trâmites legais e observará as condições estipuladas na RFP”, informou.

Com o objetivo de provar meios adequados para proteger as águas jurisdicionais brasileiras, o monitoramento, via SisGAAz,é condição fundamental para a consolidação da soberania brasileira (Foto: MB)

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Comentários

7 respostas

  1. Boa tarde Bastos, não vi o nome da Iacit em nenhum dos 3 concorrentes, então, em tese, ela poderia fornecer o Radar OTH 0100 p/ o Consórcio MIRAMAR ou ele já indicou outro fornecedor p/ esse item?

      1. Poxa, depois de tanto tempo operando aquela unidade no Farol de Albardão RS esperando uma encomenda da MB. Será que eles não podem ser fornecedores p/ o vencedor?

        1. Li que o radar OTH precisaria ser complementado por outros tipos de radares , sendo assim o que a SIATT ofereceu cumprirá todos os requisitos.

  2. Pelo que deu a entender a iacit não conseguiu entrar porque o foco é radar aí o sistema parece ser mais complexo

  3. Preciso confessar que não conhecia a BEN. Parece ter uma expertise interessante em portos e complementar à da SIATT, que agora conta com parceria estratégica com o EDGE. Torcendo pelo sucesso da implementação.

  4. de fato sinergias relevantes…. vamos aguardar pra ver todos os fornecedores. npa500 podia avancar tbm!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL