ÁREA DO CLIENTE

SARP Nauru 500C faz demonstração na Marinha

A Diretoria de Aeronáutica da Marinha (DAerM), com o apoio do Comando de Operações Marítimas e Proteção da Amazônia Azul (COMPAAz), do Comando da Força Aeronaval e organizações militares subordinadas, conduziu, no período de 11 a 13 de abril, na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA) e no Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) Amazonas (P-120), a demonstração do Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP) Nauru 500C, da empresa brasileira XMobots, com o propósito de verificar as capacidades e características do SARP para operações em terra e embarcadas.

O Nauru 500C é uma ARP certificada pela ANAC, de decolagem e pousos verticais (“vertical take off and landing” – VTOL), que elimina a necessidade de equipamentos de lançamento e de recolhimento e possui capacidade de realizar operações de inteligência, vigilância e reconhecimento. Desenvolvido para operações BVLOS (“beyond visual line of sight”) acima de 400ft, o Nauru 500C possui uma autonomia nominal de 4 horas, alcance de até 60 Km, comprimento de 1,86 m, envergadura de 3,64 m, e peso máximo de decolagem de 25 kg. A ARP pode ser configurada com câmeras estabilizadas eletro-ópticas (EO) e infra-vermelho termal (LWIR).

A demonstração realizada pela empresa XMobots contribui para o estabelecimento de requisitos para as futuras aquisições do Programa de Obtenção de SARP-E, previsto no Portfólio Estratégico da Marinha, e para o desenvolvimento de Produtos Estratégicos pela Base Industrial de Defesa (BID).

Nauru 500C pronto para voo na BAeNSPA

Fonte: Xmobots

COMPARTILHE

Respostas de 5

  1. Uma excelente noite de terça-feira a todos os Senhores camaradas do Tecnodefesa.

    Nossa Gloriosa Marinha de Guerra do Brasil é muito complexa de entender.
    Eu explico:
    Gastou uma fortuna no ScanEagle (tudo bem que o drone da Boeing tem 6x mais autonomia de vôo que o NAURU500, mas não dá pra entender porque não investir logo de cara na solução nacional! É ainda porque não investir no NAURU1000C que o EB está implantando! Este SARP tem uma autonomia de 10 horas de vôo (baixa em comparação às 24h do ScanEagle), mas pode ser armado coisa que o aparelho americano não, isso sem falar que, dependendo do humor de Washington, podemos ter o ScanEagle na vala…
    Em fim…muito difícil entender as escolhas da MB.

    Sgt Moreno
    (CM)

    1. a marinha estava interessada em testar vant da stela, albatross, para usar no Atlântico. Nao sei se ja foi feito esse teste ou vao fazer.

    2. Acredito que sãoutilizados para operções diferentes e o NAURU não estava ainda disponível, sendo protótipo. O ScanEagle já está em uso há muito tempo.

    3. Considero importante a compra do ScanEagle, um produto pronto e operacional em outras marinhas, para que a MB tenha parâmetro de comparação ao avaliar os Vants nacionais.
      Mas, agora é hora de adotar também e em maior escala os Vants brasileiros.

  2. Bacana!! Ótima iniciativa!!

    seria interessante testar o NAURU 1000C o mesmo do EB, é maior e carece de mais área para operação.
    O Nauru 1000C tem 10 Horas de autonomia 18Kg de carga paga , velocidade de Cruzeiro de 111km/h Envergadura de 7,7m comprimento de 2,9m

    4h de operação deve ser ideal para forças de segurança publica, para uma operação no Mar , parece ser pouco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *