SARC CORCED é instalado em lancha DGS Raptor 999

Nessa semana foi concluída a instalação do Sistema de Armas Remotamente Controlado (SARC) CORCED em uma das quatro Lanchas Patrulha Ribeirinha DGS Raptor 999 (Raptor 888 MK.2), que são operadas na região Amazônica pelas Forças Armadas Brasileiras, para demonstração das possibilidades desse sistema de armas.

A instalação ocorreu nas oficinas do Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (CECMA), em Manaus (AM), e foi efetuado por técnicos da empresa ARES Aeroespacial e Defesa, com o suporte técnico da DGS Defence, com o intuito de efetuar uma série demonstrações de tiro, que irão ocorrer nos próximos dias, apresentando as capacidades do SARC de tiro remoto estabilizado, visão noturna (câmera termal) e acompanhamento automático de alvos, para as Forças Armadas.

O SARC CORCED, acrônimo para “Controle Remoto de Conteira, Elevação e Disparo“, é uma estação de arma giro estabilizada leve, montada no convés do navio, totalmente desenvolvida no Brasil pela ARES. Este sistema permite a operação remota de metralhadora em um pedestal com movimentos de conteira e elevação, realizando remotamente a pontaria e disparo do armamento a partir de um console, o qual pode ser instalado em qualquer posição no interior da embarcação. Este sistema permite a operação remota de metralhadora Browning M2A1HB-QCB, de calibre .50 BMG (12,7×99 mm), em um pedestal com movimentos de conteira e elevação, realizando remotamente a pontaria e disparo do armamento a partir do um console.

As forças armadas brasileiras já operam as lanchas de assalto do Raptor 999 e sua integração com o CORCED, ou mesmo o REMAX, proporcionará grande ganho de poder de fogo a essas embarcações.

A instalação foi feita em poucos dias e não houve necessidade de modificações na embarcação, pois a Raptor 999 foi projetada já prevendo a utilização de um sistema de armas desse tipo. Essa instalação foi uma iniciativa da empresa Ares.

 

Copyright © 2020 todos os direitos reservados
Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônica ou mecanicamente, exceto nos termos permitidos pela lei, sem a autorização prévia e expressa do titular do direito de autor.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Um misto de alívio e expectativa. Foi assim que o Sindicato Nacional de Materiais de Defesa (SIMDE) recebeu a notícia...

A Elbit Systems anunciou ontem o contrato avaliado em US$ 600 milhões para o fornecimento de sistemas para a Hanwha...

Decisão evitará prejuízos a empresas do setor que corriam risco de perder contratos e contribuirá para a sustentabilidade e a...

O cabo Raony Osório, da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina (PMSC), que desde maio de 2022 está como...

Comentários

2 respostas

  1. Parabéns as FA brasileiras e as empresas ARES e DGS Defence Pelo equipamento.
    Pergunta: Olá Paulo Bastos, é possível integrar a essa torre misseis terra-ar curto alcance como o RBS 70 ou misseis anti-carro, que nesse caso seriam utilizados para atacar embarcações inimigas leves ?
    Valeu e parabéns pelo trabalho.

    1. O CORCED, assim como o REMAX, foi projetado apenas para utilizar uma metralhadora tipo Browning .50 BMG ou MAG 7,62 mm, porem, caso deseje utilizar um outro tipo de armamento, pelo que fui informado, pode-se utilizar seus berços para criar uma torre derivada, porem, respeitando o limite de peso e tamanho do conjunto (armamento, sistema de aquisição de alvo, guiagem, etc…).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Disponível

DISPONÍVEL