Saab apresenta míssil leve de guerra eletrônica

0
1147

Pela primeira vez a Saab comentou sobre o desenvolvimento de um novo sistema de guerra eletrônica. Trata-se de um míssil leve para o Gripen (Lightweight Air-launched Decoy Missile) capaz de interferir nos sistemas eletrônicos do inimigo, como radares e mísseis.

O novo sistema faz parte da oferta da Saab para a Finlândia no âmbito do programa H-X, que visa a substituição do Boeing F/A-18 C/D Hornet por um novo caça, de um e dois assentos, podendo a encomenda chegar a 54 exemplares. Plataformas de alerta aéreo antecipado e controle também fazem parte do programa. Para essa solução a Saab está oferecendo o GlobalEye.

A Finlândia também pretende empregar sistemas avançados de guerra eletrônica e neste caso, o novo míssil e o pod de ataque eletrônico da família Arexis são os últimos desenvolvimentos da empresa sueca neste sentido.

O Gripen D voando com o pod de ataque eletrônico da família Arexis.

Funcionando como uma isca, o míssil, ao ser lançado, vai abrir um “corredor de segurança” bloqueando radares em solo, no mar ou no ar, seja saturando ou criando alvos falsos. Assim, uma formação de aeronaves pode entrar, cumprir a sua missão no território inimigo e voltar sem sofrer ameaças.

Outro emprego está na saturação e confusão do sistema de defesa aérea do país, em que o míssil é disparado numa direção diferente ou oposta a que uma formação de aeronaves vai atuar.

O sistema é um multiplicador de força, pois reduz o número de mísseis e aeronaves necessários para completar uma missão.

“Nossa oferta para a Finlândia, combinando o Gripen E/F e o GlobalEye como multiplicadores de força, protegerá o povo e as fronteiras do país proporcionando uma consciência situacional abrangente e um verdadeiro efeito de dissuasão. O novo míssil, que apresentamos hoje, constituirá um forte acréscimo às capacidades de ataque eletrônico do Gripen E/F. A sua carga útil foi desenvolvida em grande parte na Finlândia e isso fortalecerá nossa oferta ao país”, disse Jonas Hjelm, vice-presidente sênior e chefe da área de negócios da Saab Aeronáutica.

O desenvolvimento do novo míssil significa que a Saab expandirá seu Centro de Tecnologia Saab em Tampere, Finlândia, com funcionários mais qualificados. Hoje 130 funcionários da Saab estão no país e o número deve dobrar em breve. A empresa sueca já estabeleceu uma parceria técnica profunda com a Aalto University, onde mais de 10 projetos de pesquisa estão em andamento nas áreas de sensores avançados e inteligência artificial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here