República Tcheca pretende adquirir novos sistemas de defesa antiaérea de Israel

4
1171

A República Tcheca optou pelo sistema Spyder, da israelense Rafael Advanced Systems, como substituto da sua atual estrutura de defesa antiaérea baseada no KUB 2K12, ainda de origem soviética.

O país, que antigamente compunha a aliança militar do Pacto de Varsóvia, é membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) desde 1999.

O ministro da Defesa, Lubomir Metnar, disse que o sistema israelense será fundamental para modernizar as forças armadas tchecas na proteção de polos industriais, econômicos, políticos, centros militares, usinas nucleares, aeroportos e outras instalações críticas de uma nação.

O Spyder é capaz de fornecer proteção contra aeronaves, helicópteros, bombardeiros, mísseis de cruzeiro e outras armas.

O SPYDER possui lançadores para oito mísseis, que podem ser tanto o Python 5 guiado por infravermelho, quanto o Derby, de radar ativo, e que faz parte do inventário da FAB nos caças Northrop F-5EM/FM. Com velocidade de Mach 4 (4.939km/h) a bateria consiste num centro de comando e controle que pode receber informações de outros radares e ainda gerenciar outros centros que estejam a até uma distância de 100 quilômetros; seis unidades de tiro; e um veículo para ressuprimento.

O SPYDER MR usa o radar Elta EL/M 2106 ATAR 3D de varredura eletrônica e capaz de rastrear até 60 alvos simultaneamente, e o míssil faz o engajamento após ser lançado e uma das suas vantagens é a capacidade de ser integrado em variados caminhões. A Índia, por exemplo, emprega os caminhões Tatra T-816 6X6, o mesmo chassi dos veículos ASTROS 2020.

O Python 5 tem alcance de 15 mil metros e teto operacional de 9 mil metros, enquanto o Derby tem alcance de 35 mil metros e teto de até 16 mil metros de altura. O sistema pode ainda utilizar o novo I-Derby-ER, com um alcance consideravelmente maior.

A República Tcheca avaliou outros sete sistemas antes de optar pela solução da Rafael. O Ministério da Defesa espera assinar o acordo, avaliado em mais de US$ 400 milhões, no início de 2021 e receber os primeiros sistemas dois anos depois.

4 Comentários

    • Aqui eu acredito que seja mais democrático pois a sua opinião sobre nossas FAs adquirirem o sistema Spyder também é compartilhada por mim, já em algum canais do Youtube e paginas do Facebook você sofre ataques de alguns hates se propor o sistema israelense

      • Seria bem interessante, visto que, ja utilizamos estes mísseisFAB. É extrema necessidade aquisição de sistema defesa aerea com esta capacidade pois não temos nada para defesa aerea nesta faixa atuação.

  1. O ideal seria o Brasil desenvolver seus próprios sistemas de defesa AAe, mas infelizmente os políticos não entendem que defesa é um investimento e neste caso na minha humilde opinião o Sistema BARAK 8, da IAI, parece ser mais capaz inclusive com um de seus misseis com mais de 100 Km de alcance e uma versão naval.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here