Presente de Natal – Contrato do VBC Cav foi publicado

Começa o futuro para Exército com o mais avançado blindado de sua categoria.

O Diário Oficial da União (DOU) publicou na ultima quinta-feira, dia 22 de dezembro, a assinatura do contrato para aquisição do lote de amostra da viatura blindada de combate de Cavalaria – média sobre rodas (VBC Cav) Centauro II entre o Exército Brasileiro e o Consórcio Iveco – OTO Melara (CIO), uma “joint venture” entre as empresas italianas Iveco Defence Vehicles (IDV) e Leonardo, com sede em Roma, vencedora da concorrência internacional.

O projeto VBC Cav prevê a aquisição de no mínimo 98 viaturas 8X8 Centauro II, equipadas com canhão de 120 mm.

A assinatura do contrato, que ocorreu no dia 15, pode ser vista como o renascimento do Exército como força de combate, já que este passará a operar o mais avançado e poderoso veículo blindado de combate sobre rodas do mundo. Esse projeto vai impactar positivamente todas as próximas aquisições da Força Terrestre, como a modernização dos carros de combate Leopard 1A5 (e seu posterior sucessor). Nesse sentindo, a chegada do Centauro II vai elevar o Exército a um patamar tecnológico e operacional nunca antes atingido na sua história.

A escolha do Centauro II poderá determinar a utilização da torre HITFACK MkII na modernização dos CC Leopard 1A5 e/ou de seu sucessor (Foto: Leonardo)

Aguarda-se para o inicio do próximo ano a apresentação das viaturas e o inicio dos testes para sua homologação e, conforme os lotes forem adquiridos, terão inicio os programa de compensação (“offset”), como a produção da munição de 120mm, pela IMBEL, o desenvolvimento do simulador da viatura, pela AEL Sistemas, dentre outros.

 

Copyright © 2022 todos os direitos reservados

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônica ou mecanicamente, exceto nos termos permitidos pela lei, sem a autorização prévia e expressa do titular do direito de autor.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Condor Tecnologias Não Letais anunciou detalhes dos integrantes do Conselho de Administração, após a recente aquisição de uma participação...

Acordo entre França, Bélgica, Chipre, Estônia e Hungria, assinado em 19 de junho, celebra a cooperação estratégica para a aquisição...

A KATIM, uma empresa do Grupo, e a Thales começarão a discutir o co-desenvolvimento de tecnologias de rádio definido por...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Comentários

18 respostas

  1. Paulo
    Boa tarde
    Excelente notícia.
    Espero que os programas estratégicos das Forças Armadas continuem sendo executados, se possível de forma mais célere.
    Parabéns pelo seu extraordinário trabalho, sempre nos trazendo informações completas, de forma impecavelmente profissional.
    Desejo a você e a todos os leitores do seu excelente site, um feliz natal e um ótimo ano novo.

  2. Creio que a nossa base industrial de defesa vai ser umas das grandes vencedoras deste programa. Este é meu desejo!

  3. Bastos, ótima notícia para esse Natal. Muito bom saber que a AEL Sistemas será parte do projeto desenvolvendo o
    Simulador do Centauro 2. A empresa é uma das principais expoentes da BID e possui engenheiros de alta qualidade. Seria ótimo ver o rádio RDS-Defesa instalado no veículo também.

      1. Feliz natal Paulo e desculpe comentar um tema fora, Mas porque nunca nenhum portal comentou o fato da Remax 4 nada mais ser que o projeto da CORCED ( existente desde 2014) ajustado para o EB? poderia dar uma matéria com a ARES sobre suas torres

        1. ….porque nunca nenhum portal comentou o fato da Remax 4 nada mais ser que o projeto da CORCED…
          Porquê, não é!!!
          O REMAX 4 é uma evolução do REMAX, utilizando a experiência de uso do EB e algumas soluções do projeto do CORCED (que é bem diferente).
          E posso dizer isso com propriedade, pois acompanho este projeto desde seu inicio como o pesquisador (e não jornalista, pq sou um engenheiro e isso me dá uma visão completamente diferente da deles. Eu consigo fazer perguntas técnicas e entender as respostas, coisa que a maioria deles não 😉 ) que mais acompanhou e divulgou todas as etapas do projeto.

  4. Paulo, uma boa noite.
    Existe espaço no CFN para o Centauro 2?
    Tem haver com a realidade desta tropa?

  5. Centauro II, Fragatas Tamandaré, Classe Riachuelo, Gripens, A330 MRTT… Nossas Forças Armadas têm feito ótimas aquisições nesses últimos anos. Por questões orçamentárias vacilamos na quantidade, mas a qualidade é inegável!

  6. Paulo, o que poderia ser aproveitado nos projetos do cascavel e Centauro II?
    C2, rádios, computador de tiro, sistemas de visão…?

  7. Excelente notícia pra fechar o ano.com chave de ouro!

    A respeito do programa de aquisição de um novo veículo blindado sob lagartas há alguma informação mais recente? busquei na internet mas não tive êxito.

  8. Paulo, sendo essa possibilidade de se usar a mesma torre dos Centauros 2 na modernização dos Leopards 1A5, havendo poderíamos esperar uma ampliação no número de CC a serem modernizados? Em caso positivo, quero saber o que tu achas que poderia ser feito com os anteriores Leopards 1BE, existiria a possibilidade de também serem modernizados para o mesmo padrão, já que o principal problema deles era, justamente, a torre? Faço essa pergunta como curiosidade, visto essa questão da torre ser bem interessante, além de aumentar substancialmente o número de CC, equipado com um torre no estado da arte, sem perder e/ou criar uma nova linha logística e industrial dos meios que já possuímos no Brasil/EB.
    Grande abraço e boas festas!!!

  9. Os Leopard 1 BE só servem para vender sucata. A
    Escolha do centauro 2 mostrou o caminho certo a seguir. A diferença entre modernizar algo Velho que nunca fica bom e comprar algo novo e moderno hoje em dia não é muito grande. Temos que comprar novos veículos. A solução para os RCB é o Centauro 2. Muita gente da cavalaria já entende que o Centauro é a solução para substituir os velhos Leopard belgas dos RCB.

    1. Amigo, não querendo afronta vc e não sou especialista da área , porem pelo que eu acompanho e tenho lido e apendido , existe uma contradição no que vc está dizendo, o Centauro II para substituir os Leopard 1A5BR.
      O Leopard é um Carro de Combate pesado para área mais quente no TO sendo assim tem que ter mais proteção balística para sobrevivência na sua área de operação, o Centauro II é um caça tanque , que não tem a mesma proteção balística de um CC “Tanque”, tanto que o Centauro não estão substituindo o Aríete C1 , na verdade estarão sendo modernizados com os sensores e a torre do centauro II e um “provavel” novo motor.
      O Aríete C1 pesa 54 T com um motor com 1247hp – relação peso potência 23,09hp
      Centauro II 30 toneladas, 720 HP, relação peso potência 24hp

    2. Ribeiro,

      Se houver uma substituição como a que pretende, então não haverá RCB… Os Regimentos de Cavalaria Blindada assim o são pelas esteiras que o levam…

      Adotar o Centauro II no lugar dos Leo 1 significaria uma mudança completa da forma como se luta, quer dizer, as missões não poderiam ser executadas da mesma maneira, visto que as características da plataforma são bastante distintas em relação a um veículo com lagartas, imponto táticas diferentes… Primeiro, o poder de choque, que não seria o adequado para executar um ataque direto (falta proteção balística). A seguir, o terreno, visto que as rodas não vão aonde as lagartas podem ir…

      Em verdade, o único substituto possível para o Leopard é um outro carro de combate, dotado de poder de fogo e proteção adequados, que possa dar o “punch” inicial a uma ofensiva e trazendo as suas costas um algo que possa ser considerado um IFV recheado com uma tropa especializada em choque.

    3. Na verdade, a substituição dos CC Leopard pelos VBC Cav nos Regimentos de Cavalaria Blindados (RCB) é algo totalmente viável (e na minha opinião, lógico), principalmente se levarmos em conta as características destes, e já está em estudos no Estado Maior do Exército há alguns anos.
      Os RCB são as unidades de choque das Brigadas Mecanizadas, ou seja, brigadas cujo grand vantagem é a mobilidade, pois utilizam vtr sobre rodas. Olhando por este lado, a utilização d CC sobre lagartas é meio anacrônico, pois limitara a mobilidade das demais viaturas. Assim sendo o uso de lagartas seria limitado as Brigadas Blindadas, com seus RCC e BIB.
      Todavia, como disse, este é um assunto que ainda esta em discussão e que vai gerar muuuuuita DISCUSSÃO 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL