Peru avalia a compra de blindados 8X8 sul-coreanos

Por Zona Militar, da Argentina (*)

De acordo com o jornal sul-coreano The Korean Economic Daily, em 03 de abril último, o governo peruano está avaliando a compra de viaturas blindadas sobre rodas 8X8 K808 “White Tiger”, fabricados pela empresa Hyundai Rotem, para equipar suas forças armadas e que o governo de Seul está fazendo todos os esforços para sua concretização.

Segundo o jornal, “(…) de acordo com os contratos de defesa anteriores da Hyundai Rotem com o governo e o exército coreanos, seu acordo com o Peru pode chegar a 99 unidades no valor de 250 bilhões de won (US $ 190 milhões)“.

Seguindo o que foi relatado e consultando os representantes da empresa Hyundai Rotem, eles expressaram que este tipo de veículo se adapta ao exigente terreno da geografia do Peru, onde a tração 8X8, com suspensão independente, é adequada para subir colinas e percorrer os desníveis do terreno. Além disso, eles explicaram que o K808 pode transpor obstáculos com vários graus de inclinação e valas de até 1,5 metros de profundidade. Seu armamento padrão inclui metralhadoras Daewo K-6, de 12,7×99 mm ou lançadores de granadas K4, de 40×53 mm.

Em consonância com o mencionado, o jornal informou que o governo peruano solicitou a instalação de um sistema de armas remotamente controlada (SARC) desenvolvida pela Hyundai Wia Corp.

O K808 foi projetado para missões rápidas de destacamento de tropas e reconhecimento em áreas de linha de frente, tendo também uma versão 6X6, chamada K806, e que sua produção seriada iniciou em 2018. Vale ressaltar que possui uma carroceria blindada e totalmente selada, que proporciona proteção do tipo química, biológica, radiológica e nuclear aos seus ocupantes, é atualmente um dos principais meios de transporte de pessoal utilizados pelo Exército da República da Coreia e que possui versões de posto de comando e controle móvel, ambulância, antiaérea e de apoio de fogo.

 

(*) Zona Militar é uma publicação argentina de defesa, segurança e geopolítica, criada em 2015, e parceira de Tecnologia & Defesa no intercâmbio de informações, para manter os leitores atualizados das notícias importantes que ocorrem entre os dois países.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Comentários

13 respostas

  1. gostaria de saber quais são as chances dos sul coreanos consolidarem uma posição de destaque na América do Sul. Tenho achado os produtos de defesa sul coreanos muito interessantes.

  2. Curioso como ninguém mais toca na questão da altura dos blindados de transporte. Lembro que atacaram o Guarani por mais de 10 anos por causa de sua altura, silhueta, que seria um alvo fácil, etc.

    Dai vem os turcos e apresentam um APC que possui a altura de uma casa de dois andares, os coreanos igualmente. E o assunto morre.

    1. Penso que há muitas críticas pertinentes feitas nos comentários das páginas de Defesa aqui no Brasil; o nível do debate tem melhorado cada vez mais. Mas sempre tem gente que critica por criticar, pra encher o saco mesmo, principalmente quando é produto brasileiro ou sendo adquirido pelas nossas Forças Armadas!
      Comece a reparar nos comentários das páginas de Defesa nas matérias sobre a Classe Tamandaré, por exemplo. São sempre os mesmos nicks postando as mesmas coisas: “corveta mal armada”, “míssil antiaéreo (CAMM) com 25 km é ridículo”, etc…

      1. Com muitos “debates” se afastando do assunto e se resumindo a posições políticas, onde as pessoas têm focado cada vez mais em dar opiniões ao invés de considerar as informações, o nível do debate têm caído muito nos últimos anos.

        Mas concordo com você, são sempre os mesmo críticos, sempre com muita opinião e muito pouca informação.

    2. Finalmente encontramos um veículo mais alto e mais feio que o Guarani, repare que os atuais projetos de VBTT estão levando em consideração o conforto dos ocupantes e abrindo mão de dimensões menores…

      1. geralmente hoje a busca por eficiência e conforto da tropa ta fazendo muitas empresas deixa de ser importa com a aparência isso tá ficando cada vez mais predominante

      2. imagine você dentro de um veículo barulhento, muito quente (ou muito frio), que chacoalha pra c…, por 1 ou 2 horas, indo para a frente de batalha…

        Conforto é questão de ergonomia e influencia diretamente no desempenho da tropa no campo.

    3. Isso é por causa do complexo de vira latas de muitos brasileiros; tudo dos outros é melhor que o nosso…
      Me entristece ver o Peru não se interessando pelo Guarani, mas deve ser por causa do terreno, como foi explicado na matéria.

      1. A questão é política e economia, o Guarani não teria problemas de mobilidade no terreno Peruano, o 6×6 com bloqueio de diferencial é um mostro …

    4. O dia que descobriem que o Guarani tem basicamente a mesma altura do LMV 4×4 da IVECO que o EB está adquirindo quem sabe param de falar o que não sabem. Salvo engano o Guarani é 10cm mais alto, apenas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL