Operação Culminating – Paraquedistas continuam sua preparação

10
7658

A Brigada de Infantaria Pará-quedista (Bda Inf Pqdt), por meio de uma Companhia de Fuzileiros do 25º Batalhão de Infantaria Pará-quedista (25º BI Pqdt), realizou no dia 9 de junho um adestramento específico de “Live Fire”, Dando continuidade ao cronograma de treinamentos que visa a participação na Operação Culminating 2021, os militares puderam aperfeiçoar o tiro tático e a progressão no terreno.

O exercício ocorreu no Campo de Instrução de Gericinó (CIG), no Rio de Janeiro (RJ), em nível esquadra*.

Foram efetuados disparo em progressão, atingindo alvos na distância de 100 a 300 metros, com fuzil 5,56 mm IMBEL IA2 e metralhadora leve 5,56 mm FN MINIMI, de dotação dos Pelotões de Fuzileiros Paraquedistas, e contou com a participação de 50 militares, para o aperfeiçoamento de seu preparo operacional.

 

Operação Culminating

O Exercício Combinado “Culminating“, a ser realizado entre o Exército Brasileiro e o Exército dos Estados Unidos (US Army) em fevereiro de 2021, é a conclusão de um ciclo de cinco anos de intercâmbio entre os dois exércitos, conduzido por meio das conferências bilaterais de Estado-Maior.

A Operação, é baseada no emprego de uma subunidade de fuzileiros paraquedista (SU Fuz Pqdt), enquadrada em um batalhão de uma brigada da 82ª Airborne Division (US Army), durante um exercício de avaliação de adestramento, realizado no Joint Readiness Training Center (JRTC), em Fort Polk, no Estado da Louisiana.

Além da SU Fuz Pqdt, participarão da operação uma equipe de ligação junto ao batalhão americano e uma equipe de observadores, controladores e adestradores (Eqp OCA) do Centro de Adestramento Leste, bem como elementos da Companhia de Precursores Pára-quedistas (Cia Prec Pqdt), 20º Batalhão Logístico Pára-quedista (20º BLog Pqdt), 8º Grupo de Artilharia de Campanha Pára-quedista (8º GAC Pqdt) e a 20ª Companhia de Comunicações Pára-quedista (20ª Cia Com Pqdt).

*Esquadra é uma fração constituída por um Cabo, Comandante da Esquadra, e três Soldados Fuzileiros. Duas Esquadras são comandadas por um Sargento, formando Grupo de Combate. Este por sua vez é enquadrado em um Pelotão de Fuzileiros.

Fonte: Comando Militar do Leste
Fotos: 2º Tenente Ferrentini

10 Comentários

    • Ola Diego.
      Olha eu não sei se o EB comprou MINIMI em números suficientes para isso, apesar de, em 04/10/2013 ter sido publicada a PORTARIA Nº 203-EME, Padronização da Família da Metralhadora Mini Mitrailleuse (Mtr MINIMI) no EB, porem ainda existem FAP’s em diversas unidades, porem acredito que nas principais unidades (as consideradas estratégicas) essa substituição já tenha ocorrido.

        • Negativo, as fotos mostram subunidades do 25º BI Pqdt com esse equipamento, ou seja, existem mais tropas com esse armamento.
          Possuo fotos da versão com coronha em tropas de Selva, Aeromóvel e Mecanizadas.

  1. Maravilha o intercâmbio entre Brasil e a maior potência militar do planeta. Precisamos de bases americanas em nosso território.

    • Com que objetivo estratégico?
      Quem pagaria pelos custos?
      Em quais pontos?
      Tudo precisa ser bem pensado!

  2. ATÉ QUE ENFIM ESTÃO COM UM CAPACETE DECENTE, ONDE PODEM SER AFIXADOS VÁRIOS COMPONENTES PARA AUXILIAR O NOSSO COMBATENTE, AGORA SÓ FALTA MUDAR O COTURNO COM BRILHO PARA UM MARROM SEM BRILHO, POIS O COM BRILHO SE O OPONENTE ESTIVER COM UM INTENSIFICADOR DE VISÃO NOTURNA ELE APARECE COMO UMA “VELA” ACESSA NO ESCURO. ESTAMOS CHEGANDO LÁ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here