Os F-16A/B chilenos serão modernizados

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou a assinatura de um contrato com a Lockheed Martin Aeronautics, no valor de US$ 177.148.070, para a modernização das aeronaves F-16A/B MLU Fighting Falcon da Força Aérea do Chile (FACh) para o padrão M6.6, dentro do programa operacional de voo e atualização de sistemas. O contrato foi feito através do Centro de Gerenciamento do Ciclo de Vida da Força Aérea, Base Aérea de Hill, em Utah, e os serviços serão realizados em Fort Worth, no Texas, e Greenville, na Carolina do Sul, e no Chile, com conclusão prevista para novembro de 2032.

Não são, ainda, conhecidos os detalhes do padrão M6.6 que, como levando em conta os padrões M6.5, M7.1 e M7.2, pode-se deduzir que este estaria em algum lugar entre eles. O padrão M6.5, instalado nos F-16 que a Argentina pretende adquirir, inclui melhorias do sistema IFF, integração de funções aprimoradas do Link-16, integração de armas guiadas por GPS, míssil AIM-120D, novas armas (JASSM, JDAM, EGBU-12 e AIM-9X), “racks” avançados, atualização de software de interface (AN/AAQ-14 LANTIRN) e do sistema AN/ALR 56M, entre outros. No momento, a FACh conta com 36 F-16A/B MLU.

 

Santiago Rivas é jornalista e fotógrafo argentino, especializado em defesa, editor da revista Pucará Defensa e colaborador de Tecnologia & Defesa na Argentina

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) planeja testar uma das mais avançadas tecnologias de imageamento por satélite. Isso será...

A IACIT fortaleceu sua posição no mercado ao estabelecer uma colaboração estratégica com a Omnisys Engenharia, subsidiária da Thales, e a Meteomatics,...

A MBDA assinou uma emenda contratual com a Organização para Cooperação Conjunta em Armamento (OCCAR) para aumentar as capacidades técnicas...

A equipe de Tecnologia & Defesa esteve a bordo do super navio-aeródromo USS George Washington (CVN 73), um navio de...

Comentários

5 respostas

  1. O Brasil com os Gripens está provocando uma alteração de “equilíbrio ” na América do Sul e nossos Hermanos estão se mexendo.

    1. Não vejo por este lado, as Forças Aéreas da região estão há tempos defasadas e o que está ocorrendo é uma tentativa de modernização da frota. Veja a situação da Colombia, Argentina, Euqador, Peru, Bolívia, Uruguai então, esse tá muito ferrado….

    1. Que eu saiba os concorrentes do Gripen E em tecnologia embarcada são os F-16 Viper.
      Se a versão modernizada M6.6 não é um Viper, logo suponho que não chegue perto do Grifo. Mas aguardo resposta de quem entende do assunto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL