Operações com drones na Brigada Guarani

No período de 3 a 13 de junho, o Centro de Instrução de Aviação do Exército (CIAvEx) realizou a experimentação doutrinária do sistemas de aeronave remotamente pilotada (SARP) categoria 1 Matrice 300 RTK, nas cidades de Cascavel, Vera Crus do Oeste e Santa Helena, no Estado do Paraná, com as organizações militares (OM) da 15° Brigada de Infantaria Mecanizada (15° Bda Inf Mec), a “Brigada Guarani”.

O principal objetivo do exercício simulado é a certificação em conjunto com a Força de Prontidão da 15° Bda Inf Mec, na qual módulos específicos integrados estão sendo empregados para fins de experimentação (SARP e CAÇADOR) para atuarem como tropa orgânica da brigada em operações militares.

Fonte: Centro de Instrução de Aviação do Exército

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Em um surpreendente anuncio ocorrido hoje, dia 11 de junho, a empresa franco-germânica KNDS informou que encerrou as negociações de...

Na ultima quinta-feira, dia 6 de junho, ocorreram testes de lançamento do míssil anticarro MSS 1.2 AC por militares do...

Parceria prevê aumentar conhecimento das tecnologias em uso atualmente e em desenvolvimento no país, além de explorar novas técnicas Uma...

A Marinha do Brasil (MB), a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON) e a Sociedade de Propósito Específico (SPE) Águas...

Comentários

9 respostas

  1. Esse e o presente e futuro. Drones em grande quantidades. E veiculos anti drone tambem em grande quantidade.

  2. O futuro é esse aí. Empregar as mais variadas tropas do drones de alta e média capacidade é o que poderá ditar muita coisa no campo de batalha.

  3. No meu ponto vista é um ganho sem precedente a operação de Drones/Vants , amplia a capacidade situacional, aumenta a segurança da tropa , melhora o acerto nos alvos reduzindo desperdiço de munições da artilharia , aumenta a capacidade de ataque e amplia a afrente de defesa de uma área ocupada.

    Que o Exercito Brasileiro invistam no desenvolvimento e produção de Drones/Vants para ter domínio Situacional no TO da américa latina.

  4. Aos camaradas que aqui frequentam.. estive vendo os ucranianos usando granadas nos drones,porém por agora parecem estar usando uma “bomba” pequena.. seria aquilo um morteiro adaptado? minha pergunta senhores.

    1. Sim, granadas de morteiros de vários calibres, desde que o drone suporte o peso. Lançado por drones, qualquer tipo de explosivo pode ter alto grau de letalidade, inclusive coquetel molotov preso a uma espoleta de simples detonação.

  5. Tem que produzir os drones no Brasil senão ficamos dependentes de outros países e gera conhecimentos em desenvolvimento e empregos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL