Operação Vitória – A consolidação da 6ª Divisão de Exército

2
3228
Cerimônia de Formatura da abertura da Operação Vitória, em 03 de novembro (Foto: sd Abreu e sd Dos Santos / 3ª Bda C Mec)

Desde o dia 03 de novembro está sendo realizado a Operação Vitória, o primeiro grande exercício da 6ª Divisão de Exército (6º DE), a Divisão Voluntários da Pátria, após sua reativação, e está ocorrendo em diversas localidades no entorno de Bagé, no Sul do Rio Grande do Sul, e ao longo de cerca de 90 quilômetros de área entre os município de Dom Pedrito, Lavras do Sul e Ibaré, na Divisa com o Uruguai. O exercício se encerrará no dia 14.

O 9º Regimento de Cavalaria Blindado (9º RCB), é a unidade mais poderosa da 6º DE e esta empregando na Operação Vitória os VBC CC Leopard 1A5BR e Leopard 1A1, lado a lado, como vistos na foto, e os VBTP M113BR (Foto: CMS)

A 6ª DE foi desativada em 2014, decorrente dos planos de modernização do Exército Brasileiro (EB), visando a transferência de meios para a região Norte do país, porém, devido a novas demandas estratégicas, esta foi reativada pelo Decreto Presidencial nº 9.965, de 8 de agosto de 2019, sendo subordinada ao Comando Militar do Sul (CMS), tendo novamente como sede a cidade de Porto Alegre (RS), e sendo responsável por cerca de 7.700 militares, distribuídos por 23 organizações militares (OM), e com uma grande área fronteiriça no sul do Brasil como sua responsabilidade.

O 2º Batalhão de Aviação do Exército (2º BAvEx) também esta participando da operação com seus HM-4 Jaguar (Foto: 8ª Bda Inf Mtz)

Comandada pelo general de divisão Achilles Furlan Neto, o nome dessa operação deriva da “vitória” sobre os enormes desafios enfrentados pelos integrantes da 6ª DE em reunir e coordenar as diversas OMs, após cerca de 1 ano de reativação e em período cuja o treinamento e a capacitação de seus conscritos foi em muito prejudicada pelas restrições sanitárias causadas pela pandemia do COVID-19. Realmente, um nome que faz jus as dificuldades enfrentadas e vencidas.

Contando com cerca de 4 mil militares, 700 viaturas, entre blindados Leopard, M113B e BR, Cascavel, Urutu e Guarani, viaturas leves, de transporte e de apoio ao combate, e helicópteros, como os HA-1 Falcão (AS550), do 1º BAvEx, e HM-4 Jaguar (H225M), do 2º BAvEx, o exercício simula progressão de terreno e simulações de ataque e contra-ataque, nas quais duas brigadas se unem para fazer frente a um país oponente fictício que teria invadido o território sobre sua responsabilidade. Os proprietários de terras liberaram suas fazendas para que servissem de palco para os exercícios.

A Operação Vitória é a primeira das duas grandes operações que ocorrerão no sul do Brasil nesse mês, a outra será a Operação Arandu, um exercício combinado entre os Exércitos do Brasil e Argentina, que ocorrerá no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), Saicã, localizado em Rosário do Sul, e sobre a coordenação do CMS.

Com informações e Imagens da Comunicação Social do CMS

2 Comentários

  1. Parabens pela reportagem!
    Uma duvida: a desativação da 6a DE em 2014, visava a transferência de meios para a região Norte do Brasil (3a Bda C Mec). Como isso pode ter mudado diante das constantes crises com Venezuela e fatos atuais?? Não faz sentido!? Ou existem razões que desconhecemos? Grato!

  2. Bastos, alguma informação sobre o andamento do programa que iria equipar os Fenec’s e, se não me engano, os Pantera com mísseis anti carro(ATGM) ,tema que foi matéria do Caiafa tempos atrás ???

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here