Operação Saci 2020 – Brigada Paraquedista realiza exercício aeroterrestre em Resende

5
2276
O VLEGA Chivunk foi utilizado em um RIPI pelo 1º Pel do 1º Esqd C Pqdt

Na ultima sexta-feira, dia 09 de outubro, a Brigada de Infantaria Pára-quedista (Bda Inf Pqdt) realizou uma série de saltos na região de Resende (RJ), dentro do contexto da Operação Saci 2020, tradicional exercício anual de adestramento avançado da Brigada.

Cerca de 1.800 militares da Brigada participam da operação, que conta com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), do Comando de Operações Especiais (COpEsp), Comando de Aviação do Exército (Cmdo Av Ex) e Academia Militar da Agulhas Negras (AMAN), e ocorrerá até a o dia de hoje, 12 de outubro.

O Objetivo do exercício é coroar o adestramento das frações orgânicas dessa Grande Unidade da Força de Ação Rápida Estratégica do Exército Brasileiro, com a realização de saltos em um suposto território inimigo e a tomada de pontos estratégicos, demonstrando a capacidade da tropa em se manter por meios próprios por, pelo menos, 72 horas.

No exercício dessa sexta, três forças tarefas, compostas por diversas organizações militares da brigada, executaram um assalto aeroterrestre em três zonas de lançamento distintas, balizadas previamente pela infiltração da Companhia de Precursores Paraquedista (Cia Prec Pqdt) e com apoio de operadores especiais do 1º Batalhão de Forças Especiais (1º BFEsp), e contaram com o apoio de artilharia da AMAN e dos helicópteros do º Batalhão de Aviação do Exército (4º BAvEx).

Após o assalto aeroterrestre bem sucedido, o 26º BI Pqdt marchou para a conquista de seus objetivos

 

Os destaques da Operação

Uma fração do 1° Esquadrão de Cavalaria Pára-quedista (1º Esqd C Pqdt), Os Centauros Alados, compuseram o Escalão Precursor, proporcionando a Segurança Afastada da Zona de Lançamento, com o mockup do míssil anticarro MSS 1.2. Seu 3º Pelotão, integrando a FT Santos Dumont, ocupou uma Posição de Bloqueio no Posto Avançado de Combate, utilizando o MSS 1.2 AC como principal meio de defesa anticarro, e o 1º Pelotão mobiliou uma Região de Interesse para a Inteligência (RIPI), utilizando a Viatura Leve de Emprego Geral Aerotransportável (VLEGA) Chivunk, na rodovia RJ 151, no norte da cabeça de ponte aérea, o que permitiu o alerta oportuno às posições defensivas.

A 20ª Companhia de Comunicações Pára-quedista (20ª Cia Com Pqdt) fez uso do sistema de comunicações militares por satélite (SISCOMIS), utilizando o SGDC-1 (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas), que possibilitou a Brigada acesso à rede operacional de defesa, a EBNET e Internet.

militares do 20ª Cia Com Pqdt montam uma antena do SISCOMIS

O 3º Pelotão da 1ª Companhia de Engenharia de Combate Pára-quedista (1ª Cia E Cmb Pqdt), pertencente à FT Velame, realizou, no dia 10, uma neutralização de artefato explosivo improvisado (AEI), por meio do acionamento de carga fria, na localidade de Vila Florida, com emprego do robô TEODOR, pertencente ao 2º Batalhão de Engenharia de Combate (2º BE Cmb), equipado com o implemento de raios X para o levantamento de imagem.

O robô TEODOR em ação

 

Com informações e imagens do Cmdo Bda Inf Pqdt

5 Comentários

  1. Quantos desses VLEGA mod.Chivunk dispomos nas nossas brigadas paraquedistas ?
    Acreditado muito na importância desse veiculo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here