Operação Punhos de Aço – O contra-ataque da 6ª Brigada de Infantaria Blindada

0
1814

No período de 28 de outubro a 10 de novembro, ocorreu a Operação Punhos de Aço 2020, no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), Saicã, em Rosário do Sul (RS). Esse exercício é um adestramento avançado da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (6ª Bda inf Bld), a Brigada Niederauer, sediada em Santa Maria (RS), no contexto tático em operações defensivas, com a realização de um contra-ataque de destruição em um quadro de defesa móvel da 3ª Divisão de Exército (3ª DE), a Divisão Encouraçada.

Participaram da operação o 4º Regimento de Carros de Combate (4º RCC), de Rosário do Sul; 7º Batalhão de Infantaria Blindado (7º BIB), de Santa Cruz do Sul; 12º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado (12º BE Cmb Bld), de Alegrete; além das seguintes unidades da guarnição de Santa Maria: 1º Regimento de Carros de Combate (1º RCC), 29º Batalhão de Infantaria Blindado (29º BIB), 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (3º GAC AP), 4º Batalhão Logístico (4º B Log), 6ª Bateria de Artilharia Antiaérea Autopropulsada (6ª Bia AAAe AP), 3ª Companhia de Comunicações Blindada (3ª Cia Com Bld), Companhia de Comando da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (Cia C 6ª Bda Inf Bld) e do 26º Pelotão de Polícia do Exército Mecanizado (26º Pel PE Mec).

A corrida dos Tanques: as VBC CC Leopard 1A5BR, do 1º RCC, avançam contra as defesas inimigas (Foto: Sd Moura / 1º RCC)

Para o contra-ataque de destruição foram criadas duas Forças Tarefa (FT) compostas pelos VBC CC Leopard 1A5BR e fuzileiros blindados em VBTP M113BR. A primeira era formada pelo 1º RCC e 29º BIB e a segunda pelo 4º RCC e 7º BIB, inseridos no contexto do Projeto Força Tarefa Unidade Blindada, com a cobertura antiaérea dos Gepard 1A2, da 6ª Bia AAAe AP, durante seu deslocamento.

As VBCOAP 155mm M109A5+BR, do 3º GAC AP, garantiram o apoio de fogo ao avanço (Foto: 3º GAC AP)

O 3º GAC AP, o Regimento Mallet, apoiou o contra-ataque e executou diversas missões, com destaque para o tiro em tempo restrito. Do recebimento da missão, realização da pontaria e desencadear do fogo, as VBCOAP 155mm M109A5+BR cumpriram a missão em aproximadamente 4 minutos.

Além das ações táticas relativas ao contra-ataque de destruição, foram realizados o tiro real de artilharia e de morteiro pesado, a transposição de curso d’água dos meios blindados e o desdobramento do Posto de Comando Tático do Comandante da Brigada.

Uma VBC DAAe Gepard 1A2, da 6ª Bia AAAe AP, transpõem o Rio Santa Maria pela Ponte M4T6 instalada pelo 12º BE Cmb Bld (Foto: 2º sgt Gonçalves / 12º BE Cmb Bld)

Antes do início da operação, em 01 de outubro, o 12º BE Cmb Bld concluiu a montagem da ponte flutuante M4T6 sobre o Rio Santa Maria, no CIBSB, além da manutenção da rede mínima de estradas do Campo, para possibilitar a transposição dos blindados Leopard 1A5BR, M109A5+BR, Gepard 1A2 e M113BR da da 6ª Bda Inf Bld.

Com informações e imagens da Comunicação Social da 3ª Divisão de Exército

AÇO!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here