Operação Escudo Yanomami – como funciona o controle do espaço aéreo

Por Assessoria Especial de Comunicação Social (Ascom)

A Força Aérea Brasileira (FAB) ativou uma Zona de Identificação de Defesa Aérea (ZIDA) na Região Norte do País. A medida, em cumprimento ao Decreto Presidencial nº 11.405, de 30 de janeiro de 2023, objetiva ampliar o combate às atividades de garimpo ilegal em Roraima, no contexto da Operação Yanomami, nas comunidades indígenas daquele território.

O espaço aéreo dentro da ZIDA é dividido em três áreas distintas e separadas por cores, de acordo com o nível de acesso: branca (área reservada), amarela (área restrita) e vermelha (área proibida). Compete à FAB a adoção de Medidas de Controle do Espaço Aéreo (MPEA) contra qualquer tipo de tráfego suspeito, para garantir que as regras sejam respeitadas. Na área vermelha, apenas as aeronaves militares e as que estiverem envolvidas na operação estão autorizadas a sobrevoar.

As aeronaves que, porventura, descumpram os procedimentos estabelecidos pela Aeronáutica, estão sujeitas às MPEA. Estas são estabelecidas pelo Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA) para identificar tráfegos suspeitos e desconhecidos, além de detectar possíveis ilícitos com o foco em manter a soberania do Brasil.

Medidas de policiamento

 As aeronaves podem ser submetidas à identificação à distância para checagem de dados de voo e matrícula (registro do avião). Em caso de suspeita, são submetidas a procedimentos de interrogação por parte das aeronaves em alerta (no chão ou em voo), que podem resultar em pedido de mudança de rota e pouso obrigatório em localidade previamente estabelecida pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Nesse caso, após o pouso, já em coordenação com os órgãos de segurança pública, a aeronave passará por medidas de controle de solo para averiguação.

Em caso de descumprimento das medidas, podem ser realizados tiros de advertência e, em último caso, tiro de detenção de infratores. Ações desse tipo têm o potencial de provocar danos, impedindo o prosseguimento de voos não autorizados na região.

Interceptações

 De 2019 até julho de 2022, foram realizadas 652 interceptações com aeronaves da Força Aérea Brasileira no espaço aéreo nacional, em eventos relacionados com missões de defesa aérea. Como resultado, 16 aeronaves e 5,5 toneladas de drogas foram apreendidas.

Decreto

O Decreto 11.405 foi editado pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e assinado pelos Ministros de Estado da Defesa, José Múcio Monteiro Filho; da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino; e dos Povos Originários, Sonia Guajajara. O documento determina:

1) o enfrentamento de emergência em saúde pública de importância nacional em decorrência da crise sanitária da população Yanomami; e

2) o combate ao garimpo ilegal.

Texto: Suellen Siqueira /Ascom
Fotos: Força  Aérea Brasileira

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A equipe de Tecnologia & Defesa esteve a bordo do super navio-aeródromo USS George Washington (CVN 73), um navio de...

De acordo com o Portal da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), o governador do Estado, Jerônimo Rodrigues, autorizou...

O Grupo EDGE e a Fincantieri assinaram hoje, dia 20 de maio, um acordo que formaliza o lançamento da MAESTRAL,...

No ultimo sábado, dia 18 de maio, às 16h29 local, um caça Lockheed Martin F-35C Lightning II da US Navy...

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL