Operação Culminating – A tropa parte com destino aos Estados Unidos

Militares têm oportunidade de representar o Brasil nos Estados Unidos da América

Ontem, dia 03 de janeiro, foi realizada, no Campo de Parada do 26º Batalhão de Infantaria Pará-quedista (26º BI Pqdt), uma formatura para marcar a despedida e o embarque da Subunidade (SU) Culminating. Após dois anos de adestramento, a Companhia de Fuzileiros Paraquedistas dará continuidade ao exercício combinado em solo americano, no Centro de Prontidão e Treinamento Conjunto (JRTC), em Fort Polk, nos Estados Unidos da América, no período de 3 de janeiro a 22 de fevereiro de 2021. A ação é um intercâmbio entre os dois países e finaliza o Plano Conjunto de atividades realizadas ao longo de cinco anos.

A Força Tarefa (FT), aprestada para emprego em operações aeroterrestres, utiliza-se de equipamentos e armamentos individuais e coletivos de última geração: canhões sem recuo 84 mm; morteiros 60 e 81 mm; metralhadoras leves; equipamentos de visão noturna; miras lazer; lunetas ópticas; GPS; meios de comunicações diversos e paraquedas MC-1. A FT nível subunidade é composta por 172 paraquedistas.

O Exercício Culminating terá a participação de uma subunidade paraquedista, enquadrada em um Batalhão de uma Brigada da 82nd Airbone Division do Exército dos Estados Unidos (US Army).

No Brasil, o exercício foi dividido em 5 fases. Na 1ª e 2ª, a SU, originada da Brigada de Infantaria Pára-quedista, participou do assalto aeroterrestre e cumpriu as missões de conquista e manutenção de cabeça de ponte aérea. Na 3ª e 4ª fases, foram praticadas a infiltração aeromóvel e a ocupação e estabilização da área urbana de São José do Barreiro, interior de São Paulo. Na 5º fase, realizou-se o Live Fire.

Estiveram presentes na formatura: o comandante da 1ª Divisão de Exército, general de divisão Kleber Nunes de Vasconcellos, o chefe do Preparo da Força Terrestre, general de divisão Marcos de Sá Affonso da Costa, e o chefe do Estado-Maior da Brigada de Infantaria Pára-quedista, coronel Fabiano Lima de Carvalho.

Devido à pandemia Covid-19, todos as medidas sanitárias foram seguidas e cada militar da SU Culminating só pôde convidar até dois familiares para a despedida.

Fonte: Comunicação Social do Comando Militar do Leste
Texto: 1º TEN Hosana/CML
Fotos: SD Nóbrega

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

O Grupo EDGE, estatal de tecnologia os Emirados Árabes, anunciou que formalizou uma “joint venture” (JV) com a empresa espanhola...

O Exército Brasileiro (EB), por meio da Chefia de Material do Comando Logístico (CMat/CoLog), publicou hoje, dia 04 de março,...

Durante a HAI Heli Expo 2024, que aconteceu no final de fevereiro, nos Estados Unidos, a Safran Electronics & Defense...

Um valor em torno de U$ 400 milhões, resultante de acordo entre o grupo britânico e o Exército da Dinamarca...

Comentários

12 respostas

    1. Na verdade, o uniforme é novo.
      É o novo padrão COBRA 2020 com desenho e materiais diferentes.

      1. Legal!
        Que bom que estão modernizando os equipamentos indianas.

        o padrão COBRA 2020 será aplicado nas 3 forças?

        1. Não, o Projeto Sistema Combatente Brasileiro (COBRA) é um subprograma do Prg EE OCOP.
          Cada Força tem seu próprio programa.

    1. Eles foram em um avião comercial.
      Como já foi dito, eles a tropa Brasileira participará do exercício integrada a um batalhão do 82nd Airbone Division, e não sei informar se o KC-390 irá participar dessa etapa. Vamos aguardar.
      Porem, em 2022, quando uma fração de tropa do US Army, equivalente a que foi enviada, vier ao Brasil para o mesmo exercício, sendo integrada a um Batalhão da Bda Inf Pqdt, o KC-390 será utilizado.

  1. Sr. Paulo, atualmente o EB possui uniformes com camuflagem rajada em alguns tons, sendo muito vistos aqueles que se destacam mais a cor marrom. São novos e muito bonitos também. Agora observando este uniforme do padrão COBRA 2020, volta a ser destacado mais a cor verde, no contesto do rajado, originalmente adotado pelo EB. O mesmo acontece com os capacetes que, talvez por aquisição de lotes e fornecedores diferentes, são utilizados em 02 ou 03 tonalidades da cor verde. O que o sr. poderia esclarecer sobre isto ? Qual tende à ser o tom de cores padrão, tanto para uniformes quanto para capacetes ? Os capacetes receberão forração de tecido rajado, igual aos uniformes ?

  2. Bom dia, sr. Paulo. O sr. teria alguma resposta sobre meus questionamentos anteriores. São dúvidas que tenho à muito tempo. Inclusive se os coturnos adotados para outras tropas, dentro do padrão COBRA, serão da cor preta ou marrom, como os dos paraquedistas ?

  3. Giuliano, os coturnos do EB possuem um padrão por tropa (preto, marrom, verde, bege, etc…) e os mesmos serão respeitados.
    O programa COBRA não mudou o padrão de camuflagem do EB, apenas o corte e o material dos uniformes.
    Quanto aos capacetes não sei lhe informar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Disponível

DISPONÍVEL