Operação Carcará – O Exército mostra suas garras no Nordeste

1
1907

De 26 a 30 de outubro, a 10ª Brigada de Infantaria Motorizada (10ª Bda Inf Mtz), a  Brigada Francisco Barreto de Menezes, realizou Operação Carcará XV, um exercício de adestramento de Operação de Defesa Externa. A atividade aconteceu na área rural do município de Garanhuns, agreste pernambucano, e está inserida em um contexto de ações operacionais ostensivas e defensivas que visam elevar o nível de operacionalidade das Organizações Militares da brigada.

A 10ª Companhia de Engenharia de Combate participou da Operação Carcará como arma de apoio ao combate, facilitando a progressão da tropa com a transposição de curso d’água, por meio da portada tática leve e passadeira de alumínio, como essa VBTP 6×6 Urutu do 10º Esqd C Mec, e dificultando a ação do inimigo, com a construção de obstáculos (Foto: sd Samuel / 10ª Cia E Cmb)

O exercício foi desenvolvido em duas fases, sendo a primeira a definição de um Posto de Observação (PO), onde foram delineadas todas as funções de combate, como elaboração de planos e ordens de operações nos diversos escalões de comando, bem como as definições das ações táticas e de apoio logístico. Na segunda fase, foi realizado o exercício com as tropas desdobradas no terreno, a fim de colocarem em prática todas as manobras, ações táticas e de combate, estruturadas na primeira fase.

Além de verificar o nível de operacionalidade das frações envolvidas, a Operação permitiu exercitar e desenvolver os atributos de chefia e liderança do Estado-Maior em um cenário de amplo espectro e verificar as situações de conduta das ações de combate, de comando e de logística, observando os planejamentos para as respectivas execuções. Em todas as fases do exercício, o general de brigada Alexandre Oliveira Cantanhede Lago, Comandante da 10ª Bda Inf Mtz, pôde avaliar a evolução das ações no terreno, as ações de comando do Estado-Maior e a pronta resposta de sua tropa.

A 7ª Companhia de Comunicações fez uso do Sistema de Comunicações Militares por Satélite (SISCOMIS), utilizando a banda X do SGDC (Foto CMNE).

O exercício coordenado contou com a presença de 1.300 militares das guarnições de Recife, Olinda, Garanhuns, Jaboatão dos Guararapes, São Bento do Una e Petrolina, no Estado de Pernambuco, e Maceió, em Alagoas.

Ação Cívico-Social

Além do adestramento militar, no dia 28 de outubro, a 10ª Bda Inf Mtz, por intermédio do 14º Batalhão Logístico (14º B Log), prestou assistência em saúde básica da família à população que vive no entorno da área de operações do exercício. A Ação Cívico-Social (ACISO) ocorreu na Escola Municipal Alonso Bernardo da Silva, no município de Palmeirina (PE), distante cerca de 40 km de Garanhuns.

Somaram-se aos serviços médicos e odontológicos, o fornecimento de medicamentos, palestras educativas nas áreas médicas e odontológicas, incluindo prática de higiene bucal com uso de escovódromo, distribuição de kit higiene bucal, realização de exames de eletrocardiograma, verificação de saturação de oxigênio e glicemia, além de serviço de vacinação e corte de cabelo.

Também foram prestados serviços de reparos e melhorias em favor da escola onde aconteceu o Aciso, tais como: soldagem de estruturas metálicas, pintura de gradeados e muro, instalação de dispensadores de álcool em gel e tampas para assentos sanitários, além de todo asseio e limpeza das dependências, mesas e cadeiras utilizadas em prol da citada ação.

o 71º Batalhão de Infantaria Motorizado, aquartelado na cidade de Garanhuns, foi o principal centro de comando e controle da operação (Foto: CMNE)

O Exercito Brasileiro mostrando seu Braço Forte e sua Mão Amiga na Região Nordeste

 

Com informações da Comunicação Social do Comando Militar do Nordeste

 

1 Comentário

  1. Só precisa substituir esse Urutu pelo Guarani 6×6, e depois destinar o Urutu para tarefas auxiliares de logística.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here