Operação Amazônia 2020 – O Exército mostra sua capacidade de atuação

2
2188
  • Matéria do Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEX) para combater a campanha difamatória e de desinformação de uma parte da grande mídia. 

O mês de setembro foi marcado por um grande exercício militar realizado na Região Norte do país: a Operação Amazônia. Foram mais de 3.600 militares do Exército Brasileiro provenientes de diferentes áreas do território nacional. A simulação de guerra e o adestramento de tropas fazem parte da missão da instituição que, ao longo de sua história, tem aprimorado seus treinamentos, a fim de manter homens e mulheres preparados e capacitados para atuarem em defesa da Pátria.

Na operação foram utilizadas diversas Tropas especializadas, como os Precursores e a Força 3 de Operações Especiais

Missão do Exército e Amazônia

A fim de contribuir para o cumprimento da missão constitucional das Forças Armadas, de defender a Pátria e garantir a soberania nacional, é necessário que o Exército se mantenha permanentemente capacitado a operar junto à Marinha e à Força Aérea nos mais distintos cenários. Sendo a Amazônia uma das prioridades da Defesa Nacional, o exercício, reunindo os meios existentes no Comando Militar da Amazônia e recebendo o apoio de elementos aeroterrestres, aeromóveis, da Artilharia, do Sistema Astros e de uma série de sistemas de combate, foi uma excelente oportunidade para aferir o grau de operacionalidade alcançado.

A logística foi o grande desafio (vencido) desse exercício, mostrando a enorme capacitação de suas unidades, entre elas o CECMA

 

Recursos empregados e benefícios alcançados

Realizado dentro da previsão orçamentária destinada ao preparo da Força Terrestre, o exercício permitiu treinar 3.600 profissionais em ambiente de selva e atestar as capacidades logísticas e operacionais da Força Terrestre, além de contribuir para a evolução da doutrina de Defesa do País. Um ganho imensurável! Os equipamentos mais modernos foram reunidos na região, colocando à prova a capacidade logística de concentração desses meios. Um exercício que proporcionou o trabalho conjunto de diferentes tropas: selva, paraquedista, aviação, artilharia, operações especiais, saúde e logística. Além dos aspectos operacionais, o exercício contribuiu com a população do interior do Amazonas com atividades cívico-sociais, atendimentos médicos, distribuição de medicamentos, palestras educativas, distribuição de materiais informativos de prevenção à COVID-19 e de preservação ambiental.

Cabe destacar que, quando o benefício é a defesa da Pátria, recursos empregados são investimento em paz social e desenvolvimento.

O Sistemas Astros II, a mais poderosa arma dissuasória do Exército, foi utilizado pela primeira vez na Amazônia Ocidental

 

Participação da imprensa

Além do efetivo militar empregado, um grupo de profissionais da mídia especializada, da mídia regional e de estudantes de jornalismo participou do Estágio de Correspondente de Assuntos Militares (ECAM). Eles puderam acompanhar as atividades de perto e conhecer os bastidores dos trabalhos realizados pelo Comando Militar da Amazônia durante a operação.

O trabalho de profissionais de mídia, que conheçam a região amazônica e se interessem pelos assuntos de Defesa, é a garantia de que coberturas de ações dessa natureza serão tratadas com isenção e veracidade.

“exercício contribuiu com a população do interior do Amazonas com atividades cívico-sociais, atendimentos médicos, distribuição de medicamentos, palestras educativas, distribuição de materiais informativos de prevenção à COVID-19 e de preservação ambiental”

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército

 

Nota do Editor

Cabe destacar aqui a ampla divulgação dada por Tecnologia & Defesa à Operação Amazônia 2020, estando presente em suas operações, não como uma simples mídia, mas como correspondente militar, trazendo a seus leitores o dia a dia da operação, sem o sensacionalismo e a deturpação que a grande imprensa, que não se fez presente por falta de interesse, esta fazendo, deturpando de forma absurda um exercício que é realizado desde 2002.

Para acessar todas as matérias de T&D sobre esse exercício basta clicar aqui, ou no escudo da operação em cada matéria.

2 Comentários

  1. Pois é Bastos. Enquanto isto a mídia genérica destrata totalmente a operação fazendo o que sabe melhor, expor apenas pontos negativos (neste caso necessário, que foi o custo da operação) esquecendo o verdadeiro objetivo e seus benefícios.

    • Mas o pior é ver alguns sites da “mídia especializada militar”, alguns até tradicionais, dar visibilidade para esse tipo de notícia sensacionalista.
      É muita cara de pau desses caçadores de cliques…. 🙁

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here