O primeiro E-99 da FAB Modernizado

12
5018

O Projeto de Modernização das aeronaves E-99 concluiu, na última sexta-feira, dia 24/07, nas instalações da Embraer, em São José dos Campos/SP, o processo de pintura da primeira unidade que será entregue para a Força Aérea Brasileira, a FAB 6702. A conclusão dessa etapa é um marco para o projeto e confirma mais um passo na direção da atualização tecnológica dos vetores da Força.

O projeto E-99M foi iniciado em 2012 e é conduzido pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) junto à Embraer e fornecedores internacionais, como a Saab, Aeroelectronica International (AELI) e Rohde & Schwarz. Além do processo de modernização e atualização dos sistemas de missão e subsistemas relacionados, o projeto também possui acordos de transferência de tecnologia que possibilitarão avanços tecnológicos na área de defesa da indústria brasileira.

O Gerente do projeto, Tenente-Coronel Aviador Fabio Pires Vieira, esclareceu a importância da conclusão de mais uma etapa do projeto. “A conclusão dessa etapa é um indicativo importante de que, apesar de todas as adversidades enfrentadas em função das restrições impostas pela pandemia da COVID-19, a entrega da aeronave para emprego operacional ocorrerá este ano, conforme planejado”, afirmou.

E-99

O emprego das aeronaves AEW&C é indispensável em um cenário de operações aéreas, em face da flexibilidade de posicionamento da aeronave juntamente com a capacidade do detecção de tráfegos à baixa altura, permitindo realizar a cobertura radar das áreas de interesse do Comando da Aeronáutica (COMAER), além do controle das aeronaves, independentemente da estrutura de Comando e Controle existente no solo.

A modernização dos sensores aeroembarcados da aeronave E-99 permitirá à Força Aérea Brasileira ampliar a sua capacidade de execução de missões de Controle e Alarme em Voo, Reconhecimento Eletrônico, dentre outras.

 

Fonte: Agência Força Aérea

Fotos: Tenente-Coronel Marcones/COPAC

12 Comentários

    • A sonda revo não foi instalado por uma questão de custo.
      Com o valor disponível para esse programa, optaram em aumentar sua capacidade operacional.

  1. Minha dúvida é sobre o quanto de atributos de auto-proteção foram incluídos na aeronave nesse projeto de modernização. Abs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here