O oxigênio chega a Manaus

0
847

A balsa com o tanque de 90 mil m³ de oxigênio líquido, atracou neste sábado, 06 de fevereiro, no Porto Encontro das Águas, no terminal da Petrobrás em Manaus (AM), acompanhada pelo Navio-Patrulha Fluvial (NPaFlu) Roraima, subordinado ao Comando da Flotilha do Amazonas (ComFlotAm). Pesando cerca de 54 toneladas, essa foi a maior carga de oxigênio líquido já transportada por vias fluviais no país, de acordo com a empresa White Martins.

O tanque, com capacidade para o equivalente a 9 mil cilindros de oxigênio e destinado a socorrer a população manauara perante a grave crise de saúde causada pela pandemia do Covid-19, veio da unidade da empresa White Martins de Santo André (SP), de onde saiu dia 18 de janeiro e, após uma grande operação logística, e foi embarcado no Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) Apa, no Porto de Santos, de onde zarpou no dia seguinte com sua preciosa carga com destino ao estado do Pará.

A balsa no terminal da Petrobrás, no Porto Encontro das Águas, como o NPaFlu Roraima ao fundo

A viagem durou sete dias, dois antes do planejado, graças às boas condições meteorológicas e aos esforços de 80 militares que compõem a tripulação do navio, chegando ao Porto de Vila do Conde, em Barcarena (PA). Lá o tanque foi descarregado e transportado a unidade da empresa em Belém, onde foi abastecido com oxigênio liquido e colocado em uma balsa fluvial para completar a segunda etapa de sua viagem.

Na madrugada do dia 30 a balsa partiu, junto com o Navio-Patrulha (NPa) Pampeiro, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte (ComGptPatNavN), que iria fazer sua escolta, com destino a Manaus. No dia 4 de fevereiro, o NPa Pampeiro foi rendido pelo NPaFlu Roraima.

O NPa Pampeiro sendo rendido peo NPaFlu Roraima

O principal propósito da escolta dos navios da Marinha foi evitar interferências de outras embarcações durante a navegação da balsa, no Rio Amazonas. Ao todo, o navio percorreu 400 milhas náuticas a partir de Santarém garantindo a segurança da embarcação. “Por se tratar de um cilindro de peso muito elevado, a todo instante buscou-se evitar que a balsa fizesse quinadas bruscas, permitindo o mínimo de deslocamento do cilindro”, explicou o comandante do NPaFlu Roraima, o capitão de corveta Gabriel Moraes.

Uma ação que merece destaque ocorreu no dia 3, quando o NPa Pampeiro localizou e resgatou três náufragos que estavam à deriva, por mais de três horas, nas proximidades do município de Santarém (PA).

O momento em que os náufragos são resgatados pelo NPa Pampeiro

Toda essa ação faz parte da Operação Covid-19, um enorme esforço conduzida pelas forças armadas sob coordenação do Ministério da Defesa, para mitigar as consequências da pandemia de coronavírus que assola o país.

Fotos: Marinha do Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here