ÁREA DO CLIENTE

O alto nível do Laboratório de Análises Químicas do Exército

No dia 18 de março foi anunciado, pela Organisation for the Prohibition of Chemical Weapons (OPCW), ou Organização para Proibição de Armas Químicas (OPAQ, em português), que o Laboratório de Análises Químicas (LAQ) do Instituto de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (IDQBRN), pertencente ao Centro Tecnológico do Exército (CTEx), obteve conceito “A” no 48º teste de proficiência oficial, realizado no segundo semestre de 2020.

Com isso, o LAQ está com dois conceitos “A” consecutivos, o que é inédito para um representante do Grupo da América Latina e do Caribe (GRULAC) na história do teste oficial da OPAQ.

Uma sequência de três bons conceitos (“AAA” ou “AAB”) nesses testes constitui um dos requisitos para integrar a rede de laboratórios designados pela OPAQ para o recebimento e análise de amostras coletadas em situações reais. Com o segundo “A” consecutivo, o LAQ/IDQBRN/CTEx está a um passo do objetivo de integrar a rede de laboratórios designados pela OPAQ, contribuindo para que o Brasil cumpra de maneira destacada os compromissos previstos na Convenção para a Proibição de Armas Químicas (CPAQ), da qual o País é signatário desde 1996. Atualmente, existem apenas 25 laboratórios designados de países da América do Norte, Europa e Ásia. Não há, ainda, nenhum laboratório designado no Hemisfério Sul.

Os testes de proficiência foram introduzidos pela OPAQ para avaliar a capacidade de laboratórios de identificar, em amostras ambientais, vestígios de compostos relacionados à CPAQ e de relatar os resultados obtidos conforme um sistema de qualidade previamente estabelecido.

Com informações e imagens do Centro Tecnológico do Exército

COMPARTILHE