Nono AMX modernizado é entregue para a Força Aérea Brasileira

15
13437

Durante o Exercício Operacional Tinia, organizado de 5 a 27 de novembro de 2020 na Ala 3 em Canoas e na Ala 4 em Santa Maria, foi visto em operação o mais recente exemplar modernizado do caça Embraer AMX da Força Aérea Brasileira (FAB).

Trata-se do A-1AM FAB 5500, monoposto, que carrega o histórico de ter sido o primeiro AMX a ser entregue para o então Núcleo do 1º/16º GAV, em cerimônia organizada na Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, em 17 de outubro de 1989.

Entrega do FAB 5500 para o então Núcleo do 1º/16º GAV, em cerimônia na Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, em 17 de outubro de 1989. Acervo do 1º/16º GAV. 

O Núcleo foi extinto, transformando-se no 1º/16º GAV Esquadrão Adelphi, em 7 de novembro de 1990, tendo como comandante o então Tenente-Coronel Teomar Fonseca Quírico, Adelphi 01 e uma personalidade de extrema importância para o emblemático “16”.

Pelo fato de o programa ainda estar em desenvolvimento na época, a aeronave foi recebida sem o probe de reabastecimento em voo, sistema que foi instalado posteriormente na frota.

O FAB 5500 ainda sem o probe de reabastecimento em voo. Foto: Embraer

Atualmente o AMX é empregado pelas unidades de caça 1º/10º GAV Esquadrão Poker e 3º/10º GAV Esquadrão Centauro, na Ala 4 em Santa Maria, cumprindo principalmente as missões de ataque ao solo, apoio aéreo aproximado e reconhecimento.

Até o momento, nove exemplares foram entregues do A-1AM e A-1BM.

 

Haverá sempre um Adelphi!

15 Comentários

  1. Que bacana. Imprecionante como este que foi um dos primeiros exemplares a ser entregues para a FAB esta menos voado do que aqueles que recentemente viram monumentos e foram entregues para a força aérea bem depois deste.

  2. Esse aí tem que durar por mais 20 anos.

    Isso porque em 2025 a FAB já terá os 36 caças Gripen que são do primeiro lote. Se desativar todos os F-5 e AMX A-1 modernizados, aí nós só teremos apenas 36 caças Gripen cuidando da defesa do nosso espaço aéreo e da nossa nação, o que é muito pouco.

    A FAB deveria desativar os caças F-5 e AMX A-1 depois que a FAB estiver já com o segundo lote de caças Gripen que serão também de 36 unidades.

    • Não tem nexo desativar so depois que comprar o segundo lote do Gripem, desativam um equipamento militar por não ter mais condição operacional, a FAB já mostrou o cronograma de desativação do F5M e AMX
      Vários motivos torna um equipamento inoperável, no caso dos F5 não tem nem o que falar… a FAB já tirou o máximo da máquina e uma dúzia de células de F5M deverão voar até 2030 e um dúzia de AMX deve voar além de 2030

      Estou tranquilo, a FAB sabe o que está fazendo… se parte dos políticos não atrapalharem.. vai dar certo

      Abraço!!

      • Com certeza, porém 36 caças Gripen é muito pouco, praticamente nada em relação a nossa extensão territorial e o nosso espaço aéreo, então o lance é nós já termos 72 caças Gripen em 2030, que é a soma do 1 e 2 lote, para que assim os F-5 e AMX A-1 possam serem desativados.

    • Sim, nessa modernização o avoão recebeu uma nova suite de aviônicos moderna, novo radar, novo sistema de controle de tiro, e pode lançar mísseis Ar-Ar de curta distância para autodefesa, assim como bombas guiadas à laser.

  3. O Brasil deveria investir em um bom fuzil e na fabricação de munições, na industrialização de ração para soldados, ou seja, para uma mobilização rápida de indivíduos, armas e alimentos, se conseguisse mobilizar 10, 20, 30 milhões de indivíduos, ninguém se estabelece nestas terras, se nós não quisermos, correto. Armas grandes e pesadas tem custo muito alto e são alvos fáceis para equipamentos modernos.

    • Tamanho do exército deixou de importar desde a primeira guerra mundial. Sem artilharia de nada adianta ter um exército grande, e sem defesa aérea sua artilharia seria destruída. E muito importante ter caças. Ter 10 milhões de soldados não serviria de nada em uma invasão pois não teria como transportar suplementos (munições,comida) para tantos. Imagina só o trânsito.

  4. Não tem nada que desativar. O que abunda não prejudica! Tanto os F5M quanto os AMX M são muito importantes para nossa defesa aérea. São dotados de equipamentos de última geração e podem fazer muitos estragos.

    • Quanto mais velho o caça, mais caro é para mantê-lo. E o AMX é o F-5 são muito fracos se comparados ao Grippen, tudo oque eles fazem ele faz bem melhor. Não faz sentido manter os F-5 na ativa após o segundo lote chegar, o AMX talvez, mais só talvez valha apena.

  5. Deveria se fazer um esforço para um pais dessas dimensões operar pelo menos 100 aeronaves de primeira linha…nao seria pedir demais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here