Nono AMX modernizado é entregue para a Força Aérea Brasileira

0
10253

Durante o Exercício Operacional Tinia, organizado de 5 a 27 de novembro de 2020 na Ala 3 em Canoas e na Ala 4 em Santa Maria, foi visto em operação o mais recente exemplar modernizado do caça Embraer AMX da Força Aérea Brasileira (FAB).

Trata-se do A-1AM FAB 5500, monoposto, que carrega o histórico de ter sido o primeiro AMX a ser entregue para o então Núcleo do 1º/16º GAV, em cerimônia organizada na Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, em 17 de outubro de 1989.

Entrega do FAB 5500 para o então Núcleo do 1º/16º GAV, em cerimônia na Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, em 17 de outubro de 1989. Acervo do 1º/16º GAV. 

O Núcleo foi extinto, transformando-se no 1º/16º GAV Esquadrão Adelphi, em 7 de novembro de 1990, tendo como comandante o então Tenente-Coronel Teomar Fonseca Quírico, Adelphi 01 e uma personalidade de extrema importância para o emblemático “16”.

Pelo fato de o programa ainda estar em desenvolvimento na época, a aeronave foi recebida sem o probe de reabastecimento em voo, sistema que foi instalado posteriormente na frota.

O FAB 5500 ainda sem o probe de reabastecimento em voo. Foto: Embraer

Atualmente o AMX é empregado pelas unidades de caça 1º/10º GAV Esquadrão Poker e 3º/10º GAV Esquadrão Centauro, na Ala 4 em Santa Maria, cumprindo principalmente as missões de ataque ao solo, apoio aéreo aproximado e reconhecimento.

Até o momento, nove exemplares foram entregues do A-1AM e A-1BM.

 

Haverá sempre um Adelphi!

1 Comentário

  1. Que bacana. Imprecionante como este que foi um dos primeiros exemplares a ser entregues para a FAB esta menos voado do que aqueles que recentemente viram monumentos e foram entregues para a força aérea bem depois deste.

  2. Esse aí tem que durar por mais 20 anos.

    Isso porque em 2025 a FAB já terá os 36 caças Gripen que são do primeiro lote. Se desativar todos os F-5 e AMX A-1 modernizados, aí nós só teremos apenas 36 caças Gripen cuidando da defesa do nosso espaço aéreo e da nossa nação, o que é muito pouco.

    A FAB deveria desativar os caças F-5 e AMX A-1 depois que a FAB estiver já com o segundo lote de caças Gripen que serão também de 36 unidades.

    • Não tem nexo desativar so depois que comprar o segundo lote do Gripem, desativam um equipamento militar por não ter mais condição operacional, a FAB já mostrou o cronograma de desativação do F5M e AMX
      Vários motivos torna um equipamento inoperável, no caso dos F5 não tem nem o que falar… a FAB já tirou o máximo da máquina e uma dúzia de células de F5M deverão voar até 2030 e um dúzia de AMX deve voar além de 2030

      Estou tranquilo, a FAB sabe o que está fazendo… se parte dos políticos não atrapalharem.. vai dar certo

      Abraço!!

      • Com certeza, porém 36 caças Gripen é muito pouco, praticamente nada em relação a nossa extensão territorial e o nosso espaço aéreo, então o lance é nós já termos 72 caças Gripen em 2030, que é a soma do 1 e 2 lote, para que assim os F-5 e AMX A-1 possam serem desativados.

    • Sim, nessa modernização o avoão recebeu uma nova suite de aviônicos moderna, novo radar, novo sistema de controle de tiro, e pode lançar mísseis Ar-Ar de curta distância para autodefesa, assim como bombas guiadas à laser.

  3. O Brasil deveria investir em um bom fuzil e na fabricação de munições, na industrialização de ração para soldados, ou seja, para uma mobilização rápida de indivíduos, armas e alimentos, se conseguisse mobilizar 10, 20, 30 milhões de indivíduos, ninguém se estabelece nestas terras, se nós não quisermos, correto. Armas grandes e pesadas tem custo muito alto e são alvos fáceis para equipamentos modernos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here