Navio da Marinha parte para operação no Golfo da Guiné

Operação Guinex III busca promover a segurança marítima no entorno estratégico brasileiro

Por Agência Marinha de Notícias

A Fragata Liberal (F43), da Marinha do Brasil (MB), deixou a Base Naval do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo (06), para dar início à terceira edição da Operação Guinex. Com previsão para ocorrer até o dia 14 de outubro, o exercício visa incrementar a participação da MB no Golfo da Guiné, na costa ocidental do continente africano, promovendo a interoperabilidade entre as forças navais e guardas costeiras da região, além de elevar o nível de adestramento dos meios envolvidos.

Além da Liberal, a MB enviará para a operação, um Destacamento de Mergulhadores de Combate e uma aeronave UH-12 Esquilo. No período, estão previstos exercícios conjuntos, no porto e no mar, com as marinhas e guardas costeiras de países como Cabo Verde, Camarões, Costa do Marfim, Nigéria, São Tomé e Príncipe, e Senegal. Também está prevista a participação das marinhas da Espanha, Estados Unidos da América, Portugal e Reino Unido. Técnicas de abordagem, visita e inspeção a outros navios, manobras de embarcações rápidas, trânsito sob ameaças assimétricas e técnicas de operações especiais estão entre os treinamentos planejados.

A operação contribui para a estabilização do ambiente marítimo e para a proteção dos interesses do Brasil no Golfo da Guiné. “As operações ‘Guinex’, que ocorrem desde 2021, têm o propósito de estreitar os laços de confiança do Brasil com os países da costa da África Ocidental, consolidando a presença da MB como parceira estratégica da região, contribuindo, também, para fortalecer o Tratado de Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS)”, afirmou o comandante do Grupo-Tarefa (GT) e da 2ª Divisão da Esquadra, contra-almirante André Luiz de Andrade Felix.

Estão previstas, ainda, ações cívico-sociais nos portos estrangeiros e nacionais, entrega de donativos à população local, além de apresentação de produtos da Base Industrial de Defesa brasileira, com o intuito de fomentar possíveis relações comerciais com o Brasil. Para tanto, a Liberal deve visitar os portos de Natal (RN), São Tomé (São Tomé e Príncipe), Kribi (Camarões), Lagos (Nigéria), Abidjã (Costa do Marfim), Dakar (Senegal) e Mindelo (Cabo Verde).

Golfo da Guiné

O Golfo da Guiné faz parte do entorno estratégico brasileiro. Sua proximidade com o território nacional e o fato de a região ser um dos corredores de comércio internacional aumenta sua importância  para o Brasil.

A presença da MB no Golfo representa uma importante contribuição ao fortalecimento da cooperação regional e ao desenvolvimento de políticas de segurança marítima mais eficazes, sobretudo ao se considerar que a área tem sido palco de inúmeros casos de pirataria nos últimos anos.

Por meio de operações como a Guinex, a MB tem buscado garantir a segurança e a proteção das fronteiras marítimas brasileiras, atuando de forma proativa na prevenção e combate a ameaças que possam colocar em risco as atividades relacionadas com o uso do mar.

(Imagem: Marinha do Brasil)

Texto: primeiro-tenente (T) Mônica Braga

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) publicou, na última sexta-feira, dia 19 de abril, um pedido de cotação...

O crescimento da Base Industrial de Defesa e Segurança Pública (BIDS) torna esse setor ainda mais estratégico e relevante para...

Em comemoração a semana do Exército, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) está organizando uma série de eventos na Capital Paulista,...

O Ministério da Defesa (MinDef), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SeProD), acompanhou, entre os dias 15 a...

Comentários

4 respostas

  1. Devido às características do exercício, não seria mais adequado enviar um Amazonas e o Bahia?

  2. Boa noite!
    Acho que não é um exercício, é mais uma operação que visa salvaguardar os interesses do Brasil. Essa parte da África está no nosso entorno. Uma fragata ou uma corveta com um helicóptero orgânico, e o apoio de outras marinhas é mais que suficiente.
    É para proteger a navegação naquela parte da costa Africana.
    Se alguém quiser completar minha resposta fique a vontade!
    Grande abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL