Naval Group entrega o primeiro submarino nuclear da classe Suffren

0
1374

O Naval Group entregou ontem, dia 6 de novembro, na Base naval de Toulon, o submarino de ataque nuclear (SSN) Suffren (Q284) à Direção Geral de Armamento (Direction Générale de l’Armement – DGA), do Ministério da Defesa da França.

Por causa dos cuidados tomados em função da pandemia do COVID-19, o evento ocorreu na presença de um pequeno número de convidados, mas estavam presentes Florence Parly, Ministra da Defesa da França, General François Lecointre, Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da França, Joël Barre, Delegado Geral de Armamentos, Almirante Pierre Vandier, Chefe do Estado-Maior da Marinha Francesa, Victor Salvetti, Diretor de aplicações militares na França Comissão de Energias Alternativas e Energia Atômica (CEA), Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e Loïc Rocard, CEO da TechnicAtome, e todos saudaram este importante marco do programa Barracuda, na presença de diversos representantes do mundo político, industrial e militar, incluindo os membros da tripulação.

Assinatura da escritura de venda do Suffren à Marinha pelo CEO do Grupo Naval na presença da Sra. Florence Parly, Ministra da Defesa da França, na Base Naval de Toulon (Foto: Naval Group)

Destinado à Marinha Francesa, o Suffren é o primeiro de uma série de seis SSN que irão substituir gradualmente os submarinos da classe Rubis, que entraram em serviço no início dos anos 1980, e sua entrega é um marco importante para o programa Barracuda, espinha dorsal das forças submarinas francesas na década de 2060.

O DGA lançou o Programa Barracuda em 1998 para renovar o componente submarino da capacidade de dissuasão nuclear francesa e seu contrato de desenvolvimento foi assinado no final de 2006. Mais de dez anos de estudos foram necessários para definir o modelo do submarino que atendesse aos requisitos operacionais da Marinha Nacional Francesa (Marine Nationale) e esta primeira entrega é o início de uma fase conducente à qualificação desta nova classe.

A entrega dos seis submarinos ocorrerá ao longo de uma década. Com uma vida útil de mais de 30 anos, os submarinos da classe Suffren serão a espinha dorsal das forças submarinas francesas até pelo menos 2060, tornando-os um dos principais sistemas de armas deste século.

Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, declarou: “Que longo caminho o Naval Group percorreu com seus parceiros industriais e governamentais desde que a primeira folha de metal foi cortada em 10 de dezembro de 2007, menos de um ano após a DGA ter assinado o contrato de aquisição. O industrial os desafios têm sido numerosos. Eu saúdo o compromisso do design do Naval Group e equipas de produção, da TechnicAtome, principal contratante da sala de caldeiras nucleares de bordo, bem como da DGA, CEA e Marinha francesa. Centenas de empresas francesas, grandes e pequenas, na vanguarda da qual se destaca o Naval Group, estiveram e continuam a ser mobilizadas para a construção deste programa. Este sucesso inicial só pode fortalecer nosso compromisso coletivo de entregar a próxima unidade da série Barracuda, o Duguay-Trouin, em 2022, seguido pelos outros quatro submarinos até o final da década.”

A construção dos próximos submarinos do Programa Barracuda continuará no Naval Group, em colaboração com seus parceiros, e esta mobiliza um amplo know-how excepcional nas tecnologias mais avançadas, dentre eles aços especiais, performances acústicas subaquáticas e a novos sistemas de armas fazem do SSN Barracuda um dos submarinos mais eficientes do mundo.

Esses submarinos, com seus meios de navegação e comunicação e seu controle centralizado e automatizado, também é considerado o mais manobrável de da atualidade. Outra importante inovação é seu mastro optrônico, que substitui o mastro telescópico, e garante melhor coleta de informações visuais e melhor compartilhamento dessas informações entre a tripulação. Este novo recurso, combinado com seus sistemas de detecção avançados, garante a superioridade também em missões de inteligência.

Atualmente, o Naval Group se encontra totalmente mobilizado para a entrega dos próximos cinco submarinos da classe, sendo que o segundo, o Duguay-Trouin, já terá suas seções totalmente unidas ao final deste ano e será entregue em 2022, o terceiro, o Tourville, está sendo integrado ao lado do Duguay-Trouin e, em suas instalações em Nantes-Indret, está também em curso a montagem do sistema de propulsão e do módulo da caldeira nuclear do quarto, o De Grasse. Por fim, as equipes da empresa começaram a montar os primeiros elementos dos cascos do quinto e sexto, o Rubis e o Casabianca, bem como os elementos de seus módulos de caldeira nuclear.

As infraestruturas da base naval de Toulon foram modernizadas para acomodar esta nova geração de submarinos. “Estamos prontos e muito orgulhosos de trabalhar no suporte vitalício dos Suffren em Toulon”, disse Vincent Vimont, Diretor de Manutenção Operacional do Programa SSN no Naval Group.

O projeto começou com estudos de definição em 2014 e mobilizou cerca de 200 pessoas do Naval Group e de 15 empresas terceirizadas. Duas outras bases também serão modernizadas nos próximos anos. As equipes de Toulon, especializadas no suporte vitalício de submarinos, foram treinadas nas novas especificações técnicas do submarino e no uso das novas instalações. Eles agora estão qualificados para realizar operações de manutenção no Suffren e nos outros da classe.

Os testes do Suffren foram concluídos com sucesso e garantem a superioridade tecnológica da Marinha Francesa no mar “Conseguimos otimizar a fase de testes no mar dentro de um cronograma de 6 meses, incluindo 100 dias no mar! Em comparação, para a classe Rubis foi 15 meses! Esta é a primeira vez que uma nova embarcação consegue navegar duas vezes em um período contínuo de um mês durante sua fase de testes no mar. Isso demonstrou a resistência do submarino para nosso cliente. Para melhorar nossa eficiência de trabalho, reduzimos o número de testes em terra e testes de mar otimizados. “, disse Philippe Nezondet, chefe de avaliação dos testes do Suffren no Naval Group.

Os testes no mar, conduzidos pela DGA uma vez que o navio é tripulado pela Marinha Francesa, comprovaram as capacidades do Suffren e a conformidade com as especificações do navio para a qualificação dos submarinos do Programa Barracuda. Esses testes representam uma fase de validação intensa para as instalações dos sistemas de bordo. As operações realizadas progressivamente, ao longo de várias campanhas de testes, tornaram possível garantir que a embarcação seja estanque, que pode ser manobrada adequadamente, mas também para avaliar o desempenho do sistema de combate, armas e todo o equipamento de alta tecnologia de bordo. Esses testes foram concluídos com o disparo de um míssil Exocet SM39, em 23 de setembro, e de um MdCN (Missile de Croisière Naval), em 20 de outubro.

O NCdM é uma grande vantagem desses submarinos sobre seus predecessores: os submarinos franceses agora serão capazes de disparar sob a água e atingir alvos superfície terrestre e a várias centenas de quilômetros de distância. Esta nova capacidade garante a superioridade tecnológica dos navios da Marinha francesa.

O SNA Suffren navegando ao sul de Toulon, em 10 de outubro de 2020 (Foto Naval Group).

Características técnicas do SSN Suffren

  •  Deslocamento na superfície: 4.600 toneladas
  • Deslocamento em mergulho: 5.200 toneladas
  • Comprimento: 99 metros
  • Diâmetro: 8,8 metros
  • Armamento: torpedos pesados F21 Artemis, mísseis antinavio Exocet SM39, mísseis de cruzeiro NCdM e minas FG29
  • Propulsão: reator de água pressurizada derivado dos reatores a bordo dos SSBN da classe Triomphant e do porta-aviões Charles-de-Gaulle, duas turbinas de propulsão, dois turbogeradores e dois motores elétricos
  • Capacidade de Imersão: mais de 300 metros
  • Tripulação: 65 tripulantes + comandos

Fonte: Naval Group

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here