Morteiros pesados de 120 mm para blindados na LAAD 2019

O mercado de morteiros de 120 mm embarcados apresentou durante a LAAD Defence and Security 2019 propostas para atender a requerimentos futuros do Exército Brasileiro (EB) com relação a modernização de suas brigadas mecanizadas (previsto quatro carros porta-morteiros do tipo Guarani por batalhão).

Sistemas Automatizados

As empresas RUAG e ONIRIA já ofereceram ao EB, respectivamente, o morteiro pesado de 120 mm RUAG Cobra, e o VRTS, sistema de realidade virtual para treinamentos (virtual reality training system) projetado para apoiar a instrução de futuros operadores.

O morteiro pesado de 120 mm RUAG Cobra

O simulador reproduz os procedimentos para o tiro do sistema de morteiro acoplado ao blindado Guarani utilizando a tecnologia Virtua Workshop, que converte equipamentos e procedimentos em realidade virtual.

Na LAAD 2019 a ST Engineering apresentou o Super Rapid Advanced Mortar System (SRAMS) de 120 mm, montado em um VBTP-MR 6×6 Guarani.

Pesando apenas 1.200 kg,o SRAMS atira com uma força de recuo inferior a 30 toneladas ao disparar uma carga máxima (alcance confirmado de 10 km), único no mundo com essa capacidade, especialmente importante ao se considerar os esforços (e danos) que o blindado está exposto durante o fogo contínuo.

O Super Rapid Advanced Mortar System (SRAMS) de 120 mm, montado em um VBTP-MR 6×6 Guarani.

Outro morteiro de 120 mm com a capacidade de recuo atenuado é o Cardom de 120/81 mm, exibido pela ARES Aeroespacial e Defesa em seu estande.

Segundo Marcus Tollendal, diretor geral da empresa, esse equipamento traz uma vantagem para sua manutenção pela quantidade em uso. “Temos mais de mil unidades vendidas. Isso é importante para a gestão de obsolescência dos equipamentos, pois significa a oferta de peças de reposição”, explica.

O morteiro Cardom de 120/81 mm

A empresa de Defesa sueca Saab também atua nesse mercado oferecendo as modernas munições inteligentes para morteiros 120mm THOR.

Anunciada oficialmente pela Saab durante a  feira DSEI 2017, pode ser disparada por qualquer um dos morteiros citados nesse artigo, sendo capaz de causar danos direcionados ao explodir e fragmentar-se.

A THOR oferece uma chance muito maior de neutralizar ou destruir o alvo, dispensando o uso de apoio de fogo mais pesado (e mais oneroso).

Com design único, combinando diversos formatos, materiais e área de fragmentação para obter o efeito desejado no alvo, a munição foi desenvolvida pela Saab Bofors Dynamics Switzerland (SBDS), uma subsidiária da Saab e integrante da área de negócios Dynamics.

a munição THOR

Alta Cadência de fogo no apoio

Instalado em um 6×6 Guarani, o morteiro de 120 mm é uma arma extremamente letal devido a sua alta mobilidade, profundidade e densidade de tiro (múltiplos impactos de direções diferentes) e capacidade de apoiar por fogos tropas blindadas e mecanizadas durante seu deslocamento, cobrindo os flancos e a linha de frente.

O VBTP-MSR 6×6 Guarani atuando como porta-morteiro pode levar uma grande quantidade de munição e efetuar grande número de disparos cobrindo uma enorme área.

O SRAMS exposto em 2017, na LAAD: programa ainda não deslanchou.

A alta velocidade e capacidade todo terreno (incluindo anfíbio) do VBTP-MSR brasileiro é mais um diferencial quando se pensa em equipa-lo com armas de tiro elíptico de grande calibre.

Frente a plataformas mais complexas e com armas maiores e mais pesadas (de maior alcance), os morteiros de 120 mm semi-automáticos montados em blindados 6×6 oferecem a vantagem adicional de custo de aquisição, manutenção e compra de munição extremamente mais baixos, e a capacidade aerotransportável “ready for KC390″ sem a necessidade de desmontagem de partes ou componentes.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) publicou, na última sexta-feira, dia 19 de abril, um pedido de cotação...

O crescimento da Base Industrial de Defesa e Segurança Pública (BIDS) torna esse setor ainda mais estratégico e relevante para...

Em comemoração a semana do Exército, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) está organizando uma série de eventos na Capital Paulista,...

O Ministério da Defesa (MinDef), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SeProD), acompanhou, entre os dias 15 a...

Comentários

Uma resposta

  1. Já houve algum teste para esta versão dos blindados Guarani? Digo, até mesmo para o estabelecimento de algum ROB?!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL