Marinha realiza Cerimônia de Batimento de Quilha da primeira Tamandaré

A Marinha do Brasil (MB) acompanhou na sexta-feira, 24 de março, o batimento da quilha da primeira fragata da classe Tamandaré durante uma cerimônia realizada no Thyssenkrupp Estaleiro Brasil Sul (tkEBS), em Itajaí (SC).

O Brasil encomendou quatro fragatas que serão construídas e terão os seus sistemas integrados pelo Consórcio Águas Azuis, formado pela Embraer Defesa e Segurança, Atech e Thyssenkrupp Marine Systems.

Na quilha, uma importante parte estrutural do navio, será feita a montagem das demais partes e módulos de sua construção. O seu peso é de 52 toneladas e corresponde à praça de máquinas da parte de vante (frente) do navio, onde serão instalados dois motores, uma caixa redutora e diversas bombas e equipamentos auxiliares.

O programa foi iniciado em 2017 para substituir meios que se encontram obsoletos e em fase final de operação na Esquadra da MB.

Em 27 de março de 2019, o Consórcio Águas Azuis foi escolhido o vencedor e em 5 de março de 2020. Naquele momento, foram assinados o contrato principal para aquisição, com construção no País, de quatro Fragatas, e o contrato que trata do acordo de compensação (offset). Este último tem como objetos as transferências de conhecimento e de tecnologia referentes ao Sistema de Gerenciamento de Combate e ao Sistema Integrado de Gerenciamento da Plataforma, bem como cursos de operação e manutenção das futuras Fragatas.

O lançamento do primeiro de quatro navios (F 200) deve acontecer em meados de 2024 e a entrega para a MB em dezembro de 2025. De 2027 a 2029, na cadência de um por ano, os demais exemplares. O alvo é ampliar o pedido para mais duas fragatas, elevando a quantidade final para seis.

Dois mil empregos diretos e 6 mil indiretos devem ser gerados no auge da produção dos navios que terá pelo menos 30% de conteúdo local no primeiro navio e 40% a partir do segundo. Assim, proporcionará gradual transferência de tecnologia em engenharia naval para a fabricação de navios militares e sistemas de gerenciamento de combate e de plataforma em solo brasileiro. As fragatas serão baseadas no projeto alemão MEKO, já utilizado em 82 embarcações em operação em marinhas de 15 países.

Equipamentos e sistemas

A Atech tem sido a responsável pelo sistema de datalink e pelo sistema de gerenciamento de combate em parceria com a ATLAS ELEKTRONIK, além do Sistema Integrado de Gerenciamento da Plataforma (IPMS) com a L3 Harris.

Muitos dos equipamentos a serem operados nas fragatas foram escolhidos. Dos armamentos, o canhão Leonardo 76/62mm SR; o canhão Rheinmetall Sea Snake 30mm; sistema de lançamento de torpedo SEA TLS-TT; Sistema de Despistamento Terma C-Guard; e o MAS MBDA SEA CEPTOR.

A suíte de sensores é integrada pelo radar de busca volumétrica Hensoldt TRS-4D ROT; pelo radar de direção de tiro Thales STIR 1.2; pelo sonar de casco Atlas Elektronik ASO 713; radar de busca de superfície Raytheon (Banda S); MAGE MB/Omnisys  Defensor MK3; alças optrônicas Safran PASEO XLR; e radares de navegação Raytheon (Banda X).

Arte: cabo Schulze

A Rohde & Schwarz é a responsável pelo design, desenvolvimento, produção, integração e aceitação de toda a suíte de comunicação interna e externa. O sistema de gerenciamento de combate é o Atlas-ANCS; e o sistema integrado de gerenciamento de plataforma é o L3 Mapps. A propulsão será por um motor de combustão principal MAN–12V 28/33D STC.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Na tarde de hoje, 27 de maio, um comboio com três viaturas blindadas de transporte de pessoal (VBTP) 6X6 Guarani,...

No dia de hoje, 24 de maio, a Agência de Cooperação de Segurança de Defesa (Defense Security Cooperation Agency – DSCA)...

A capital turca, Istambul, foi palco de discussões sobre segurança e defesa nos dias 21, 22 e 23. A Feira...

De acordo com a portaria nº 443-COTER/C Ex, o Exército Brasileiro (EB), através do Comando de Operações Terrestres (COTER), constituiu...

Comentários

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL