Mais Guarani em serviço

27
4852

Em 26 de maio, dia em que o Exército Brasileiro comemorou o centenário da adoção de blindados ao receber os Renault FT-17, os primeiros blindados utilizados por uma força militar na América Latina, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) também incorporou viaturas blindadas de transporte de pessoal – média sobre rodas (VBTP-MSR) 6X6 Guarani.

Dois exemplares foram entregues ao 28º Batalhão de Infantaria Leve (28º BIL), Batalhão Henrique Dias, de Campinas (SP), unidade especializada em operações urbanas, tanto em situações de segurança pública, quanto de guerra, dentro do Programa Estratégico do Exército (Prg EE) Guarani. Essas viaturas serão utilizadas nessas funções, em uma unidade que sempre se notabilizou pelo emprego de blindados.

O 28º BIL volta as suas origens com a incorporação das VBTP Guarani (Imagens: 2º B Log L)

Criado em 6 de outubro de 1942, em Recife (PE), com a designação de 1º Batalhão de Carros de Combate Leve (1º BCCL) e dotado de carros de combate M3/M3A1 Stuart, estabeleceu-se em Campinas em fevereiro de 1947. Em 11 de novembro de 1971 foi transformado em 28º Batalhão de Infantaria Blindado (28º BIB), já com os M113 e, posteriormente, em 1º de março de 2005, teve a sua designação mudada para a atual e perdeu os blindados.

O 2º Batalhão Logístico Leve (2º B Log L), Batalhão Cidade de Campinas, irá garantir  o apoio de manutenção e resgate as viaturas do 28º BIL, e, futuramente, de toda a 11ª Brigada de Infantaria Leve (11º Bda Inf L), a Brigada Anhanguera, por meio do sistema “on the job training”, adquirindo conhecimento da Iveco Defence Vehicles, que montou uma oficina de suporte logístico Integrado no aquartelamento.

Nota da Redação: Tecnologia & Defesa agradece ao 2º B Log L, “A Casa do Operador Logístico”, nas pessoas de seu comandante, o tenente-coronel Vanderson Giacomini Savioli, e do auxiliar de comunicação social, cabo Pedro Luiz Baganha Pansani, pelo envio das informações e imagens para completar esta matéria.

27 Comentários

  1. Bastos, ainda está ocorrendo as mudanças necessárias nos batalhões específicos para receber o Guarani? Existe uma data prevista para a entrega total?

    • Sim, as mudanças tem que ocorrer, senão as unidades não conseguirão operar corretamente suas viaturas.
      No planejamento inicial, todos os Guarani deveriam ser entregues até 2031, porem, de acordo com o general-de-divisão Ivan Ferreira Neiva Filho, chefe do Escritório de Projetos do Exército (EPEx), houveram readequações, devidos as restrições orçamentárias, e o programa foi estendido até 2040.

    • O Guarani com implementos de engenharia esta parado por que os técnicos ingleses da Pearson tiveram que voltar as pressas para a Europa no inicio da Pandemia, porem o trabalho esta 70% concluído, com previsão de retorno nos próximos meses e é provável que tenhamos essa versão entrando em processo de homologação ainda esse ano.
      O Porta-morteiro depende da escolha da arma. O projeto já esta praticamente pronto, aguardando a decisão da força de fazer a concorrência para a escolha do novo morteiro embarcado e as adaptações do veículo a ele.

  2. Bastos, acabei de voltar no tempo para 1889 quando servi no 28 BIB – 1º Cia, é bom saber que o antigo 28 está bem conservado e recebendo novos veículos!!!

  3. Já ia perguntar mesmo. A 11a era uma das GU que estava cotada para ser tranformada em mecanizada. Isto justifica a chegada dos Guarani aquele batalhão.
    Paulo, o EB continua ainda com apenas 4 brigadas a serem mecanizadas, no caso a 3a, 9a, 11a e a 15a?

  4. Mestre Bastos, quantos Guaranis já recebemos e quantos faltam receber ? No nordeste eles estão em quais unidades ? Alguma na Bahia ?

    • Adriano, pelo que sei, recebemos algo próximo a 500 viaturas.
      Atualmente somente o Comando Militar do Sul (CMS), Leste (CML), Planalto (CMP), Oeste (CMO) e agora o Sudeste (CMSE), possuem OM’s com blindados Guarani.
      Fui informado que o próximo Comando Militar a receber será o da Amazônia (CMA), provavelmente em 2023/24.
      Somente depois é que os Comando Militares do Norte (CMN) e Nordeste (CMNE) devam receber suas viaturas.
      O motivo dessa concentração é o fato de que as OM’s recebedoras deverão passar por um processo de readequação, e isso tem um alto custo.

  5. Paulo…
    Primeiramente parabéns pela.materia…
    Mas gostaria de sugerir una materia sobre Drones nacionais, como o Gaviao da avibras entre outros…..
    Obrigado novamente …

  6. Caro Basto farei uma pergunta de leigo que sou no assunto, porém sou um grande entusiasta do assunto defesa e admiro seu conhecimento em blindados. O KC-390 pode transportar nossos blindados Guaranis porém ele teria capacidade para transportar também nosso novo blindado de cavalaria, por exemplo o Centauro caso seja escolhido ?

    • Não podemos afirmar isso com certeza, pois o blindado ainda não escolhido, porem, de acordo com as especificações de peso e cubagem dos principais candidatos, eu considero essa possibilidade muito pequena.

  7. Paulo, uma das justificativas para retirar as unidades blindadas do RJ foi o fato de não haver espaço para treinamento das unidades, como irá receber blindados (9 Bda), pergunta.(estou sem Interrogação)
    Gostaria de saber o porquê ainda de haver uma Artilharia Divisionária no Leste. (Vão fazer apoio dee fogo contra baleias jubarte(pergunta)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here