ÁREA DO CLIENTE

Leonardo e Rheinmetall se unem para oferecer novos blindados para a Itália

As empresas italiana Leonardo e a alemã Rheinmetall, duas gigantes no setor de defesa europeu, assinaram um memorando de entendimento (MoU) para criar uma nova “joint venture”, com participação acionária igualitária. O objetivo principal deste acordo é o desenvolvimento, produção e comercialização de um novo carro de combate (“main battle tank”- MBT) e de uma nova família de blindados leves, utilizando a plataforma Lynx, para atender ao programa AICS (“Armored Infantry Combat System”), do Exército Italiano (EI).

A futura “joint venture”, que terá sua sede na Itália, seria a integradora de sistemas  e contratante principal nos novos programas de blindados italianos e também definirá a participação de ambas no programa europeu MGCS (“Main Ground Combat Systems”).

O carro de combate Panther KF51 poderá ser o sucessor do Ariete C2 no EI, ocupando o lugar que seria do Leopard 2A8 IT, porem uma versão equipada com o mesmo canhão de 120mm do Centauro II (Foto: Rheinmetall)

Dentro dos programas AICS e do futuro MBT italiano, a Leonardo ficará com a responsabilidade de desenvolver, produzir e integrar os sistemas de combate e conjuntos eletrônicosde acordo com as necessidades do EI, sendo que essas tecnologias servirão de base para o desenvolvimento do futuro MBT europeu (MGCS) e de novas versões destinadas à exportação. Com o desenvolvimento do carro de combate Panther eda viatura de combate de Infantaria (“infantry fighting vehicle” – IFV) Lynx, a Rheinmetall demonstrou possuir a tecnologia adequada.As linhas de montagem final, testes de homologação, atividades de entrega e apoio logístico serão realizados na Itália, utilizando porcentagem estimada de 60% de mão-de-obra italiana. A implementação do MoU assinado estará sujeita à aprovação prévia das autoridades competentes e reguladoras de ambos os países e da Comissão Europeia.

Lynx KF41 na Eurosatory 2022 (Foto: Paulo Bastos)

Fonte: Leonardo

VEJA TAMBÉM

Leonardo e KNDS rompem aliança estratégica

COMPARTILHE