KC-390 Millennium – Quarto exemplar é entregue a FAB

5
1828

A Embraer entregou à Força Aérea Brasileira (FAB) o quarto avião de transporte multimissão KC-390 Millennium, o FAB 2856, de um total de 28 unidades encomendadas. Assim como as unidades já entregues e em operação, esta será operada pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT), e todas as encomendadas estão preparadas para realizar missões de reabastecimento aéreo.

“Recebemos com grande satisfação mais uma aeronave KC-390 Millennium que está sendo incorporada à nossa frota. Em breve, ela também será operada nas mais diversas missões em diferentes regiões do Brasil e até no exterior, a exemplo das outras três que já demonstraram sua grande capacidade, principalmente no transporte de insumos e materiais durante a Operação COVID-19”, ressaltou o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

“Estamos muito satisfeitos com a entrega do quarto C-390 Millennium à Força Aérea Brasileira, pois o avião tem cumprido um papel extremamente relevante em uma série de missões humanitárias dentro do território brasileiro e até mesmo no exterior”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “O C-390 está se estabelecendo por mérito próprio como o avião de transporte tático deste século, abrindo novos mercados, o que é extremamente importante para a estratégia da Embraer nos próximos anos”.

Desde o início da pandemia da COVID-19, a FAB tem empregado as aeronaves KC-390 Millennium em missões de transporte aéreo logístico movimentando toneladas de suprimentos essenciais ao combate à pandemia no Brasil. Além disso, a FAB operou uma das aeronaves em missão humanitária à República do Líbano em apoio à população de Beirute, em agosto deste ano.

No último dia 17 de novembro, o governo da Hungria assinou um contrato com a Embraer para a aquisição de duas aeronaves C-390 Millennium na configuração de reabastecimento aéreo (KC-390 Millennium). A aquisição é parte do processo de fortalecimento das Forças Armadas da Hungria, especificamente nas funções de transporte aéreo tático, reabastecimento de outras aeronaves e evacuação médica, bem como em outras missões de interesse nacional. As entregas para a Hungria estão programadas para começar em 2023.

As aeronaves serão as primeiras do mundo com a opção de configuração para Unidade de Terapia Intensiva, recurso essencial para o desempenho de missões humanitárias. Também permitirão o reabastecimento do JAS 39, Gripen húngaro, bem como outras aeronaves que usam a mesma tecnologia. Esses KC-390 Millennium serão totalmente compatíveis com as operações da OTAN, não apenas em termos de hardware, mas também em sua configuração de aviônica e de comunicações.

No final de outubro, equipes das Forças Armadas de Portugal (FAP) e da Embraer concluíram o Critical Design Review (CDR) dos KC-390 Millennium encomendados por Portugal. Esta etapa definiu os requisitos técnicos da aeronave de acordo com as demandas da FAP, possibilitando à Embraer configurar as aeronaves. O governo de Portugal e a Embraer assinaram um contrato para aquisição de cinco aeronaves multimissão que terão como objetivo apoiar as operações das Forças Armadas de Portugal e aumentar a prontidão em missões de interesse nacional. As entregas estão programadas para começar em 2023.

Projeto conjunto da FAB com a Embraer, o C-390 Millennium é um jato de transporte tático militar projetado para estabelecer novos padrões em sua categoria. Alguns dos pontos fortes da aeronave são a mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia comprovada de última geração e manutenção mais fácil.

O C-390 Millennium e a variante KC-390 Millennium voam mais rápido e carregam mais carga que outros cargueiros militares de mesmo porte e são as plataformas ideais para os principais cenários de utilização. Exige menos inspeções e manutenção sob demanda, combinado com sistemas e componentes altamente confiáveis, o que reduz o tempo da aeronave no solo e os custos totais da operação, contribuindo para níveis de disponibilidade excelentes e baixo custo do ciclo de vida.

Em outubro de 2019, a aeronave recebeu da revista Aviation Week os prêmios Grand Laureate, na categoria Defesa, e o Laureate Awards, na categoria “Melhor Novo Produto de Defesa”.

Fonte: Embraer

5 Comentários

  1. Que beleza, agora restam só 24 unidades para fechar as 28 encomendadas.

    Tomara que todas sejam entregues o quanto antes.

  2. Prezados, indo um pouco para outro lado da questão, entendo que pode ser acelerada a produção de aeronaves no sentido de abreviar as entregas das encomendas de Portugal e da Hungria, mesmo que isso, eventualmente, custe adiar digamos a décima, a decima segunda a décima quarta e assim por diante unidades programadas para a FAB. Tomar essa decisão pode representar um incentivo muito grande no sentido de incrementar as vendas no exterior,
    Lembremos que as instalações da Embraer tem como aumentar o ritmo de fabricação em até duas ou tres vezes a cadência atual (não me recordo do valor declarado há algum tempo), e esse fator de mercado pode até abreviar, no fim das contas, a entrega das 28 primeiras (aí embutido um maior otimismo ainda) unidades da FAB.
    Prezado Paulo, voce poderia dizer qual seria a capacidade, sem incrementar as instalações físicas auais mas lógicamente em função da disponibilidade de recursos de terceiros ou mesmodo BNDES, para a EMBRAER acelerar a produção?

    • Os protótipos são aeronaves distintas, não padronizadas e feitas unicamente para testar o projeto e conceitos.
      O contrato da FAB com a Embraer é referente a 2 protótipos operacionais e mais 28 aeronaves.
      O P1 teve alguns problemas estruturais, em função das campanhas de testes e de dois incidentes de pouso, e não voa mais, mas o segundo é utilizado pela Embraer para continuar as campanhas de homologação e implementação.
      Ao final do Programa, todos deverão ser entregues a FAB, que decidirá o que fazer com elas.

  3. Paulo bom dia. Houve comentario um tempo atrás dizendo que no momento da certificação a FAB iria emprestar uma aeronave pra terminar logo as homologações necessarias e que a embraer no final iria fabricar mais uma unidade para substituir a do acidente então essa informação não é veridica???Não existe essa fabricação de uma unidade em substituição a acidentada? Obrigado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here